segunda-feira, 26 de setembro de 2016

The King of Fighters (II)

E hoje teremos a segunda parte da série sobre The King of Fighters!

Com a derrota de Orochi e o fim oficial da Saga de Orochi, a SNK decidiria, após seu jogo de dream match, iniciar uma nova trilogia, que se tornaria conhecida como "Crônicas da NESTS". NESTS, no caso, não é uma sigla (ou, se é, ninguém nunca se preocupou em dizer o que ela significa), e sim o nome de um cartel criminoso, cujo objetivo era derrotar os lutadores mais poderosos do planeta para, então, dominar o mundo. Por mais bizarro que isso possa parecer, a principal prática que a NESTS adotava para alcançar seus objetivos era clonar Kyo Kusanagi, usando, então, seus clones para tentar derrotar os demais lutadores.

O primeiro jogo das Crônicas da NESTS seria The King of Fighters '99: Millennium Battle, lançado em julho de 1999 para arcades, e mais tarde para Neo Geo, Playstation, Dreamcast e Windows (para esses dois últimos com o nome de The King of Fighters '99 Evolution, e com cenários redesenhados com polígonos). Ambientado dois anos após o último torneio (que, a rigor, foi KoF 97, já que KoF 98 era uma dream match), KoF 99 começa com vários lutadores recebendo convites para um torneio secreto, que promete dinheiro e glória para seu vencedor, mas na verdade, obviamente, é uma armadilha da NESTS.

KoF 99 traria uma grande novidade para o sistema de jogo, os strikers. Basicamente, cada time agora era formado não por três, mas por quatro lutadores, mas um deles seria um striker, e não participaria diretamente da luta, servindo apenas como apoio - explicando melhor, o sistema de lutas continuava exatamente o mesmo, três contra três com o seguinte entrando na luta após o anterior ser derrotado, mas, a qualquer momento, o striker podia ser chamado para aplicar um especial e sair, mais ou menos como os helpers de Marvel vs. Capcom. Cada striker podia ser chamado um número limitado de vezes por luta, representado por um número de símbolos presentes no local onde a barra de super costumava ficar. Pode parecer pouca coisa, mas, antes de cada luta, o jogador poderia escolher quais três iriam lutar e quem ficaria como striker, ou seja, o sistema abria muito mais espaço para estratégia, permitindo que o time mudasse a cada luta. O jogo dividia os lutadores em times de quatro, mas, como nos últimos jogos da série, a escolha do jogador era completamente livre, não precisando respeitar os times fixos.

Outra modificação era que KoF 99 não tinha mais o modo Extra, com os times sempre atuando no modo Advanced (que, aliás, não tinha nome, já que não era preciso escolhê-lo), mas com uma novidade: ao custo de um nível da barra de super (que agora fica na parte de cima da tela, logo abaixo da barra de energia), o personagem poderia assumir dois modos de luta temporários: o Counter, durante o qual o dano de todos os ataques ganha um bônus, e o uso de super especiais é ilimitado; ou o Armor, durante o qual o dano de todos os ataques do oponente é reduzido, mas não é permitido usar super especiais. A rolagem também passou a funcionar de forma diferente: ao invés de simplesmente rolar para trás, o personagem agora se distanciava um pouco e saltava novamente para a frente, o que permitia emendar a esquiva em um ataque.

KoF 99 tem um total de 30 personagens à disposição do jogador, sendo seis novos: K' (pronunciado "kêi-désh"), um homem sem memória que teve sua agilidade ampliada e ganhou poderes sobre o fogo após a NESTS submetê-lo a um tratamento usando genes de Kyo; Maxima, originalmente do jogo Robo Army, que teve sua força ampliada por implantes cibernéticos desenvolvidos pela NESTS, designado para ser parceiro de K' mas que acabou se tornando também seu melhor amigo; Whip, garota de passado misterioso (pois, na verdade, é um clone da irmã de K') que secretamente trabalha para a NESTS e usa como arma um chicote; Bao, o novo parceiro de Athena e Kensou, que também tem poderes psiônicos, e, graças à sua voz irritante e roupas ridículas, logo se tornaria um dos personagens mais odiados da série; Jhun Hoon, amigo e rival de Kim Kaphwan; e Li Xiangfei, de Real Bout Fatal Fury 2. Os antigos são Benimaru, Shingo, Terry, Andy, Joe, Mai, Ryo, Robert, Yuri, Takuma, Leona, Ralf, Clark, Athena, Kensou, Chin, King, Mary, Kazumi, Kim, Choi e Chang.

A princípio, Kyo e Iori não estariam no jogo, para dissociar a nova saga completamente da anterior; após os grupos de teste se mostrarem bastante insatisfeitos com a ausência, a SNK decidiria adicioná-los, mas como personagens secretos, e com Kyo ganhando um novo uniforme e novos golpes. Além deles, também seriam secretos, mas depois acabariam estando no jogo desde o início, dois clones de Kyo, Kyo-1 (que usa os golpes de KoF 94 e 95) e Kyo-2 (que usa os golpes de KoF 96 e 97). O último chefe é Krizalid, um humano artificial criado pela NESTS a partir do DNA de Kyo (tecnicamente, um clone, embora sua aparência seja totalmente diferente da de Kyo), que tem duas "formas": na primeira, ele luta usando uma jaqueta especial que analisa o oponente e registra seus golpes; na segunda, ele abandona a jaqueta, e se torna muito mais ágil e forte - como se a jaqueta tivesse repassado as informações para seu corpo.

Em janeiro de 2000, a SNK lançaria, para o Neo Geo Pocket Color, um jogo que, oficialmente, não é parte da série KoF, mas que merece ser comentado aqui. SNK Gals Fighters traz lutadoras femininas de diversos jogos da SNK, competindo em um torneio chamado The Queen of Fighters ("a rainha das lutadoras"), organizado pela misteriosa Miss X, que oferece à campeã do torneio o lendário Talismã K', capaz de realizar qualquer desejo. Assim como KoF R-1 e R-2, os gráficos de Gals Fighters são em estilo super deformed, mas as lutas são um contra um, e o jogo tem um tom bem mais humorístico que os demais jogos da SNK, como se fosse uma paródia. Em termos de jogabilidade, a principal novidade é o Pretty Burst, que gasta um nível da barra de super e realiza um efeito específico para cada personagem, como recuperar um pouco de energia ou diminuir a barra de super do oponente. Dependendo de seu desempenho nas lutas, você também pode ganhar itens que podem ser equipados às lutadoras, com efeitos como acrescentar mais níveis à barra de super ou diminuir o dano sofrido quando se bloqueia. Cada personagem conta também com uma provocação, que não tem nenhum efeito no jogo, mas traz efeitos cômicos ou fofos dependendo da personagem que está provocando.

As personagens à disposição do jogador são Mai Shiranui (que quer o talismã para desejar que Andy se case com ela), Yuri Sakazaki (cujo desejo é abrir seu próprio dojo, e tem um especial no qual Mr. Karate vem em seu auxílio lançando uma magia imensa), Athena Asamiya (que muda de roupa durante vários golpes, tem um especial no qual chama Kensou para sofrer o dano de um ataque do oponente em seu lugar, e seu desejo, acreditem ou não, é ter o cabelo comprido), Leona (cujo desejo é se livrar do sangue de Orochi), Nakoruru (que tem especiais que usam sua águia Mamahaha, seu lobo Shikurou e sua irmã, Rimururu, e deseja poder retornar para sua própria época, da qual foi trazida contra a vontade), Shermie (que deseja uma nova casa para seu hamster de estimação), Shiki (de Samurai Shodown 64, que deseja voltar a ver seu filho) e Akari Ichijo (de The Last Blade, que tem um especial no qual se transforma no oponente, podendo usar todos os seus golpes, um no qual conta com a ajuda de Chang, um no qual chama Juzoh, também de The Last Blade, para lutar em seu lugar, e ainda não conseguiu se decidir sobre qual seria seu desejo). O jogo conta ainda com duas personagens secretas, Whip, que deseja se tornar uma menina de verdade, e Yuki Kushinada, a namorada de Kyo, que até então havia aparecido apenas em cut scenes e finais dos jogos de KoF, em sua única aparição até hoje como uma personagem selecionável, e que quer o talismã para desejar o fim da rivalidade entre Kyo e Iori. A última chefe é Miss X, que, na verdade, é Iori vestido de mulher - e que não consegue enganar ninguém, já que todas percebem isso assim que a luta contra ele começa.

A história da NESTS continuaria em The King of Fighters 2000, lançado em julho de 2000 para arcades e mais tarde para Neo Geo e Dreamcast. Após os incidentes do último torneio, Heidern decide investigar a fundo a NESTS, e, com a ajuda de um antigo aliado militar, chamado Ling, decide organizar um torneio de fachada, para atrair K' e Maxima e tentar capturá-los e descobrir as reais intenções da organização criminosa.

KoF 2000 traz 34 personagens. Os antigos são Kyo, Iori, K', Maxima, Benimaru, Shingo, Leona, Ralf, Clark, Whip, Terry, Andy, Joe, Mary, Ryo, Robert, Takuma, King, Athena, Kensou, Chin, Bao, Mai, Yuri, Kazumi, Kim, Choi, Chang e Jhun. Os cinco personagens novos, por qualquer razão, não têm nenhuma história: Vanessa é uma agente secreta que luta boxe; Seth é outro agente secreto, que se parece um pouco com Mr. T; Ramon é um mexicano lutador de luta livre com um tapa olho; Lin é um ninja careca e meio psicopata; e Hinako é uma colegial que sonha se tornar uma lutadora profissional. KoF 2000 tem uma subchefe que pode ser selecionada através de um truque, Kula Diamond, que tem poderes sobre o gelo e se move como uma patinadora. O último chefe é o vice-presidente da NESTS, Zero - ou melhor, um clone de Zero com força e agilidade ampliadas.

KoF 2000 não tem nenhuma alteração na jogabilidade, exceto no sistema de strikers: agora, é possível usar um striker como parte de um combo, em conjunto com um especial (criando o equivalente a um combo duplo de Marvel vs. Capcom) e ganhar um novo uso do striker ao custo de um nível da barra de super. Mas a maior novidade do sistema de strikers está no fato de que, após escolher seu striker, você pode escolher se quer usar ele mesmo ou um "striker alternativo" (oficialmente chamado another striker), versões alternativas dos personagens do jogo ou personagens vindos de outros jogos da SNK. A lista de another strikers é bastante interessante: Syo Kirishima (o protótipo de Kyo), Vice & Mature, Another K' (K' antes do tratamento da NESTS), Rocky (de Robo Army), Another Benimaru (com os golpes de KoF 94), Kyoko (menina que se veste como Kyo e tenta imitar seus golpes), Goenitz, Yashiro, Shermie, Chris, Geese Howard, Billy Kane, Duck King, Yamazaki, Kaede (de The Last Blade), Another Robert (com os golpes de Art of Fighting), Gai Tendo (de Buriki One), King Lion (de Savage Reign), Another Athena (com a aparência do jogo Athena), Another Kensou (com a aparência do jogo Psycho Soldier), Baitang (um urso panda), Kaoru Watabe (uma colegial fã de Athena), Chizuru, Nakoruru, Li Xiangfei, Kim Sue Il (de Kizuna Encounter), Kim Dong Hwan (de Garou: Mark of the Wolves), Kim Jae Hoon (idem), Kang Baedal (de Fight Fever), Fio (de Metal Slug), Daemon, Duke (de Burning Fight), Eiji Kisaragi, Lilly Kane (a irmã caçula de Billy) e Foxy (uma agente da NESTS responsável por acompanhar Kula).

Mas, mais interessante ainda, é a lista de "strikers secretos", ou maniac strikers: Neo & Geo (de Quiz Dai Sousa-Sen), G-Mantle (um antigo mascote da SNK), Todoh (de Art of Fighting), Smart Chang (uma versão sarada de Chang), Cool Choi (uma versão mais alta e mais jovem de Choi), Saisyu Kusanagi, Another Iori (o protótipo de Iori) e Rugal. Os maniac strikers são escolhidos executando uma sequência de botões ao se selecionar o another striker, embora esse truque não funcione com todos - e por isso a lista de maniac strikers é bem menor que a de another strikers. Vale citar, por fim, que Kula jamais atua como striker; se o jogador fizer o truque de selecioná-la e escolhê-la como striker, quem atuará será sua irmã caçula, Candy Diamond.

Depois de KoF 2000, a SNK iria à falência; o jogo seguinte da série, The King of Fighters 2001, seria produzido pela Eolith, e lançado em dezembro de 2001 para arcades, só chegando em 2002 ao Neo Geo, Dreamcast e Playstation 2, para este último em uma edição que trazia tanto KoF 2000 (até então não disponível para o sistema) quanto KoF 01. A Eolith, infelizmente, não faria um trabalho inspirado, com o jogo tendo gráficos considerados inferiores aos do jogo anterior e nenhuma mudança de destaque na jogabilidade - pelo contrário, a melhor alteração de KoF 2000, os strikers alternativos, não estavam mais presentes.

A única mudança trazida por KoF 01 foi na composição dos times: assim como nos dois jogos anteriores, cada time era composto de quatro personagens, mas agora o número de lutadores e de strikers era a critério do jogador; dessa forma, era possível fazer uma equipe com quatro lutadores e nenhum striker, com três lutadores e um striker, com dois lutadores e dois strikers, ou até mesmo com um único lutador e três strikers. Assim como em Capcom vs. SNK 2, o número de lutadores no time afeta o dano que eles causam e o que eles sofrem (quatro lutadores causam pouco dano e recebem muito, enquanto um lutador causa muito dano e recebe pouco) para que as lutas ficassem equilibradas; o número de strikers, por outro lado, afetava a barra de super (que voltou para a parte inferior da tela), com equipes sem strikers tendo uma barra que enche lentamente e tem apenas um nível, enquanto times com três strikers têm uma barra que enche depressa e pode alcançar quatro níveis - usar um striker, aliás, agora gasta um nível da barra, sem usos limitados para cada striker por luta como até então. Não se sabe se propositalmente ou devido a algum bug, porém, o computador sempre lutava com times de três lutadores e um striker, ou seja, no modo para um jogador, o tamanho do time dependia exclusivamente da preferência do jogador, ficando a estratégia mais profunda restrita a lutas entre dois jogadores.

No enredo, KoF 01 fecha a história da NESTS, com um torneio organizado pelo cartel criminoso para tentar destruir os lutadores de uma vez por todas, enquanto os lutadores participam para tentar destruí-la de uma vez por todas - até dentre os fãs, as Crônicas da NESTS não são exatamente conhecidas por seu enredo profundo. O jogo traz nada menos que 40 personagens, dos quais apenas quatro são novos: May Lee, uma lutadora de taekwondo fã de Kim; Angel, uma garota parcamente vestida que tem um passado em comum com a NESTS; Foxy, em sua primeira aparição como lutadora; e K9999 (pronunciado "kay-four-nine"), um clone de Kyo que deu errado, e acabou com o poder de transformar seus braços em vários objetos. Os antigos são Kyo, Benimaru, Daimon, Shingo, K', Maxima, Whip, Lin, Iori, Vanessa, Seth, Ramon, Leona, Ralf, Clark, Heidern, Terry, Andy, Joe, Mary, Ryo, Robert, Yuri, Takuma, King, Mai, Hinako, Xiangfei, Athena, Kensou, Chin, Bao, Kim, Choi, Chang e Kula. Zero (o verdadeiro) retorna como um subchefe, com direito a três strikers: Krizalid, o leão Glaugan e o ninja Ron, rival de Lin. O último chefe é Igniz, o presidente da NESTS, que absorveu todas as informações recolhidas pelos três torneios dos quais a organização participou, se tornando superpoderoso.

Em janeiro de 2002, a Marvelous Entertainment conseguiria os direitos de KoF para lançar um jogo para o Game Boy Advance, chamado The King of Fighters EX: Neo Blood. A rigor, KoF EX é uma versão de KoF 99, com a mesma jogabilidade, mas, por alguma razão, usa os cenários e músicas de KoF 2000, e traz um conjunto de personagens próprio. Estão à disposição do jogador 18 personagens: Kyo, Benimaru, Terry, Andy, Mai, Ryo, Robert, King, Leona, Ralf, Clark, Athena, Kensou, Bao, Kim, Chang, Choi e Moe Hachibana, uma personagem exclusiva, uma fã de Kyo que luta com um estilo parecido com o da Sakura da série Street Fighter. Qualquer um deles pode ser escolhido como striker, mas o jogo ainda traz dez strikers "exclusivos", personagens que só podem ser escolhidos como strikers, nunca para lutar: Shingo, Joe, Yuri, Whip, Chin, Jhun, K', Maxima, Vanessa e Yamazaki (esses quatro últimos são secretos, e são liberados após se concluir o jogo sob certas condições). O último chefe é Geese, e Iori é o subchefe, sendo que ambos também passam a ser selecionáveis após se concluir o jogo sob certas condições. KoF EX é uma dream match, ou seja, nada de enredo. Com especiais extremamente difíceis de serem executados e inteligência artificial que não sabia bem o que estava fazendo, o que o tornava fácil demais, o jogo não seria exatamente um sucesso nem de público nem de crítica.

Assim como a SNK fez em sua primeira saga, a Eolith decidiria encerrar a segunda com uma dream match. Assim surgiria The King of Fighters 2002: Be the Fighter (The King of Fighters 2002: Challenge to Ultimate Battle no Japão), ou simplesmente KoF 02, lançado em outubro de 2002 para arcades e mais tarde para Neo Geo, Dreamcast, Playstation 2 e Xbox. Sendo uma dream match, KoF 02 não possui história, e simplesmente coloca todos os lutadores das Crônicas da NESTS para lutar uns contra os outros - e contra alguns convidados da Saga de Orochi.

KoF 02 abandonaria o sistema de strikers de vez, retornando às lutas de três contra três usadas até KoF 98. A barra de super, por outro lado, traria novidades: ela continua enchendo conforme o personagem ataca e usa especiais, mas, agora, seu número máximo de níveis depende de em que posição o personagem está lutando - o que luta primeiro tem direito a três níveis, o segundo, quatro, e o terceiro, cinco. Além de para usar um super especial, um nível da barra pode ser usado para um movimento especial de esquiva e contra-ataque enquanto o personagem estiver sofrendo um combo, ou para acionar o modo MAX, durante o qual o dano causado pelo personagem é maior, o sofrido é menor, e super especiais podem ser usados livremente. O jogo também trazia especiais MAX, que só podiam ser usados em modo MAX, mas gastavam um nível a mais da barra, e especiais MAX2, que gastavam dois níveis a mais - ou seja, para usar um especial MAX2, é preciso ter no mínimo três níveis da barra.

KoF 02 tem 39 personagens disponíveis desde o início (Kyo, Benimaru, Daimon, Terry, Andy, Joe, Ryo, Robert, Takuma, Leona, Ralf, Clark, Athena, Kensou, Chin, Mai, Yuri, May Lee, Kim, Chang, Choi, Iori, Mature, Vice, Yamazaki, Mary, Billy, Yashiro, Shermie, Chris, K', Maxima, Whip, Vanessa, Seth, Ramon, Kula, K9999 e Angel) e 4 secretos (Orochi Yashiro, Orochi Shermie, Orochi Chris e Kusanagi, que é Kyo com a aparência e os golpes de KoF 94), com Omega Rugal sendo mais uma vez o último chefe. As versões Playstation 2 e Xbox tinham três personagens secretos a mais (Geese, Goenitz e Orochi Iori), enquanto a versão Dreamcast tinha cinco personagens a mais desde o início (os três das versões Playstation 2 mais Shingo e King).

Em 2009, motivada pelo sucesso de The King of Fighters '98: Ultimate Match, a SNK lançaria The King of Fighters 2002: Unlimited Match, para Playstation 2 e Xbox 360. Essa versão trazia novos gráficos para todos os personagens e cenários, trilha sonora remasterizada, e novos especiais, incluindo MAX2, para diversos personagens; a principal novidade, entretanto, era a adição de 14 novos personagens desde o início do jogo (King, Shingo, Geese, Goenitz, Foxy, Hinako, Lin, Jhun, Xiangfei, Bao, Kasumi, Heidern, Kyo-1 e Kyo-2), cinco secretos (Omega Rugal, Krizalid, Clone Zero, Zero e Igniz) e quatro "supersecretos" (Kensou de Psycho Soldier, Takuma e Robert de Art of Fighting 2 e Geese de Real Bout Fatal Fury Special). Além desses personagens todos, Unlimited Match ainda trazia um personagem chamado Nameless ("sem nome", em inglês), que, na verdade, era K9999 (que não estava presente no jogo) com uma nova aparência e novos golpes - motivado por um processo movido contra a Eolith pela Kodansha, detentora dos direitos do mangá Akira (famoso aqui no Brasil graças ao anime em longa-metragem), que considerou K9999 plágio do personagem Tetsuo (que, diga-se de passagem, realmente tem a mesma aparência e mesmo poderes, e ainda por cima tem sua voz em KoF 01 e 02 dublada pelo mesmo ator que dubla Tetsuo no anime).

Em janeiro de 2003 seria lançado mais um jogo de Game Boy Advance pela Marvelous Entertainment, The King of Fighters EX2: Howling Blood. A Marvelous corrigiria os problemas encontrados no primeiro jogo, e KoF EX2 seria considerado o melhor de todos os jogos de luta lançados para o GBA. Dessa vez o jogo tem uma história própria, que mistura as duas sagas, com um executivo da NESTS chamado Gustav Munchausen tentando obter o poder de Orochi e manipulando um jovem chamado Sinobu, que tem os mesmos poderes de Goenitz, para que ele enfrente os demais lutadores. Assim como em KoF EX, a jogabilidade é a mesma de KoF 99, mas os cenários e músicas são os mesmos de KoF 2000. KoF EX2 também seria lançado para o N-Gage, o videogame portátil da Nokia, com o nome de The King of Fighters Extreme.

KoF EX2 traria 21 personagens à disposição do jogador, sendo três novos: Miu Kurosaki, colegial gótica que tem o poder de controlar corvos; Jun Kagami, dançarina que deseja o poder de Orochi, e para isso tenta seduzir Iori; e Reiji Ogami, enviado por Chizuru para investigar Munchausen, que luta incentivado por sua filhinha, que assiste às lutas no cenário e corre para abraçá-lo quando ele vence e consolá-lo quando perde. Os antigos são Kyo, Moe, Terry, Andy, Mai, Leona, Ralf, Clak, Kim, Chang, Choi, Athena, Kensou, Bao, Ryo, Yuri, Takuma e Iori. Não há strikers exclusivos, e todos os 21 podem ser usados como strikers. O último chefe é Sinobu, que pode ser selecionado com um truque.

Depois de KoF 02, a SNK ressurgiria das cinzas como SNK Playmore. Seu primeiro jogo de KoF lançado após o retorno seria The King of Fighters 2003, lançado em dezembro de 2003 para arcades e Neo Geo, e mais tarde para Playstation 2, Playstation 3 e Xbox. KoF 03 iniciaria uma nova saga, à qual não foi dado nome oficial pela SNK, mas que ficaria conhecida pelos fãs como "Saga dos Tesouros Sagrados" ou "Saga de Ash"; nela, o filho de Rugal planeja ressucitar Orochi, tomar para si seus poderes e usá-los para se vingar daqueles que derrotaram seu pai; seu principal oponente, entretanto, não será Kyo, e sim o jovem Ash Crimson - oficialmente, segundo a SNK, o novo protagonista de KoF. Andrógino (eu mesmo, durante anos, achei que fosse uma mulher) e sempre com uma cara de quem está lutando porque não tem nada melhor o que fazer, Ash nunca caiu verdadeiramente nas graças dos fãs, sendo seu protagonismo considerado forçado por grande parte dos jogadores.

KoF 03 traz 32 personagens à disposição do jogador; os novos, além de Ash, são Duolon, morto-vivo do mesmo clã de Lin e que usa uniforme parecido com o de Foxy, que se alia a Ash por um motivo que só ele sabe qual é; Shen Woo, que tem o poder de controlar o fogo, e se alia a Ash por uma promessa que este o fez mas ninguém sabe qual é; Malin, colegial que traz várias armas escondidas em seu uniforme; e mais Tizoc e Gato, ambos de Garou: Mark of the Wolves. Os antigos são Terry (pela primeira vez com a roupa que usa em Garou: Mark of the Wolves ao invés da de Fatal Fury), Joe, Ryo, Robert, Yuri, Kim, Chang, Jhun, Leona, Ralf, Clark, Kyo, Iori, Billy, Yamazaki, King, Mai, Mary, Benimaru, Shingo, Daimon, Hinoko, Athena, K', Maxima e Whip. Kusanagi e Chizuru são sub-chefes e podem ser selecionados com truques, sendo que Chizuru luta acompanhada pelo fantasma de sua irmã gêmea, Maki. O último chefe, para todos os efeitos, é Adelheid Bernstein, ou simplesmente Adel, o filho de Rugal, mas, se você tiver um bom desempenho durante as lutas, ganhará o direito de enfrentar o verdadeiro último chefe, Mukai, demônio que pertence a uma raça conhecida como Those From the Past ("aqueles do passado"), que precisa dos poderes combinados de Kyo, Iori e Chizuru (aos quais o jogo se refere como "os três Tesouros Sagrados", daí o nome da saga) para quebrar o selo que prende Orochi, e influencia a mente de Adel para que ele realize o torneio e os atraia.

A maior novidade de KoF 03 é que, sob influência de Marvel vs. Capcom, pela primeira vez é possível trocar de lutador durante a luta - mas com restrições. Como de costume, o jogador escolhe três personagens e a ordem na qual eles lutarão, sendo que, como em KoF 02, o primeiro tem direito a três níveis da barra de super, o segundo, quatro, e o terceiro, cinco; dessa vez, entretanto, durante a luta, pode surgir imediatamente acima de barra de super a frase "Change OK". Quando isso acontece, é possível fazer duas coisas, um Quick Shift ou um Switch-Off Attack, sendo que ambos trazem um dos personagens "reservas" para a luta, substituindo o que está lutando, com a diferença de que, no Switch-Off Attack, que gasta um nível da barra, o reserva entra executando um especial, enquanto no Quick Shift, que não gasta níveis, ele simplesmente entra na luta. De qualquer forma, o personagem que sai continua com a energia que estava, e o jogo continua com as mesmas regras: quando o personagem que está na tela é derrotado, o oponente ganha um pouco de energia, e o seguinte entra. Não há limite de vezes para se trocar de personagem, mas um "round" sempre termina e outro começa quando um deles é derrotado.

Os golpes MAX não existem mais, mas, para compensar, o primeiro personagem já começa a luta com os três níveis de sua barra de super cheios. Outra novidade é que, antes de cada luta, você pode definir qual será o líder do grupo (que não necessariamente será o primeiro a lutar), e esse personagem será o único que poderá usar um golpe chamado Leader Super Special Move, que gasta dois níveis da barra de super.

KoF 2003 seria o último jogo da série a trazer seu ano de lançamento em seu título, procedimento que a SNK Playmore adotaria para não ser "obrigada" a lançar um novo jogo por ano. Também seria o último a ser lançado para a placa AES, a placa de arcades criada pela SNK e usada para os jogos de Neo Geo; em 2004, a AES já era considerada ultrapassada, e, para seus próximos lançamentos, a SNK Playmore procuraria fazer acordos com fabricantes de placas mais modernas.

Mas isso é história para o terceiro e último post da série, que veremos por aqui em breve!

0 enfiaram o nariz:

Postar um comentário