segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Megaman ZX

Como eu disse aqui mês passado, no post sobre Megaman Legends, Megaman já não tem mais cinco séries, mas sete. Isso porque, também como eu disse mês passado, a Capcom aparentemente tem uma necessidade patológica de inventar moda quando chega a hora de lançar um jogo de Megaman para um novo sistema. No caso, quando chegou a hora de levar Megaman para o Nintendo DS, ao invés de prosseguir com as séries que ela havia criado especificamente para o Game Boy Advance, Megaman Battle Network e Megaman Zero, ela decidiu inventar duas novas, Megaman ZX e Megaman Star Force.

Minha principal reclamação a respeito dessas duas séries é que elas simplesmente não têm Megaman. Ok, Megaman Battle Network tem um Megaman de um universo alternativo, e em Megaman Zero ele é um vilão e quase não aparece, mas até aí eu posso aturar - como até posso aturar um outro sujeito de aparência parecida e apenas chamado Megaman, como em Megaman Legends. O problema é que, tanto em Megaman ZX quanto em Megaman Star Force, os protagonistas são humanos que, por razões quaisquer, se fundem com máquinas e passam a ser chamados por todo mundo de "Megaman". Aí já é mais do que eu posso aturar.

Ainda assim, Megaman ZX não é de todo ruim. É mais ou menos como um jogo de Wario: ele tenta ser um jogo de Mario, você vê que aquele sujeito ali claramente não é o Mario, mas nem por isso o jogo passa a não prestar. Megaman ZX tem seus próprios méritos, mesmo que seu principal demérito seja tentar nos convencer que dois humanos - um deles uma garota - também são "Megaman".

Pois bem, mais uma vez como eu disse mês passado, como eu estou fazendo vários posts sobre spin offs de Mario, achei que não custava nada fazer alguns sobre spin offs de Megaman também. O primeiro foi aquele sobre Megaman Legends. O segundo será esse aqui, sobre Megaman ZX.

Modelo XMegaman ZX foi o primeiro jogo "de Megaman" (com todas as aspas possíveis) lançado pela Capcom para o Nintendo DS, no ano 2006. Ele é uma continuação de Megaman Zero, produzido pela mesma equipe, com gráficos no mesmo estilo e seguindo o mesmo enredo. Ambientado 200 anos após a morte do Dr. Weil, que ocorreu em Megaman Zero 4, o jogo se passa em um mundo pacificado, onde humanos e reploids (os robôs do jogo) finalmente vivem em paz. Essa paz, porém, não é total: os Mavericks (os robôs "maus") ainda são uma ameaça bem real, à espreita em diversas partes do planeta.

Por causa da ameaça dos Mavericks, o mundo acabou dividido em duas áreas distintas, chamadas Innerpeaces ("paz interior") e Outlands ("terras exteriores"). Nas Outlands está a maior parte das relíquias do passado, mas a maioria dos robôs encontrados lá são Mavericks, o que torna o lugar perigoso para humanos e reploids. As Innerpeaces são cidades-estado sem qualquer tipo de violência, onde humanos e reploids podem viver tranquilamente graças aos esforços da Slither Inc, uma megacorporação que desenvolve tecnologia a partir de artefatos recuperados das ruínas das Outlands. Nas regiões de fronteira, a paz é mantida a duras penas pelos Guardiães, uma organização paramilitar que combate os Mavericks e tenta descobrir as causas de seus ataques.

Os protagonistas do jogo são dois irmãos órfãos, um menino e uma menina, chamados Vent e Aile. Dez anos antes do início do jogo, sua mãe foi morta em um ataque de Mavericks, e eles foram criados por Girouette, dono de uma empresa de entregas, a Giro Express. Agora que são adultos, eles trabalham para a Giro, fazendo entregas em diversos pontos do planeta. A vida dos dois muda quando eles são designados para entregar um raro Biometal Modelo X em uma floresta.

Enquanto esperam a pessoa que virá buscar o pacote, Vent e Aile são atacados por Mavericks, e acabam conhecendo Prairie, líder dos Guardiães. Durante o ataque, o Biometal Modelo X se funde com Vent/Aile, transformando-o/a em Megaman X. Graças ao poder do Biometal, Vent/Aile derrota os Mavericks, e Prairie, agradecida e impressionada, permite que os irmãos fiquem com o artefato.

Quando retornam para se encontrar com Girouette, os irmãos descobrem que ele também possui um Biometal, Modelo Z, e que, com ele, pode se transformar em, adivinhem, Megaman Z. Eles também conhecem o presidente da Slither Inc, Serpent, e seus dois guarda-costas, Prometheus e Pandora. Por um acaso, Serpent também tem um Biometal, o Modelo W (com o qual se transforma em, surpresa, Megaman W), e está colocando um plano maligno em prática: aparentemente, apenas pessoas que sobreviveram a ataques de Mavericks conseguem se unir aos Biometais e se transformar em Megaman. Além disso, apenas pessoas específicas conseguiriam se unir a alguns Biometais, o que explica por que Prairie permitiu que Vent/Aile ficasse com o Modelo X. Serpent planeja matar todos aqueles capazes de se unir aos Biometais, e então encontrar o núcleo do Modelo W, a reserva de todo o biometal desse tipo, perdido em algum lugar do planeta, para se tornar o Megaman mais poderoso do universo. Como seu primeiro ato na concretização desse plano, ele decide matar Girouette, dono do Modelo Z.

Antes de morrer, porém, Girouette passa o Modelo Z para os irmãos, e algo estranho acontece: o Modelo Z e o Modelo X se combinam com Vent/Aile simultaneamente, transformando-o/a em Megaman ZX. Com o novo poder de Megaman ZX, eles partem para encontrar os outros quatro Modelos de Biometal existentes e derrotar Serpent, antes que ele consiga concretizar seu plano.

Existe uma razão para que eu fique escrevendo Vent/Aile: no início do jogo, você escolhe jogar com um dos dois, e, teoricamente, apenas o que você escolheu é que se unirá com o Modelo X. Teoricamente porque o outro desaparece completamente do jogo, e só não se assume que ele morreu no ataque dos Mavericks porque ele aparece de novo em algumas cut scenes do jogo. O enredo avança da mesmíssima forma independente de qual personagem você escolha, o que significa que escolher entre Vent ou Aile é apenas uma questão de preferência em se jogar com um menino ou uma menina.

A jogabilidade de Megaman ZX é semelhante à de Megaman Zero, com algumas diferenças, sendo a principal delas a de que todas as fases pertencem a um único e gigantesco mapa. Em determinados momentos do jogo, você poderá escolher entre diversas missões para cumprir; o jogo te dirá onde você deve ir, mas não te transportará diretamente para lá, o que significa que você deverá sair da base e chegar até o local onde deverá cumprir a missão passando pelo que quer que exista no meio do caminho. Além dessa gigantesca fase, o jogo conta com várias cut scenes, a maioria delas com diálogo, curiosamente legendado, com o áudio em japonês não tendo sido dublado na versão norte-americana. A ação acontece somente na tela de cima, com a touchscreen do DS mostrando apenas mapas e outras informações.

Modelo ZXO principal diferencial do jogo em relação a outros de Megaman está justamente nos Biometais. Biometais são artefatos de grande poder, capazes de se unir a pessoas e transformá-las em híbridos huamano/reploid conhecidos como Megamen, através de um processo chamado "megamerging". No início do jogo, Vent e Aile recebem, acidentalmente, o Modelo X, inspirado em Megaman X, que lhes confere um canhão capaz de concentrar tiros e armazenar até dois tiros concentrados. Girouette é o detentor do Modelo Z, inspirado no Zero de Megaman X, capaz de usar a espada Z-Saber. Vent e Aile não podem se unir ao Modelo Z sozinho, mas podem se unir ao Modelo Z e ao Modelo X simultaneamente, criando o Modelo ZX, inspirado no Zero de Megaman Zero, capaz de usar o canhão e a Z-Saber ao mesmo tempo, mas não de concentrar tiros. Depois que criam o Modelo ZX, Vent e Aile também não podem mais usar o Modelo X sozinho, e ele passa a ser um Modelo secreto, obtido após o jogador terminar o jogo com ambos os personagens. Vent e Aile podem "vestir" e "tirar" o Modelo ZX - e os demais Modelos do jogo, após conseguirem acesso a eles - a qualquer momento; quando não estão "usando" Modelo nenhum, eles não podem usar armas, dar dash ou escalar paredes, mas também não chamam a atenção de personagens controlados pelo jogo - alguns inimigos só atacarão caso eles estejam usando um Modelo, e alguns personagens só falarão com eles se não estiverem usando nenhum - além de poderem engatinhar e nadar - sem um Modelo, Vent e Aile boiam na água; com um, afundam e têm de caminhar pelo fundo.

A principal missão de Vent e Aile é encontrar os outros quatro Modelos, que são baseados nos vilões de Megaman Zero. O modelo H, por exemplo, é baseado em Harpuia, e tem o poder elemental da eletricidade, o que significa que seus tiros podem ser usados para atordoar inimigos e ativar equipamentos. Com ele, Vent e Aile podem se transformar em Megaman HX, que pode dar dashes no ar, inclusive diretamente para cima, flutuar por alguns instantes, tem como arma duas espadas, um tiro concentrado teleguiado e um ataque especial que lança um furacão. Enquanto o Modelo H está ativo, a touchscreen mostra a energia restante dos inimigos, bem como o ponto fraco dos chefes. Esse ponto fraco é uma faca de dois gumes: por um lado, atingir o ponto fraco faz com que o chefe perca mais energia e seja derrotado mais facilmente; por outro, piora o ranqueamento de Vent e Aile após a fase (deve ser considerado trapaça atingir o chefe em seu ponto fraco), e, se for necessário derrotar o chefe para obter um Biometal, esse biometal virá enfraquecido, devendo ser recarregado com cristais de energia antes de poder ser usado.

O Modelo F é baseado em Fefnir, e tem o poder elemental do fogo, que pode ser usado para acender tochas e queimar certos objetos. Com ele, Vent e Aile se transformam em Megaman FX, que tem como arma dois canhões. Seus tiros são bem mais poderosos que os dos demais modelos, e podem ser disparados diretamente para cima, mas Megaman FX não pode andar enquanto estiver atirando. Seu tiro concentrado é uma bola de fogo, e seu ataque especial causa uma onda de fogo que corre pelo chão. Com o Modelo F ativado, você pode usar a touchscreen para determinar um caminho que os tiros percorrerão após disparados, para acertar diretamente determinados itens ou inimigos, por exemplo.

O Modelo L é baseado em Leviathan, e tem o poder elemental do gelo, que pode ser usado para congelar inimigos e certos objetos. Com ele, Vent e Aile se transformam em Megaman LX, que pode dar dashes sob a água, não escorrega quando anda sobre gelo, e possui um "modo natação", que, quando ativado, permite que Vent e Aile se movam livremente sob a água, em qualquer direção. Sua arma é uma lança, seu ataque especial é uma serpente de gelo, e seu tiro concentrado cria plataformas de gelo nas quais Vent e Aile podem subir para alcançar lugares altos - e que flutuam na água, o que pode ser uma mão na roda em certas ocasiões. Quando o Modelo L está ativo, a touchscreen mostra a localização de itens próximos.

Finalmente, o Modelo P é baseado em Phantom, e não tem nenhum poder elemental - embora o manual diga que ele tenha o "poder elemental das sombras". Com ele, Vent e Aile se transformam em Megaman PX, que é o que tem mais habilidades: ele pode se agarrar ao teto, a cordas e a postes; pode se manter imóvel enquanto preso a uma parede (os demais escorregam lentamente); enxerga mais longe em salas escuras do que os demais Modelos; e é totalmente invencível durante o dash, o que significa que você pode usar um dash para atravessar inimigos e barreiras que bloqueiem o caminho. Como arma, ele dispara adagas e shurikens; seu tiro concentrado é uma shuriken gigante bumerangue, capaz de atingir múltiplas vezes um mesmo inimigo; e seu ataque especial é uma bolha em volta de Vent ou Aile que funciona como escudo, mas só protege contra um único ataque, desaparecendo quando atingido. Enquanto está ativo, o Modelo P mostra na touchscreen a localização de passagens secretas.

Existem, ainda, dois Modelos secretos, o já citado Modelo X "puro" e o Modelo O, inspirado em Omega Zero, último chefe de Megaman Zero 3, e que pode ser encontrado em uma sala secreta após você derrotar o último chefe do jogo, na qual terá de enfrentar todos os chefes de Megaman Zero 3 e Megaman Zero 4. Com o Modelo O, Vent e Aile se transformam em Megaman OX, que não consome energia de arma quando usa os ataques especiais - e tem um monte deles: um gancho flamejante com a espada, estilo shoryuken; um dash com a espada estendida para a frente e poder elemental da eletricidade; lâminas de gelo lançadas em oito direções durante um pulo; um mini-terremoto que faz com que objetos "pulem" durante alguns instantes; um leque de tiros lançados para a frente; e dois lasers que sobem e descem pela tela. Além disso, os tiros do canhão são sempre concentrados, e, se concentrar, você conseguirá disparar dois juntos. A desvantagem é que, assim como Megaman FX, ele não atira e anda ao mesmo tempo.

O único Modelo do jogo que Vent e Aile não podem usar de forma alguma é o Modelo W, exclusivo de Serpent, e que tem esse nome por causa do Dr. Weil. Em teoria, esse Biometal é um fragmento da Ragnarok, a fortaleza espacial de Weil em Megaman Zero 4, e contém a alma do próprio cientista, que estaria tentando usar Serpent para cumprir seus próprios propósitos malignos.

Megaman ZX não foi muito bem recebido, tendo sido considerado muito difícil e pouco criativo. Ainda assim, a Capcom decidiu apostar em uma continuação, a qual decidiu chamar de Megaman ZX Advent, lançada para o Nintendo DS em 2007.

Modelo AMegaman ZX Advent é ambientado quatro anos e oito meses após o final de Megaman ZX. Com o fim da Slither Inc, novas organizações surgiram para garantir a paz nas Innerpeaces e a recuperação de relíquias tecnológicas das Outlands. Uma espécie de governo central das Innerpeaces, chamado Legião e comandado pela Sage Trinity, três cientistas conhecidos como Master Thomas, Master Albert e Master Mikhail (talvez não por acaso os mesmos primeiros nomes de Dr. Light, Dr. Wily e Dr. Cossack, da série clássica de Megaman), assumiu a responsabilidade por manter a paz nas Innerpeaces, e decidiu fazê-lo diminuindo as diferenças entre humanos e reploids, tornando-os o mais parecidos possível, através de melhorias cibernéticas para os humanos e tecnologia de envelhecimento e período de vida limitado para os reploids. Enquanto isso, uma organização conhecida como Hunter's Guild ficou com o trabalho de recuperar as relíquias das Outlands, enfrentando os Mavericks. Alguns "caçadores de relíquias" não concordaram em se unir à Hunter's Guild e decidiram enfrentar Mavericks e recuperar relíquias por conta própria, se autodenominando Raiders.

Assim como o jogo anterior, esse tem dois protagonistas: Grey, um reploid que estava em sono criogênico dentro de um laboratório abandonado nas Outlands, e Ashe, uma menina humana membro da Hunter's Guild. Os Hunters encontram Grey e o ativam, mas ele é atacado por Pandora, que alega ter de destruí-lo por ele ser defeituoso. Salvo do ataque por Ashe, ele decide se unir aos Hunters para descobrir detalhes de seu passado - do qual, evidentemente, não tem memória.

Um dia, Grey e Ashe recebem a missão de transportal um raro Biometal, o Modelo A - que, por mais que a Capcom negue oficialmente ser baseado em Axl, de Megaman X7 e Megaman X8, é impossível pensar de outra forma. Durante o transporte, o grupo é atacado, e o Modelo A se une a Grey/Ashe, transformando-o/a em Megaman A. Após usar o Modelo A para derrotar os atacantes, Grey e Ashe recebem da Sage Trinity permissão para mantê-lo, bem como a missão de investigar o misterioso Modelo W, que, ao que tudo indica, não foi destruído junto com Serpent. Secretamente, porém, Master Albert deseja o Modelo W para si, para usar seu poder e governar o mundo, e, para isso, envia Prometheus e Pandora atrás de Grey e Ashe.

Assim como em Megaman ZX, no início do jogo você escolherá jogar como Grey ou Ashe, e apenas o personagem que você escolheu se transformará em Megaman A. Dessa vez, porém, cada um dos personagens tem uma história diferente, e somente terminando o jogo com ambos é que o jogador ficará conhecendo a história completa. Também como Megaman ZX, Megaman ZX Advent tem uma única e gigantesca fase com várias áreas, e é permeado por diversas cut scenes, que, dessa vez, foram dubladas em inglês na versão norte-americana.

O único Biometal ao qual Grey e Ashe têm acesso é o Modelo A. Assim como no jogo anterior, eles podem "vesti-lo" e "tirá-lo" a qualquer momento, mas, quando estão sem o Modelo, possuem uma pistola, o que significa que não são totalmente indefesos como Vent e Aile. O Modelo A conta com dois canhões, um de tiros normais e um de tiros teleguiados, sendo que os normais podem ser concentrados - o de Grey é um tiro concentrado normal, o de Ashe é um laser - e ainda conta com uma espécie de mira, que pode ser usada para atirar diretamente em inimigos que não estão exatamente à frente do personagem. Seu ataque especial é uma explosão que destrói todos os inimigos da tela, mas consome toda a barra de energia de arma, e só pode ser usada quando a mesma está totalmente cheia.

Mas a principal característica do Modelo A é a A-Trans, com a qual Grey e Ashe podem se transformar em diversos oponentes derrotados ao longo do jogo. Assim, mesmo não tendo acesso direto aos Modelos H, F, L e P, após derrotar os personagens Aeolus (H), Atlas (F), Thetis (L) e Siarnaq (P), Grey e Ashe poderão copiar suas habilidades com o A-Trans, passando a se comportar como se efetivamente tivessem se unido ao Modelo copiado. Todos os quatro Modelos são idênticos aos de Megaman ZX, exceto por dois detalhes: nenhum deles tem ataque especial, e os tiros concentrados são diferentes se você estiver jogando com Grey ou Ashe. Para Aeolus, o tiro concentrado lança dois furacões, os de Grey um indo para cima e o outro para baixo, os de Ashe um indo para a frente e o outro para trás; para Atlas, o de Grey é uma bola de fogo, e o de Ashe uma granada; para Thetis, o de Grey é uma serpente de gelo, e o de Ashe uma bola de gelo que pode ser destruída para lançar projéteis em várias direções; e, para Siarnaq, o de Grey é uma shuriken gigante que quica em paredes, e o de Ashe um escudo de lâminas giratórias. Siarnaq também possui uma outra diferença em relação ao Modelo P: enquanto está ativo, a touchscreen mostra não as passagens secretas, mas a localização de todos os inimigos próximos, que aparecem como o símbolo "!". Tocando duas vezes seguidas neles, Siarnaq lança uma adaga e o destrói, mesmo que eles estejam fora da tela, atrás de uma parede, ou em outra situação na qual normalmente não poderiam ser destruídos.

Além de usado para copiar as habilidades destes quatro personagens, o A-Trans também pode ser usado para copiar os oito chefes do jogo, conhecidos como Pseudoroids. Jogar com um Pseudoroid copiado é totalmente diferente de jogar com um Modelo, já que eles têm formas e características bastante variadas. O primeiro Pseudoroid que você enfrenta é Buckfire, uma rena com o poder elemental do fogo, que anda através de dashes e pode destruir inimigos e alguns objetos com os chifres quando você aperta o botão de dash. Sua arma são lâminas de fogo que são disparadas em diferentes direções, e, se concentradas, são lançadas como bumerangues para a frente e para trás. Seu ataque especial é um salto flamejante, ou, se usado durante um pulo, uma voadora flamejante. As lâminas de fogo, o salto e a voadora podem ser usados para destruir alguns tipos de blocos, especialmente blocos de gelo.

AtlasRospark é uma rosa que tem a habilidade de se pendurar em cordas, postes e canos, pode ser mover de um para outro usando os braços como cipós, e anda girando lentamente. Sua arma é usar o próprio braço como chicote, e seu ataque especial, que só pode ser usado pendurado, lança vários espinhos elétricos. Chronoforce é uma espécie de tartaruga gigante que não consegue se mover fora d'água, mas dentro dela é até bem veloz. Ele é invulnerável a espinhos, usa lâminas de gelo que dispara como arma, e seu ataque especial é uma bomba temporal que diminui a velocidade de tudo o que está na tela, exceto você, por alguns instantes. Vulturon é um esqueleto que anda dando pulinhos, não desliza quando preso a uma parede e pode flutuar por alguns instantes após um pulo. Sua arma é um raio sônico disparado de sua guitarra, que pode ser concentrado.

Queenbee é uma abelha que pode voar, se você pressionar repetidamente o botão de pulo. Em contrapartida, ela não pode escalar paredes, dar dash ou pular - já que, ao apertar o botão de pulo, ela voa. Ela dispara tiros normais que, concentrados, viram uma bola de fogo, e tem a habilidade especial de se acoplar a certos objetos, levando-os com ela durante o voo. Bifrost é um dragão de gelo gigantesco, que pode destruir alguns inimigos simplesmente pisando em cima deles ou acertando-os com o rabo ao mudar de direção. Ele também pode mastigar alguns tipos de blocos que impedem a passagem, mas anda e pula muito lentamente, não pode escalar paredes, e é grande demais para passar por portas. Como arma, ele dispara uma espécie de serra, e, se você concentrar, ele fica de boca aberta, imóvel, disparando dentes até você soltar o botão de tiro.

Argoyle é uma espécie de fuinha, que patina ao invés de andar, e não pode escalar paredes. Sua arma é uma estrela que explode pouco após quicar em alguma coisa, e seu ataque especial cria uma duplicata de si mesmo - Ugoyle, que você também tem de enfrentar quando eles são chefes - que para todos os efeitos é incorpórea - passa através de paredes, por exemplo - mas pode ser usada para pegar itens e destruir inimigos com chutes. Finalmente, Hedgeshock é um porco-espinho fêmea com o poder elemental da eletricidade, que anda dando pulinhos e não pode escalar paredes. Ela dispara bolas elétricas que podem ser concentradas para sair em formato de leque, e, quando dá dash, vira uma bola de espinhos. Pressionando para baixo, a bola encolhe, e pode ser usada para passar por passagens estreitas.

Além dessas formas todas, em determinado momento do jogo, Grey/Ashe se encontram com Vent/Aile (depende de com quem você estiver jogando), que, após um mal-entendido, os enfrentam. Após derrotá-los, você também terá acesso ao Modelo ZX, idêntico ao do jogo anterior exceto por um ataque especial - o de Grey, usado durante o pulo, é um ataque para baixo que lança dois blocos para os lados quando toca o chão, e o de Ashe é um ataque para cima que lança uma onda de choque para a frente. Após o encontro, Vent e Aile também se tornam aliados de Grey e Ashe, já que eles também estão tentando encontrar o Modelo W, e os ajudam em diversos outros pontos do jogo.

Megaman ZX Advent foi bem melhor recebido pela crítica que Megaman ZX, mas ainda foi criticado por ser muito difícil. O jogo até vendeu bem, mas, no geral, a Capcom chegou à conclusão de que não compensava continuar investindo na série, encerrada após apenas esses dois jogos.

2 enfiaram o nariz:

wKad disse...

"(...) e Prairie, agradecido e impressionado (...)"

Masculino? Não joguei mais do que duas missões de ZX, mas sempre achei que Prairie era na verdade a Alouette, de Megaman Zero, pra GBA. Por causa do ursinho de pelúcia, das referências à "Sis" (Ciel), e, bem, pela aparência.

Abraços o/

8:10 AM
Guil disse...

Oooops, foi mal! Prairie é mulher mesmo! E o pior é que eu sabia disso quando escrevi o post. :P

E fica provado mais uma vez que, por mais que a gente revise, sempre passa alguma coisa...

2:44 PM

Postar um comentário