domingo, 7 de agosto de 2005

Magic: The Gathering (I)

Desde pequeno, eu sempre me interessei por assuntos ligados a mitologia e fantasia. Filmes, livros e figuras que tivessem dragões, unicórnios, magos e guerreiros sempre chamaram minha atenção. Talvez por isso eu tenha me interessado por RPG, já que o primeiro com o qual eu tive contato foi justamente o Dungeons & Dragons. Na adolescência, eu acabei por ter contato com um outro tipo de jogo, que nada tem a ver com RPG, mas que também me chamou a atenção por suas belas figuras e história no estilo fantasia. Era um card game, Magic: The Gathering, tema do post de hoje.

Aliás só desse, não. Magic tem uma história bem comprida, que não coube toda aqui. Eu dividi este post em 4 partes, que vou postar aqui aos poucos mas não seguidos, mais ou menos como venho fazendo com o dos Sentai. Por enquanto, vamos à primeira parte!

verso das cartasEu nunca colecionei Magic (o único card game que colecionei foi o finado OverPower, talvez eu fale dele um dia aqui), mas cheguei a jogar com cartas de meus amigos. Um dos motivos que me desanimaram a colecionar foi que, quando o descobri, por volta de 1995, muitas das cartas já não eram mais vendidas, e eu fiquei com uma sensação de que, mesmo que conseguisse cartas fortes e montasse um bom baralho, ficaria meio frustrado por não ter um monte de cartas legais. Mesmo assim, eu sempre acompanhei os últimos lançamentos pelo site da Wizards of the Coast (a fabricante do jogo) e por alguns fansites, e cheguei a comprar dois volumes da Magic the Gathering Official Encyclopedia, um livro que traz figuras de todas as cartas já lançadas. Aliás, estou querendo vendê-los, interessados entrem em contato.

Enfim, mesmo sem ter colecionado, e sem jogar uma partida há muitos anos, eu ainda acompanho entusiasticamente tudo o que acontece com o jogo, e graças a alguns fansites eu até consigo descobrir a aparência de algumas cartas. Magic é o mais famoso dos card games talvez por ter regras simples mas ainda assim capazes de proporcionar intrincadas estratégias, e por algumas de suas cartas possuírem ilustrações fabulosas, que captam bem o clima de fantasia inerente ao jogo.

Magic foi inventado no final da década de 1980 pelo matemático Richard Garfield, junto com alguns amigos da faculdade. Desde a adolescência, Garfield sempre havia gostado de inventar jogos de tabuleiro, mas sentia que, de certa forma, estes jogos eram limitados. Seu sonho era criar um jogo que estivesse sempre em expansão, sem estar restrito ao conteúdo de sua caixa, algo como os jogos de baralho, que podem assumir diversas formas sempre com as mesmas cartas. Com este conceito em mente ele começou a desenvolver diversos jogos, dentre eles o Robo Rally, onde cada jogador controla um robô que tem que coletar diversas peças em uma espécie de fábrica. O tabuleiro representa a tal fábrica e, graças a alguns de seus elementos, pode mudar durante a partida o que o jogador tinha determinado que seu robô fizesse, dificultando ou facilitando a vida de cada robô. Planejando oferecer seu jogo a alguma companhia para que esta o fabricasse, Garfield chegou até Peter Adkison, da recém-fundada Wizards of the Coast. Adkison demonstrou interesse em fabricar o jogo, mas considerou que este poderia ser muito caro, e perguntou se Garfield possuía algum outro projeto em mente. Garfield lhe falou de um projeto no qual estava ainda trabalhando, um jogo chamado The Five Colors of Magic, que utilizava cartas como as de um baralho ao invés de um tabuleiro e peões. Achando aquilo tudo muito criativo, Adkison e a Wizards decidiram bancar a empreitada, e Garfield e seus amigos começaram a bolar que tipo de cartas o jogo poderia ter.

carta verdeAssim, o jogo que inicialmente iria se chamar The Five Colors of Magic acabou sendo renomeado para só Magic e, mais tarde, para Magic: The Gathering. A razão disso foi para facilitar o registro, já que se tornaria muito difícil registrar um jogo chamado simplesmente Magic. A palavra gathering significa "reunião", e se refere à reunião dos jogadores para jogar, ou das cartas para formar o baralho. Ao contrário do que muita gente pensa, não são os magos do jogo que se reúnem para brigar entre si.

Desde seu lançamento, em 1993, pouca coisa mudou nas regras de Magic. Simplificando, cada jogador representa um mago, e as cartas representam suas magias. Dois magos estão se enfrentando em um duelo, e o primeiro que reduzir os 20 pontos de vida do oponente a zero, através de suas magias, vence. Cada jogador possui seu próprio baralho, conhecido como grimório, que deve ter no mínimo 60 cartas, sendo não mais que 4 de cada carta específica, com exceção dos terrenos básicos (veja adiante). O jogo é dividido em turnos, ou seja, cada jogador tem sua vez de jogar, onde poderá usar as cartas que tem na mão para tentar reduzir os pontos de vida do adversário. Existem seis tipos diferentes de cartas: os encantamentos, que quando jogados modificam levemente as regras do jogo ou o funcionamento de uma outra carta, e normalmente ficam em jogo até que outra condição aconteça; os feitiços, que produzem um efeito instantâneo, como recuperar pontos de vida imediatamente, e só podem ser jogados no turno do próprio jogador; os instantâneos, que também produzem um efeito instantâneo, mas podem ser jogados a qualquer momento; os artefatos, que representam itens mágicos ou armas, e normalmente funcionam como os encantamentos; as criaturas, que serão utilizadas para atacar o oponente ou se defender de seus ataques; e os terrenos, de certa forma o tipo mais importante, pois produzem o mana, o "combustível" necessário para que você jogue qualquer outra carta.

carta brancaAlém de estarem divididas em tipos, as cartas também estão divididas em cores, cinco ao todo: branco, preto, azul, vermelho e verde. Existem criaturas, encantamentos, feitiços e instantâneos de todas as cores, e cada uma precisa de mana de sua própria cor para ser jogado (ou seja, uma carta verde precisa de mana verde). Cada cor possui suas forças e fraquezas, duas cores "aliadas" (que a auxiliam se estiverem juntas) e duas "inimigas" (que não funcionam muito bem com ela, mas são fortes contra ela). No verso das cartas, existe uma "rodinha" que indica os aliados e inimigos: cores adjacentes são aliadas, opostas são inimigas. Os aliados do azul, por exemplo, são o branco e o preto, e seus inimigos o verde e o vermelho. O ideal é que um baralho possua cartas de duas ou três cores diferentes (e, de preferência, cores aliadas), pois com uma só ele será muito fraco, e com quatro ou cinco será muito difícil produzir o mana necessário. Os terrenos, por serem as cartas que produzem mana, não possuem cor, não têm requerimentos de mana para serem jogados, e podem fazer parte de qualquer baralho. Artefatos também são uma exceção, pois também não possuem cor, e qualquer mana pode ser utilizado para colocá-los em jogo. Existem ainda algumas cartas douradas, que requerem mais de uma cor para serem jogadas, e normalmente são bastante poderosas.

O principal diferencial de Magic para outros tipos de jogos são as expansões. Regularmente, novas cartas são lançadas, que podem ser adicionadas às antigas, trazendo todo um novo mundo de possibilidades ao jogo - exatamente o que Garfield queria, um jogo em eterna mutação. Magic já conta com mais de 30 expansões, totalizando mais de 8.000 cartas diferentes. Quando se joga entre amigos, qualquer destas cartas pode ser utilizada, mas em torneios oficiais existe uma lista de "banidas" (cartas que não podem estar no baralho) e "restritas" (cartas que cada jogador só pode ter uma em seu baralho), normalmente cartas que costumam ser muito poderosas ou raras, e desequilibram o jogo. Além disso, nos torneios só costumam ser aceitas as cartas das expansões mais recentes, para não prejudicar os jogadores novatos, embora existam alguns formatos de torneio que permitam a inclusão de cartas mais antigas.

Embora isso não seja muito relevante para quem joga, Magic também possui uma história, com personagens, cenários e acontecimentos importantes, que costumam ser retratados nas cartas, e referenciados em um pequeno texto em itálico presente em cada uma delas, e que não conta para as regras. Este fato levou a toda uma linha de produtos secundários, como romances e jogos de videogame, e acabou por criar um mundo tão rico quanto qualquer mundo de RPG.

carta pretaAtualmente, Magic é vendido em mais de 40 países, e publicado em nove idiomas: inglês, português, francês, italiano, espanhol, alemão, japonês, chinês e russo. Algumas expansões também foram publicadas em coreano. Agora que já sabemos como ele foi inventado o no que consiste, vamos dar uma rápida olhada nas expansões e sua história.

A primeira edição de Magic foi lançada em agosto de 1993, e apelidada de Alpha Limited (embora o nome oficial, obviamente, fosse Magic: The Gathering). Alpha porque era a primeira tentativa, Limited porque apenas uma quantidade limitada de cartas seria impressa - no caso, 2,6 milhões delas. Alpha tinha 295 cartas diferentes, divididas entre comuns, incomuns e raras; que vinham em decks ("caixinhas") de 60 cartas, ou boosters ("pacotinhos") de 15 cartas cada. Cada deck de Alpha acompanhava um livreto de regras que contava com um conto introdutório escrito por Richard Garfield, além de todas as instruções necessárias para se aprender a jogar. Rapidamente a tiragem se esgotou. Antes de imprimir uma nova, a Wizards of the Coast fez algumas modificações, como mudar o corte para que as bordas das cartas ficassem menos redondas, alterar o livreto de regras para que estas fossem mais claras, e suavizar as cores, que eram muito fortes. Alguns erros de digitação ou frases confusas nas cartas também foram alterados. Essa nova impressão teve 7 cartas a mais (para um total de 302), e foi apelidada de Beta Limited, sendo lançada em outubro de 1993, com uma tiragem de 7,3 milhões. Com o sucesso de vendas e o esgotamento desta tiragem, Magic havia passado no teste, e estava pronto para ser comercializado regularmente. Assim, em dezembro de 1993, foi lançada a Unlimited Edition, que possuía este nome por não ter uma previsão de quantas cartas iriam ser impressas, ou seja, seriam impressas quantas fossem necessárias. Fora isso, a edição Unlimited era idêntica à Beta, com a única diferença de suas cartas terem as bordas brancas, enquanto as de Alpha e Beta eram pretas. A partir de então, as cartas das edições básicas teriam sempre bordas brancas, enquanto as das expansões seriam pretas. Nessas primeiras edições, Magic ainda não tinha uma história. Suas cartas simplesmente representavam magias, animais e artefatos famosos do mundo de fantasia, mais alguns inventados por Garfield e sua equipe.

carta azulQuase simultaneamente ao lançamento de Unlimited, foi lançada a primeira expansão, Arabian Nights. Talvez sem entender ainda muito bem o que seria uma expansão, a Wizards queria fazer de Arabian Nights um jogo independente, que tivesse as Mil e Uma Noites como tema ao invés da fantasia medieval, e não precisasse das cartas de Unlimited para ser jogado, chegando até mesmo a criar uma figura diferente para o verso das cartas. Os jogadores que já haviam comprado as edições anteriores queriam poder incorporar as novas cartas a elas, e protestaram. Assim, ficou determinado que o verso seria o mesmo, mas um pequeno símbolo seria adicionado abaixo da figura das cartas, para indicar a qual expansão ela pertencia, prática que é feita até hoje. Quando foi lançada, Arabian Nights tinha 78 cartas, vendidas apenas em boosters, de 8 cartas cada. Como não seria mais um jogo independente, os terrenos básicos foram removidos - exceto uma Montanha, que por um erro de produção acabou sendo impressa, e ficou conhecida como a "Montanha Árabe". Apesar de ter sido a primeira, Arabian Nights foi a última expansão na qual Richard Garfield inventou cartas - a partir de então, ele seria apenas supervisor do jogo. Arabian Nights também é a única expansão que traz personagens famosos não inventados pela Wizards, como Aladdin e Sherazade.

carta vermelhaDepois disso, a Wizards já sabia que cara queria dar a seu jogo, e começou a bolar um background, uma história para ele. Esta história começaria a ser contada na expansão seguinte, Antiquities, lançada em março de 1994, trazendo 100 novas cartas ao jogo. Em Antiquities, ficamos sabendo que a história de Magic se passa em um mundo chamado Dominaria, um típico mundo de fantasia medieval. No continente de Terisiare, arqueólogos começam a descobrir artefatos de grande poder, pertencentes aos Thran, uma antiga civilização já extinta. Estes artefatos começam a ser usados quotidianamente, e mudam a vida do povo local. Dois irmãos, Urza e Mishra, descobrem uma caverna, que contém o artefato mais poderoso de todos. Sem saber o que estavam fazendo, eles acabam por partir o artefato, e permitir que um grande mal, que estava selado por seu poder, ameaçasse Dominaria novamente. Cada irmão fica com uma das metades do artefato, e começa uma guerra para tentar obter também a outra metade. Esta guerra ficaria conhecida como a Guerra dos Irmãos, onde os artefatos dos Thran mais uma vez seriam usados para causar destruição em larga escala. As cartas de Antiquities representavam os artefatos dos Thran, e as novas magias decorrentes de seu uso. Além de muitos artefatos, Antiquities também trouxe cartas que tinham "duas versões", com texto idêntico, mas figuras diferentes, que fizeram a alegria dos colecionadores.

Após o lançamento de Antiquities, a Wizards decidiu integrar esta história também à edição básica, e aproveitou para corrigir alguns problemas, lançando, em abril de 1994, a Revised Edition, uma nova edição básica de 306 cartas. As regras sofreram algumas alterações para ficarem mais claras e evitar impasses durante a partida. Com o mesmo intuito, o texto de muitas cartas foi reescrito. Muitas cartas consideradas "inadequadas" (como algumas que obrigavam o jogador a apostar suas cartas, perdendo-as para o oponente definitivamente) ou poderosas demais (como as infames Moxes, artefatos que produziam mana) foram retiradas, e algumas cartas populares de Arabian Nights foram incluídas, numa tentativa de integrá-las ao mundo de Dominaria.

Mas a saga de Magic estava só começando. Em breve veremos as demais expansões!

1 enfiaram o nariz:

Dragão Myr disse...

Embora seja um post antigo, finalmente encontrei alguém que possa escxrever bem e claramente sobre Magic Gathering. Seja aonde estiver, obrigado por explicar o surgimento do magic e a história inicial.

7:54 PM

Postar um comentário