segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Muay Thai

Hoje é dia de muay thai no átomo. Porque sim.

O muay thai é uma luta de origem tailandesa, conhecida em seu país de origem como "a arte dos oito membros", pois seus golpes podem ser efetuados com as mãos, cotovelos, joelhos e canelas; como cada lutador tem dois de cada, são oito pontos de contato possíveis, enquanto a maioria das demais lutas desportivas tem apenas dois (como o boxe) ou quatro (como o caratê). Internacionalmente, o muay thai também é conhecido como "boxe tailandês", o que é uma tradução quase literal de seu nome, já que a palavra muay, em tailandês, significa "luta", e thai é o gentílico usado para se referir aos tailandeses não só em seu próprio idioma, mas também em inglês. Na Tailândia, aliás, já existiram muitas outras artes marciais cujos nomes começavam com muay, como muay chaiya, muay thasao, muay lopburi e muay korat, todas elas hoje conhecidas como muay boran (o que significa algo como "lutas antigas"); no Laos, país vizinho à Tailândia, também existe uma luta desportiva, praticada até hoje, conhecida como muay lao. É errado, porém, chamar o muay thai de kickboxing; o kickboxing é um esporte parecido, mas bem mais recente, e com algumas regras bem diferentes.

Diz a lenda que, no ano de 1767, durante uma guerra entre a Tailândia e a vizinha Birmânia, um soldado de nome Nai Khanomtom foi capturado pelo exército inimigo. Um especialista no combate corpo a corpo, tendo ele mesmo criado várias técnicas de luta, Khanomtom ficaria aprisionado durante sete anos, tempo durante o qual continuou treinando, e até mesmo ensinou suas técnicas para outros prisioneiros. Sua libertação ocorreria em 1774, quando o Rei Hsinbyushin da Birmânia decidiria realizar um festival em honra de Buda, que contaria com música, dança, peças de teatro e demonstrações de luta, ao longo de sete dias e sete noites. Ao saber da fama de Khanomtom, o Rei decidiria que o auge das demonstrações de luta seria um embate entre Khanomtom e o campeão nacional de lethwei, arte marcial de origem birmanesa, para determinar qual estilo de luta era superior, o da Birmânia ou o da Tailândia.

No dia marcado, Khanomtom derrotou o campeão de lethwei (cujo nome se perdeu na história) sem a menor dificuldade. O árbitro da luta, porém, alegou que o nocaute havia sido inválido, pois, antes de o combate começar, Khanomtom havia realizado uma dança ritual, que, segundo ele, havia hipnotizado o oponente. O Rei, então, perguntaria a Khanomtom se ele aceitaria enfrentar outros lutadores birmaneses para provar seu valor, e ele concordou. Khanomtom enfrentaria ao todo mais nove oponentes, sem descanso entre uma luta e outra, o último deles um dos maiores mestres de artes marciais da Birmânia, o qual ele teria aleijado com um chute - depois do qual ninguém mais desejaria enfrentá-lo, e ele seria finalmente considerado o vencedor. Impressionado, o Rei determinaria que ele fosse levado até a fronteira e libertado. Ao chegar a Bangcoc, capital da Tailândia, Khanomtom foi recebido como um herói nacional, e muitos se interessaram em aprender seu estilo de luta. Sob sua supervisão, foram abertas as primeiras escolas que ensinariam seu estilo de luta, o qual ficaria conhecido como toi muay, algo como "luta com as mãos nuas". Rapidamente, o muay se tornaria o esporte nacional da Tailândia, com lutas de demonstração sendo realizadas em várias feiras e festivais, especialmente em templos budistas, nos quais os monges também a aprendiam.

O auge da popularidade do muay se daria em meados do século XIX, com a ascensão ao trono, em 1868, do Rei Rama V, ele mesmo um praticante do esporte e aficionado por suas lutas. Nessa época, o muay era visto não somente como um excelente exercício físico e uma forma de auto-defesa, mas também como forma de recreação e de alcançar a paz espiritual; também seria nessa época que surgiriam os diversos estilos regionais (como os já citados muay chaiya e muay lopburi), com cada escola adaptando as regras de acordo com sua conveniência. O muay ainda não era, porém, visto como esporte, com a imensa maioria das lutas ainda sendo amistosas e efetuadas apenas para demonstração; a transformação do muay em uma luta desportiva só se daria no início do século XX, e graças ao boxe.

Em 1913, por influência dos colonizadores ingleses, o boxe seria incluído no currículo de educação física da Suan Kulap College, a mais importante universidade tailandesa da época. Muitos dos alunos, além do boxe, desejavam aprender também o muay, de forma que, em 1919, o muay também passou a fazer parte do currículo (assim como o judô, embora isso não seja importante para a nossa história). Dois anos depois, em 1921, o Suan Kulap College inauguraria o primeiro ringue permanente da Tailândia, no qual não somente os alunos poderiam treinar e disputar campeonatos, mas também poderiam ser realizadas lutas profissionais de boxe naquele país. Em 1923, seria inaugurado mais um ringue, o Suan Sanuk Stadium, este seguindo os padrões internacionais adotados para os ringues de boxe. Com dois ringues à disposição, as lutas profissionais de muay, que já existiam desde 1909, começaram a se tornar cada vez mais comuns, e conversas começaram a acontecer sobre a realização do primeiro campeonato tailandês de muay. Todas essas conversas, entretanto, esbarravam em um problema básico: as regras.

Na época, o muay não tinha regras unificadas; cada uma das variações regionais tinha regras diferentes, e, quando dois lutadores de duas variações diferentes se enfrentavam, frequentemente ocorriam discussões sobre o que valia ou não - uma das variações, chamada khat chueak, por exemplo, permitia que os lutadores usassem, amarradas em volta das mãos, faixas de tecido com nós sobre os dedos, que serviam tanto para proteger suas mãos quanto para ferir ainda mais o oponente, tornando a luta mais rápida, e que eram consideradas perigosas e desleais pelos praticantes de outras variações. Em 1925, chegaria ao trono o Rei Rama VII, que, assim como seu pai Rama V (Rama VI, seu antecessor, era seu irmão), era praticante e entusiasta do muay, e, vendo a discussão em torno das regras, exigiria que se criasse um conjunto de regras unificadas. Para que isso fosse possível, ele ordenaria que a Associação Profissional de Boxe da Tailândia (PAT), órgão ligado à Autoridade Desportiva Tailandesa (SAT), espécie de Ministério do Esporte de lá, e responsável por regular o boxe dentro da Tailândia, se tornasse também o órgão máximo no que dizia respeito ao muay, sendo responsável por criar um novo conjunto de regras que seria usado em todo o país, além de por supervisionar todas as lutas profissionais de muay que ocorressem dentro do território tailandês, como já ocorria com o boxe. Foi nessa época que surgiu o nome muay thai, para se referir ao estilo considerado oficial pela PAT, assim como o nome muay boran, que passou a ser usado para se referir a todos os outros estilos de muay que existiam até então.

Sendo um órgão originalmente ligado ao boxe, a PAT se inspiraria nas regras do boxe para criar as regras do muay thai, exigindo, por exemplo, o uso de luvas de boxe durante as lutas. Essa regra foi bastante contestada pelos lutadores de khat chueak, o que acabou levando a um recuo da PAT, que permitiu que as faixas de tecido continuassem sendo usadas em lutas entre tailandeses, sendo as luvas obrigatórias apenas em lutas que envolviam estrangeiros; mas, após uma morte durante uma luta profissional em 1935, causada pelo dano sofrido em decorrência do uso das faixas de tecido, elas seriam proibidas de vez não somente em lutas profissionais, mas também em todas as lutas de muay. A PAT também padronizaria a duração das lutas, anteriormente decidida pela organização das mesmas, estabeleceria as categorias de peso, e exigiria a presença de pelo menos três juízes para auxiliar o árbitro da luta na contagem dos pontos.

Já no século XIX, o muay havia ultrapassado as fronteiras da Tailândia, sendo praticado também na Birmânia, no Laos, no Camboja e no Vietnã. No início do século XX, ele chegaria também à Índia e à China, e, após a Segunda Guerra Mundial, chegaria à Europa e aos Estados Unidos. O muay thai começaria a crescer em popularidade no ocidente a partir da década de 1980, o que levaria à fundação, em 1993, da Federação Internacional de Muay Thai Amador (IFMA). Hoje, a IFMA já conta com 130 membros (originalmente eram 20), incluindo o Brasil, e é a responsável por regular, em âmbito mundial, o muay thai, o muay boran, o muay talai (disputado sobre um tronco suspenso no meio da água, com o perdedor sendo aquele que cair do tronco), o muay aeróbico (praticado em academias de ginástica) e o krabi kabong (demonstração dos movimentos do muay com o uso de armas, mais especificamente uma espada e um bastão, de forma semelhante ao taolu do wushu) - essas quatro últimas modalidades, entretanto, são ainda amplamente de demonstração, com pouquíssimos torneios sendo disputados. A IFMA possui uma parceria com o governo da Tailândia, e se compromete a sempre respeitar os princípios do verdadeiro muay thai, sem tentar ocidentalizar o esporte. Apesar do nome, a IFMA também organiza torneios destinados a lutadores profissionais.

Dois anos após a criação da IFMA, em 1995, o governo da Tailândia criaria o Conselho Mundial de Muay Thai (WMC), que teria a responsabilidade de expandir e promover o muay thai profissional internacionalmente, já que a IFMA, originalmente, regulava apenas o muay thai amador. Hoje, o WMC conta com 120 membros, incluindo o Brasil. A rigor, as regras adotadas pelo WMC são as mesmas da IFMA, exceto no que diz respeito aos uniformes, às categorias de peso e à duração das lutas. O WMC também não costuma realizar torneios, usando um sistema de lutas idêntico ao do boxe profissional para determinar seus campeões.

Além de IFMA e WMC, existem três outras federações internacionais que clamam regular o muay thai. Uma delas é a Federação Mundial de Muay Thai Profissional (WPMF), fundada em 2004; as outras duas usam ambas a sigla WMF e ambas foram fundadas em 1995 (e ambas têm um logotipo quase idêntico): a Federação Mundial de Muay, que clama regular o muay thai amador, e a Federação Internacional de Muay Thai, que clama regular o muay thai profissional. As regras das três têm algumas diferenças em relação às da IFMA e WMC, mas, assim como em meus outros posts sobre lutas desportivas que tinham mais de uma vertente ou federação, eu decidi falar apenas sobre as regras da federação considerada oficial pelo Comitê Olímpico Internacional, que, no caso, é a IFMA. Como muitas das lutas transmitidas para o Brasil são organizadas pelo WMC, eu farei pequenas observações quando as regras deste forem diferentes das daquela. WPMF e ambas as WMF serão ignoradas.

O muay thai é disputado em um ringue idêntico ao do boxe, com as mesmas dimensões, mesmos componentes e feito do mesmo material. As luvas também são idênticas às do boxe, sendo usadas sempre as luvas de 10 onças (284 g cada), em todas as categorias de peso. O uniforme é composto de um calção próprio, bem largo mas com um elástico grosso e bem justo; de um capacete acolchoado de proteção, que deixa apenas o rosto, o topo da cabeça e as orelhas à mostra; e de uma camiseta sem mangas, no caso dos homens, ou um top, no caso das mulheres; são usados protetores de gengiva e virilhas, caneleiras, cotoveleiras e, no caso das mulheres, protetores de seios. Um dos lutadores sempre deve usar uniformes, luvas e protetores de cor azul, enquanto o outro sempre os usa na cor vermelha. No muay thai profissional da WGC, são usados apenas as luvas, calção, protetores de gengiva e virilha, caneleiras, e, para as mulheres, top e protetor de seios, e a cor dos uniformes é livre.

Dois elementos característicos do uniforme do muay thai são o mongkon e o prajiad. O mongkon é uma faixa de tecido amarrada na testa, que originalmente era um pedaço de uma roupa de um ente querido, normalmente de um vestido da mãe, que o soldado rasgava e usava como bandana durante a guerra para lhe trazer boa sorte, enquanto o prajiad é uma faixa amarrada no braço, bíceps ou cintura que conta com um pequeno amuleto pendurado, e originalmente era um amuleto budista também usado para trazer boa sorte. Todo atleta deve entrar no ringue usando o mongkon e o prajiad, e retirá-los antes de a luta começar - embora alguns torneios permitam que ele use o prajiad durante a luta, desde que firmemente preso ao corpo e bem coberto, para que não atrapalhe.

Os lutadores de muay thai entram no ringue sem o capacete, e, antes de a luta começar, devem fazer o ritual do wai kru, uma espécie de coreografia acompanhada por música tocada com três instrumentos típicos tailandeses - foi o wai kru, aliás, o responsável pela anulação do resultado da luta de Khanomtom contra o campeão de lethwei, por ter supostamente hipnotizado o adversário. O wai kru possui vários movimentos pré-determinados, com o lutador sendo livre para escolher quais vai realizar; diferentemente de um kata, esses movimentos não estão relacionados às técnicas de luta do muay thai, sendo mais parecidos com uma dança folclórica. O wai kru é um componente puramente ritualístico, sem qualquer influência no resultado da luta, e a IFMA recomenda um tempo de dois minutos para sua realização, embora também não haja qualquer punição se eles o ultrapassarem. Após o wai kru, o lutador retira o mongkon, coloca o capacete, e está pronto para a luta.

Assim como outras lutas desportivas, o muay thai divide seus lutadores em categorias de peso. A IFMA utiliza 13 categorias de peso no masculino e 11 no feminino, sendo nove delas comuns a ambos os gêneros: até 48 kg, até 51 kg, até 54 kg, até 57 kg, até 60 kg, até 63,5 kg, até 67 kg, até 71 kg e até 75 kg. Somente no feminino, existem as categorias até 45 kg e mais de 75 kg; somente no masculino, existem as categorias até 81 kg, até 86 kg, até 91 kg e mais de 91 kg. O WMC usa 13 categorias, que são as mesmas no masculino e no feminino: até 47,62 kg, até 50,8 kg, até 53,52 kg, até 57,15 kg, até 61,24 kg, até 66,68 kg, até 72,58 kg, até 76,2 kg, até 79,38 kg, até 82,55 kg, até 86,18 kg, até 95 kg e acima de 95 kg - os valores são quebrados porque originalmente eram em libras, não em quilos. A pesagem da IFMA é feita no primeiro dia do torneio, e vale para todo o torneio; as do WMC são feitas no dia anterior ao da luta, e valem apenas para aquela luta, com o atleta tendo uma nova chance na manhã do dia da luta caso não passe na primeira pesagem.

Uma luta de muay thai da IFMA dura três rounds de três minutos cada, com um minuto de intervalo entre um e outro, enquanto uma do WMC dura cinco rounds de três minutos cada, com dois minutos de intervalo entre um e outro. A luta é oficiada por um árbitro, que fica no ringue junto aos lutadores, e cinco juízes, que ficam sentados ao redor do ringue. Cada um desses juízes escolherá o vencedor de cada round, usando os seguintes critérios: qual lutador teve a melhor técnica, qual aplicou os golpes com mais potência, qual demonstrou maior domínio das técnicas do muay thai, qual demonstrou mais iniciativa, qual terminou o round menos cansado, e qual infringiu menos as regras. Após cada juiz escolher seu vencedor, aquele que foi escolhido por mais juízes ganhará 10 pontos, e o outro ganhará 9, 8 ou 7 pontos, dependendo da quantidade de juízes que o escolheu como vencedor. Ao final do terceiro round, aquele que tiver mais pontos será o vencedor da luta. É raro, mas pode ocorrer de ambos os lutadores terminarem empatados em pontos; nesse caso, o vencedor será aquele que mostrou ter a melhor defesa, ou seja, aquele que mais evitou que os golpes do oponente o atingissem.

O árbitro possui a função de zelar pelo bom andamento da luta. Ele pode interrompê-la a qualquer momento que julgar necessário com o comando yoot, e reininiciá-la com o comando chok; caso os lutadores estejam em um clinch, ou seja, um abraçou o outro para ganhar tempo, ele usa o comando yaek, com o qual ambos devem se separar imediatamente. É o árbitro quem aplica as punições aos lutadores faltosos, determina que o relógio pare para que um lutador receba atendimento médico, recolhe as papeletas dos juízes ao final de cada round para anunciar os pontos, e anuncia o vencedor da luta ao final, levantando seu braço. O árbitro também pode encerrar uma luta imediatamente caso note que um lutador é absolutamente superior ao outro, que um dos lutadores se feriu de forma que não pode mais continuar, ou para desclassificar um lutador que não esteja agindo com lisura e desportividade.

Quando um lutador comete uma falta, ele pode receber uma advertência ou uma punição. Advertências são usadas em caso de faltas leves, como falta de combatividade ou uso de um golpe inválido que não fira o oponente; para dar uma advertência, o árbitro não precisa interromper a luta, podendo esperar um momento no qual o lutador possa ouvir claramente que está sendo advertido. Já para dar uma punição, o árbitro interrompe a luta, avisa ao lutador e aos juízes que ele foi punido e a reinicia; punições são usadas no caso de golpes inválidos violentos ou que possam ferir o oponente (como cabeçadas e arremessos), falta de respeito (como cuspir ou morder o adversário), acertar o oponente em uma área ilegal de contato (como nuca ou virilha), uso ilegal das cordas, desrespeitar o árbitro, não atender ao comando de yoot ou yaek, ou por insistir em uma conduta pela qual ele já foi advertido mais de uma vez. Um lutador que receba três punições em uma mesma luta está automaticamente desclassificado, com o outro sendo declarado vencedor.

É possível vencer uma luta de muay thai por nocaute: toda vez que um lutador toca o chão com qualquer parte do corpo que não seja a sola dos pés em decorrência de um golpe do oponente (ou seja, sem ter caído sozinho), fica pendurado nas cordas sem conseguir reagir, cai do ringue em decorrência de um golpe do oponente, ou quando o árbitro constatar que ele ficou "grogue" e incapaz de continuar lutando adequadamente após um golpe do oponente, o árbitro pode abrir contagem (em tailandês). Se a contagem chegar até o número 10 sem que o lutador esteja em condições de continuar lutando, ele é considerado nocauteado, e o oponente vence a luta imediatamente. Mesmo que ele esteja claramente em condições de continuar lutando, o árbitro ainda deve, por razões de segurança, prosseguir a contagem até o número 8. Quando um lutador recebe contagem, os juízes devem anotar em seu placar o código KD, ou, se ele recebeu contagem após um golpe na cabeça, o código KD+H; um lutador com três KD ou dois KD+H é automaticamente considerado como nocauteado, sem que seja necessária a contagem. Do momento em que o árbitro começa a contagem até a hora em que a luta reinicia, o relógio fica parado - ou seja, ninguém é "salvo pelo gongo" no muay thai.

Como o muai thay possui oito pontos de contato, ele também tem uma grande quantidade de golpes válidos. Os principais golpes usados são os socos (chok) e chutes rápidos (thip), usados para desestabilizar o oponente; os socos são ao estilo dos do boxe, com a parte frontal da luva atingindo o rosto ou o tronco do oponente, enquanto os chutes rápidos são efetuados com o peito ou a sola do pé. Os chutes (te) são golpes de potência, que atingem o oponente com a canela após um giro de quadril, visando derrubá-lo. Finalmente, temos as cotoveladas (sok) e as joelhadas (ti khao), golpes de oportunismo, que buscam pegar o oponente desprevenido - aplicando uma cotovelada logo após um soco, ou uma joelhada quando ele sobe a guarda, por exemplo. A área válida para acertar o oponente com socos, cotoveladas e joelhadas inclui o rosto, peito, barriga e braços, mas não as costas, nuca ou qualquer parte abaixo da cintura; chutes e chutes rápidos, por outro lado, podem atingir qualquer parte do corpo exceto a nuca, as costas e os órgãos genitais. Para o propósito de se aplicar joelhadas, é permitido um clinch bem breve, chamado chap kho, que possui várias técnicas diferentes, sendo a mais comum entrelaçar os braços ao redor do pescoço do oponente e puxá-lo para baixo; mas, se o árbitro considerar que o clinch está levando mais tempo que o necessário, ele pode dar o comando para que os oponentes se separem, ou até mesmo advertir o que iniciou o clinch.

Torneios de muay thai são disputados no sistema de mata-mata, com os competidores sendo pareados, os vencedores avançando e os perdedores sendo eliminados; dependendo do número de participantes de um torneio, os mais bem ranqueados podem começar já na segunda ou terceira fase. Segundo as regras da IFMA, é proibido um mesmo lutador fazer mais de uma luta por dia. Diferentemente do que ocorre em outras lutas desportivas, torneios de muay thai possuem disputa da medalha de bronze, entre os perdedores das semifinais.

A IFMA está dentre as federações internacionais reconhecidas pelo COI - é a mais recente a conseguir esse feito, aliás, tendo sido reconhecida em dezembro de 2016 - e seu objetivo, como o de todas as nessa situação, é incluir o muay thai nas Olimpíadas. Para tentar convencer o COI de que isso seria um bom negócio, ela se filiou ao IWGA em 2010, e o muay thai estreou nos World Games em 2017, com oito categorias masculinas e três femininas. Atualmente, o mais importante torneio de muay thai é o Campeonato Mundial, realizado anualmente, no masculino desde 1993 e no feminino desde 2010.

0 enfiaram o nariz:

Postar um comentário