segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Kamen Rider (I)

Desde que decidi completar a série dos Metal Heroes, lá em julho de 2010, fiquei com vontade também de falar sobre as demais séries do Kamen Rider. Afinal, quando falei sobre o Cavaleiro Mascarado, fiz um post genérico, no qual falava somente sobre as duas primeiras séries e sobre as duas de Kamen Rider Black, apenas citando as outras. Na época, isso me pareceu uma boa ideia, mas, depois, passou a me incomodar um pouquinho.

Se eu quisesse fazer uma série sobre os Kamen Riders, entretanto, teria de enfrentar alguns problemas. Primeiro, eu não tinha como transformar aquele post no primeiro da série e continuá-lo em um seguinte, como fiz com os sentai. Segundo, os Kamen Riders, além de muitas séries, têm também muitos filmes, sendo que alguns deles, como Kamen Rider J e Kamen Rider ZO, só aparecem nos filmes. Terceiro, os Kamen Riders, assim como os sentai, ainda estão em atividade, o que significa que todo ano sai um Kamen Rider novo, e provavelmente minha série jamais estaria completa.

Para falar a verdade, o segundo e o terceiro problemas são até fáceis de se resolver, o primeiro é que era o mais chato. Essa semana, decidi resolvê-lo de uma forma inédita: "cancelei" o post original do Kamen Rider, substituindo-o por um tapa-buraco, e vou recomeçar do zero aqui, aproveitando algumas partes do que eu já tinha escrito.

Assim, no mesmo esquema de sempre, alternando com outros assuntos para não encher o saco de ninguém, começa hoje uma série de posts sobre as séries estreladas por um Kamen Rider, no mesmo estilo das dos sentai, dos Metal Heroes e dos heróis clássicos da Toei. Se ela vai se encerrar no último Kamen Rider disponível ou se alongará depois, como a dos sentai, eu deixo para resolver mais tarde. Por ora, fiquemos com os Kamen Riders clássicos!

Kamen Rider
1971


As primeiras séries de Tokusatsu produzidas eram praticamente cópias de super-heróis americanos, onde um humano por acidente ganhava incríveis poderes e passava a utilizar um uniforme e máscara para combater o mal; ou um alienígena vinha parar por qualquer motivo em nosso planeta e decidia se tornar um herói. Mais tarde, surgiram os chamados Kaijuu ("monstros gigantes"), onde um monstro gigante ameaçava Tóquio (ou outra cidade qualquer), e outro monstro gigante surgia para combatê-lo, no estilo Godzilla. No meio da década de 60, os Kaijuu ganharam um novo elemento: ao invés de um monstro combater outro, era um herói quem expulsava o monstro de nosso planeta. Primeiro com Ultra-Q, onde os heróis eram detetives humanos comuns, que se valiam de inteligência e aparatos tecnológicos; depois com heróis como Ultraman e Spectreman, que tinham a capacidade de crescer até a altura do monstro para melhor meter-lhe a porrada. Com a incrível popularidade dos Kaijuu, os seriados de heróis mascarados foram relegados a segundo plano, quase desaparecendo por completo.

No finzinho da década de 60, a Toei decidiu ressucitar o gênero, e reuniu um time de roteiristas para criar novos heróis mascarados. Após serem produzidas algumas séries, um dos roteiristas, Shotaro Ishinomori, decidiu criar um herói que pudesse se "transformar", ganhando incríveis poderes, e retornando a ser apenas um humano comum quando não estivesse "transformado", algo como o Ultraman, mas de estatura humana. Ele criou um uniforme de esqueleto para este herói, que decidiu chamar de Kamen Rider Skullman. Antes de começar a produção da série, Ishinomori criou diversas variações para o uniforme, até que uma, que havia ficado parecida com um gafanhoto, agradou bastante ao seu filho de cinco anos. Ishinomori então decidiu fazer um uniforme de gafanhoto, e mudar o nome do herói para Kamen Rider Hopper King (algo como o "Cavaleiro Mascarado Rei dos Gafanhotos"). Sabiamente, a Toei decidiu encurtar o título para apenas Kamen Rider.

O primeiro episódio de Kamen Rider foi ao ar em abril de 1971, na TV Asahi. Inicialmente, não fez muito sucesso, pois a popularidade ainda estava com os Kaijuu. No episódio 13, porém, ocorreu algo no melhor estilo "há males que vêm para bem": o ator que interpretava o Kamen Rider sofreu um acidente durante as filmagens, que resultou em múltiplas fraturas. Sem poder filmar com ele por um longo tempo, a Toei optou por uma estratégia arriscada: fez com que entrasse na série um segundo Kamen Rider (conhecido extra-oficialmente como Kamen Rider 2), que protegeria o Japão enquanto o primeiro (que, na verdade, estava todo quebrado) iria combater os vilões na Suíça. Por algum motivo, depois da entrada do segundo Kamen Rider, a audiência cresceu assustadoramente, e Kamen Rider se tornou um fenômeno - tanto que, no episódio 40, o Kamen Rider original (já recuperado), retornou da Suíça e passou a lutar ao lado de seu sucessor, criando a primeira dupla de heróis mascarados da história do Tokusatsu.

A história de Kamen Rider é até meio ingênua: o biólogo e professor Takeshi Hongo é capturado por uma organização criminosa chamada Shocker, que faz em seu corpo diversas cirurgias para transformá-lo em um híbrido de homem e gafanhoto, buscando fazer dele um soldado perfeito a seu serviço. Antes que a Shocker pudesse fazer uma cirurgia em seu cérebro para transformá-lo em seu escravo, porém, Hongo é salvo pelo Dr. Midorikawa, um cientista que havia sido sequestrado pela Shocker e obrigado a trabalhar no projeto, e que acaba sendo morto por sua traição. Hongo descobre que, se correr contra o vento com sua motocicleta, chamada Cyclone, bem rápido, o vento o transformará no Kamen Rider, e decide usar seus novos poderes para combater a Shocker e impedir que ela sequestre e opere mais pessoas. Mas mais curiosa ainda é a história do Kamen Rider 2: a Shocker decidiu capturar o cameraman Hayato Ichimonji, para fazer nele a mesma operação que fez em Hongo, e criar a arma perfeita contra seu principal inimigo, o Kamen Rider original. Antes que a Shocker pudesse operar o cérebro de Hayato, porém, o Kamen Rider original surge e o salva, recrutando-o para o lado do bem. Se eu fosse a Shocker, passaria a operar o cérebro primeiro.

Como é comum em tokusatsu, Hongo e Hayato não combatem a Shocker sozinhos, tendo vários aliados humanos, como Tobei Tachibana, o chefe da equipe de corridas de Hongo, que também conta com as moças Mari, Yuri e Michi, e com o menino intrometido - também um personagem comum em tokusastu - Goro; Kazuya Taki, um agente do FBI especialista em artes marciais designado para investigar as atividades da Shocker no Japão; e Ruriko Midorikawa, filha do cientista, que a princípio culpa Hongo pela morte de seu pai, mas mais tarde se une a ele e a Hayato na luta contra os vilões.

Os vilões da série pertencem à Shocker, uma organização terrorista que planeja dominar o mundo através do uso de ciborgues. Seu líder é conhecido apenas como Grande Líder, um ser que raramente é visto, aparecendo apenas por detrás de sombras. O segundo em comando é o General Zol, um lobisomem nazista (?) mestre dos disfarces e poderoso o suficiente para enfrentar o Kamen Rider 2 em um combate corpo a corpo. Outros membros de destaque incluem o Dr. Shinigami, principal cientista da corporação, e que na verdade é um demônio chamado Ikadevil, capaz de assumir aparência humana; e o Embaixador Hell, que usa como arma um chicote e tem a habilidade de se transformar no mostro Garagaranda. Os ciborgues usados pela Shocker em seus planos são conhecidos como Kaijin, e cada um deles é criado unindo as características de humanos e animais. Finalmente, há os Combatmen, os soldados capengas que apanham dos Kamen Riders a cada episódio.

Ao todo, Kamen Rider teve 98 episódios, sendo exibido até fevereiro de 1973, se tornando a mais longa série de Tokusatsu a ir ao ar até hoje, e criando um novo estilo, os Henshin Heroes, ou "heróis que se transformam", que substituiria o Kaijuu de vez na preferência do público a partir do meio da década de 70. Hoje, Kamen Rider é considerado um dos personagens mais icônicos do Japão, tão popular por lá quanto Mickey Mouse nos Estados Unidos - ao ponto de um planeta descoberto por um astrônomo japonês ter sido batizado com o nome de 12796-Kamenrider.

Além desses 98 episódios, Kamen Rider também seria a estrela de um mangá, publicado na revista Shonen Magazine entre 1971 e 1973, e de quatro filmes para o cinema. O primeiro, chamado Go Go Kamen Rider e lançado ainda em 1971, era apenas uma versão estendida do episódio 13. O segundo, Kamen Rider vs. Shocker, lançado em 1972 já traria uma história inédita: um cientista de nome Professor Daidouji inventa uma máquina capaz de alterar a gravidade, que a Shocker planeja roubar. Os planos da máquina estão escondidos com sua filha, que passa a ser o alvo dos vilões, e deve ser protegida pelos Kamen Riders. No terceiro filme, também de 1972, Kamen Rider vs Ambassador Hell, Hongo e Taki fingem suas mortes e se disfarçam de soldados da Shocker, para invadir a base dos vilões e impedir que o Embaixador Hell use um laser gigante para destruir as principais cidades do Japão.

O quarto filme seria lançado apenas em 2005, com o título de Kamen Rider THE FIRST (assim mesmo, em maiúsculas). Esse filme é uma espécie de reboot da série, trazendo a história para o Século XXI. Assim como na série, a organização crimonosa Shocker, liderada pelo Grande Líder e sob o comando do Dr. Shinigami, sequestra pessoas para criar seus ciborgues (agora chamados de Inumanoides), que usará para dominar o mundo. Um dos sequestrados é o estudante Takeshi Hongo, que é transformado no Inumanoide Hopper. Em sua primeira missão, Hopper e um Inumanoide chamado Spider atacam a jornalista Asuka Midorikawa e seu noivo, Katsuhiko Yano, testemunhas de uma ação criminosa da Shocker, que devem ser eliminados. Durante o ataque, Hopper revela resquícios de sua humanidade e se recusa a continuar, atacando Spider. Infelizmente, Yano é morto na luta, e Asuka culpa Hopper por isso. Fugindo da Shocker, Hopper decide mudar seu nome para Kamen Rider, e usar seus poderes para combater os vilões e impedir que eles causem mais mortes.

Para destruir o Inumanoide renegado, a Shocker pega o corpo de Yano e o transforma em um segundo ciborgue chamado Hopper, que, em sua forma humana, assume o nome de Hayato Ichimonji. Esse Hopper, então, passa a caçar Kamen Rider, enquanto os outros Inumanoides da Shocker, chamados Bat, Cobra e Snake, levam adiante as missões da organização. O segundo Hopper, porém, também acaba se voltando contra a Shocker, assumindo o nome de Kamen Rider 2 e lutando ao lado do original, depois que os vilões tentam sequestrar Asuka, pela qual ele ainda é apaixonado, para transformá-la em um Inumaoide. No final, os Kamen Riders conseguem destruir a base da Shocker, mas o Dr. Shinigami, junto com suas assistentes Lady e Youth, foge.

Mais ou menos o mesmo final da série, no qual também não fica claro se o Grande Líder morreu ou fugiu. Com o propósito, evidentemente, de usar a grande popularidade do Kamen Rider para faturar em cima de sequências.

Kamen Rider V3
1973


Na semana imediatamente seguinte ao último episódio de Kamen Rider, foi ao ar o primeiro episódio de Kamen Rider V3, a segunda série de muitas que viriam. Kamen Rider V3 foi tão grudado em Kamen Rider que muitos consideram que seus dois primeiros episódios são, na verdade, os episódios 99 e 100 da série original. Nesta nova série, surge uma nova organização criminosa, a Destron, secretamente comandada pelo Grande Líder da Shocker, que não havia morrido.

Depois que o biólogo Shiro Kazami testemunha uma ação crimonosa da organização, a Destron mata toda a sua família, mas ele é salvo pelos Kamen Riders, e pede para que eles o transformem também em um ciborgue, com o intuito de que ele combata a Destron e vingue sua família. Os Kamen Riders não desejam esta triste sina a seu amigo, mas ele insiste em lutar ao seu lado. Durante um novo ataque, Shiro praticamente se sacrifica para salvar os Kamen Riders, ficando entre a vida e a morte. Sem escolha, eles decidem operá-lo, transformando-o no Kamen Rider V3, que possui os poderes de Kamen Rider e de Kamen Rider 2 somados.

Assim como o Kamen Rider original, V3 possui uma motocicleta, chamada Hurricane, e tem como mentor Tobei Tachibana, que o acolhe em sua equipe de corridas. Outros aliados incluem Junko Tama, uma garota apaixonada por Shiro, mas que ele mantém afastada, com medo de que a Destron a faça mal por ele ser o Kamen Rider V3; os Kamen Rider Scouts, um grupo de meninos e meninas do qual faz parte o irmão de Junko, Shigeru, com membros espalhados por todo o Japão, e que possuem rádios com os quais podem se comunicar com V3 caso descubram alguma identidade suspeita da Destron; e o agente da Interpol Ken Sakuma, que busca desmantelar a Destron e vingar seus colegas mortos pela organização. Mas o aliado mais curioso é Riderman, na verdade o cientista Jouji Yuki, ex-membro da Destron, que, depois de ter seu braço destruído por um dos monstros da organização, decide substituí-lo por um braço mecânico que lhe confere alguns poderes, se fantasiar de Kamen Rider e mudar de lado, combatendo a Destron ao lado de V3. Riderman se tornou um dos personagens mais populares da série, e chegou a ser batizado honorariamente como "Kamen Rider 4" por V3.

A Destron, assim como a Shocker, é uma organização terrorista que planeja dominar o mundo usando ciborgues. Seu líder é o mesmo Grande Líder da Shocker, que sobreviveu à investida final dos Kamen Riders. Os principais membros da Destron são o Dr. G, que, apesar do nome, não é um cientista, mas um general, usando uma armadura medieval e tendo como armas um machado, uma espada e uma adaga; o Barão Kiba, um feiticeiro africano que porta uma lança mágica; o Arcebispo Tsubasa, que também não tem nada a ver com a Igreja, sendo um monge tibetano; e o Marechal Yoroi, o mais poderoso de todos, que surge apenas no penúltimo episódio, portando uma enorme maça e com poderes mágicos.

Kamen Rider V3 também estrelou uma mangá, publicado na mesma Shonen Magazine e também agarrado no do Kamen Rider original, entre 1973 e 1974, e três filmes para o cinema. O primeiro, chamado simplesmente Kamen Rider V3, era uma versão estendida do episódio 2; o segundo, Kamen Rider V3 vs. Destron Mutants, leva Kamen Rider V3 ao resgate do cientista Tetsuo Okita, descobridor de um novo mineral que pode ser usado para poderosas bombas, sequestrado pela Destron por causa disso. Ambos os filmes estrearam em 1973.

O terceiro filme estrearia apenas em 2007, com o nome Kamen Rider THE NEXT, e seria uma continuação de THE FIRST, além de um reboot da série para o século XXI. Os vilões não são a Destron, mas ainda a Shocker, e Shiro é o jovem presidente de uma empresa de TI e irmão da estrela da música pop Chiharu. Shiro é sequestrado pela Shocker, que tenta também sequestrar Chiharu, que é salva pelos Kamen Riders. Shiro é transformado em ciborgue e enviado para destruir os Kamen Riders, mas seu amor pela irmã faz com que ele mude de lado e passe a combater os vilões.

Kamen Rider V3 não fez tanto sucesso quanto a série anterior, principalmente por ter roteiros considerados muito confusos. Supostamente, os Kamen Riders originais morreram durante uma explosão no episódio 2, mas eles voltam a aparecer no episódio 33. Além disso, várias subtramas são abandonadas sem explicação, e vários membros da Shocker ressucitavam sem motivo aparente. Apesar disso, os capítulos finais da série são considerados dentre os melhores de todos os Kamen Riders - e seriam responsáveis pela luz verde para a criação de uma nova série do Cavaleiro Mascarado, que estrearia no ano seguinte, a qual veremos no próximo post dessa série!

2 enfiaram o nariz:

Juliano Desanti disse...

seu blog é sensacional, digo isso pela riqueza dos seus posts, pela profundidade que você consegue chegar em cada assunto, meus parabéns

obs: achei seu blog por uma pesquisa que realizei no intuito de me informar mais sobre a bibliografia de Arnold Schwarzenegger. Em português não tenha duvidas que seu post sobre Arnold é o melhor que se pode encontrar online.

1:55 AM
Guil disse...

Muito obrigado, Juliano! É muito bom saber que o trabalho que eu tenho para fazer esses posts compensa! :)
Abraços!

11:24 AM

Postar um comentário