domingo, 17 de julho de 2005

Megaman Battle Network (I)

Quem acompanha este blog há mais ou menos um ano deve estar cansado de saber, mas eu vou repetir assim mesmo: Megaman, meu videogame preferido, tem cinco séries. A primeira, conhecida como Série Clássica, é a original, que começou lá no NES, e já foi abordada aqui em três posts. A segunda, a Série X, foi criada quando Megaman passou para o SNES, e também já teve dois posts aqui. A terceira, a Série Legends, eu vou pular por enquanto, pois é a que eu menos gosto. Hoje e semana que vem falaremos de Megaman Battle Network, a quarta série, que foi criada quando chegou a hora de desenvolver um jogo de Megaman para o então novo portátil da Nintendo, o Game Boy Advance.

Somente pessoal autorizadoConhecido no Japão como Battle Network Rockman.EXE, Megaman Battle Network (ou MMBN, para facilitar) não é um jogo de ação, mas sim uma espécie de RPG. Também não tem nada a ver com o Megaman original, pois se passa em uma espécie de "universo paralelo". Megaman e os demais robôs sequer são robôs aqui, são programas de computador. Ainda assim, esta é atualmente a "série oficial" de Megaman segundo a Capcom, ou seja, tudo o que sai de Megaman atualmente é de Battle Network, como action figures, card games, camisetas e até um anime. Isto se deve ao fato de que Keiji Inafune, o criador de Megaman, também é o criador desta nova série, na qual toda sua equipe - ou seja, toda a equipe antes responsável pela Série Clássica - trabalha agora.

Devo confessar que eu não gosto muito disso. Eu gosto de MMBN, mas é um jogo que não tem nada, exceto o nome de alguns personagens, a ver com os que me fizeram eleger a série como minha favorita; até o visual dos "robôs" é totalmente novo, basta olhar para Megaman. Isso parece ter sido apenas uma estratégia de marketing. Afinal, lançar um jogo com personagens 100% novos é sempre mais arriscado do que um jogo novo de personagens que todo mundo conhece.

O primeiro Megaman Battle Network foi lançado em 2001, e foi um dos primeiros jogos do Game Boy Advance. O jogo é ambientado em um mundo alternativo, onde a alta tecnologia e os computadores são parte integrante do dia-a-dia de qualquer família mediana. Neste mundo, é comum que as pessoas tenham PETs (PErsonal Terminals), uma espécie de N-Gage incrementado que, dentre outras coisas, serve como palmtop com conexão wireless à internet, telefone celular e videogame. Algumas pessoas, se quiserem, podem ter em seu PET um Net Navi, um programa com inteligência artificial. Navis desempenham todo tipo de função: como tudo nesta sociedade é integrado por computador, se, digamos, uma televisão estiver com um defeito, o técnico simplesmente conecta seu PET a ela, e seu Navi irá encontrar onde está o defeito e consertá-lo (sim, eu sei que isso soa absurdo - afinal, um Navi é essencialmente um programa de computador, sendo assim, só poderia consertar problemas de software, nunca de hardware. O jogo, porém, dá a entender que, mesmo que um componente da televisão queime, simplesmente conectando o PET a ela o Navi conseguiria "consertá-lo"). Jovens e adolescentes, como sempre, encontraram outro uso para os Navis: batalhas. Um usuário conecta seu PET a outro, e seus Navis lutam para determinar qual é o mais forte. O que começou como uma brincadeira rapidamente cresceu, e hoje já existem torneios de Netbattle - nome como as lutas entre Navis ficaram conhecidas - no mundo todo.

You've Got MailPara conferir novas habilidades e poderes aos Navi, foram criados os Battle Chips. Um Battle Chip é como um cartucho de videogame: você o conecta a seu PET, e descarrega sua informação para o Navi, que poderá usar a técnica contida no cartucho em uma futura batalha (afinal, ele é um programa de computador). Battle Chips são vendidos em lojas próprias, baixados da internet ou distribuídos como prêmios em torneios e gratuitamente em eventos. Usuários podem gravar Battle Chips especiais, que contêm informações sobre os principais ataques de seu Navi, e compartilhá-los com seus amigos. Alguns Battle Chips muito específicos (ou muito poderosos) não estão à disposição do grande público, sendo exclusivos de instituições como hospitais, a companhia elétrica ou o governo.

Mas nem tudo são flores neste mundo de alta tecnologia. Afinal, em uma sociedade quase totalmente controlada por computadores, alguém cedo ou tarde teria a idéia de criar uma coisa simples e pequenina, mas que poderia destruir tudo: vírus. Com os vírus se espalhando cada vez mais rapidamente, os PETs começaram a ser usados para uma nova função, a "Virus Busting". Basicamente, o PET é conectado a um aparelho que esteja "infectado", e o Navi lutará com o vírus para destruí-lo, como se estivesse lutando com outro Navi. Virus Busting é ensinado nas escolas, e a maioria dos vírus encontrados em aparelhos domésticos é pouco poderosa e fácil de ser derrotada por um usuário médio. Vírus encontrados na internet, por outro lado, podem ser mais poderosos, e é recomendado que os usuários se afastem deles e chamem um Netbattler especializado.

Não demorou muito para surgir um problema ainda maior: ataques terroristas utilizando Navis "do mal", geralmente acompanhados de vírus poderosos. Sem poder expor os Navis da população a tais perigos, o governo escolheu e treinou os mais competentes Netbattlers, formando uma força de elite, chamada toda vez que um vírus muito poderoso ou um Navi mal-intencionado surge em algum lugar.

LanPois bem, neste estranho cenário conhecemos Lan Hikari, um garoto de onze anos que adora Netbattles, e tem um Navi chamado Megaman, que também é seu melhor amigo. Lan é neto do Dr. Hikari, o cientista que inventou os Navis (curiosamente, hikari significa luz em japonês, e o Dr. Hikari é a cara do Dr. Light, o cientista que criou Megaman na Série Clássica - e light significa luz em inglês). O pai de Lan, o Dr. Yuichiro Ikari, também trabalha com desenvolvimento de PETs. Graças a isso, Megaman é um Navi de última geração, muito mais "humano" que seus semelhantes. Além disso, o pai de Lan costuma provê-lo com as mais recentes inovações da área, algumas só disponíveis para Netbattlers oficiais do governo.

Um dia, equipamentos que estavam funcionando perfeitamente começam a enlouquecer. Fogões causam incêndios, sinais de trânsito causam acidentes. Os responsáveis são uma organização terrorista chamada WWW, que planeja destruir tudo o que for relacionado a PETs e computadores, para que o mundo volte a ser como era antes de sua invenção. Lan se envolve com a WWW graças à sua curiosidade: quando o fogão de sua casa apresenta um estranho defeito, Lan conecta seu PET a ele, e Megaman acaba conhecendo e enfrentando um dos Navis da WWW, Fireman. Lan e Megaman decidem, então, tentar acabar eles mesmos com essa ameaça, apesar de Lan não ser um Netbattler oficial.

O jogo possui dois "ambientes": quando joga com Lan, você pode visitar diversos locais de ACDC Town, sua cidade natal, e conversar com diversas pessoas. Quando Lan conecta seu PET em algum lugar, você passa a jogar com Megaman, e enfrentará vírus (que aparecem como inimigos aleatórios) e Navis, recolherá itens e salvará o mundo. Durante o jogo, você poderá conseguir diferentes Battle Chips, que aumentarão o poder de Megaman. Cada vez que uma batalha começa, você poderá escolher, de uma lista de Chips aleatórios, quais irá usar contra aquele inimigo. Megaman só pode carregar 30 Chips de cada vez, então você deve sempre decidir de quais precisará de acordo com os inimigos que irá enfrentar. Ao todo, o jogo tem 176 Battle Chips diferentes, sendo um secreto. Alguns Chips podem ser combinados, formando um PA (Program Advance), que, essencialmente, é um Chip com uma duração e poder maiores. Se ficar sem chips, Megaman sempre pode usar seu bom e velho canhão para dar cabo dos vírus, embora seja bem mais difícil. Cada vez que derrota um vírus, Megaman pode ganhar Battle Chips ou Zenny, o dinheiro local, com o qual poderá comprar mais Chips ou itens que melhoram seu desempenho, aumentando seu poder de ataque, sua defesa, velocidade, energia, coisas assim.

A Batalha!Apesar de ser em estilo RPG, o jogo é dividido em "fases", sendo que você enfrentará um Navi "do mal" ao final de cada uma delas. Lan também possui amigos que têm Navis, e pode enfrentar alguns deles de vez em quando em batalhas amigáveis. Essas batalhas não interferem na história (pelo menos a maioria delas), mas possuem uma vantagem: vencendo, Megaman ganha um Battle Chip especial daquele Navi (no jogo, Megaman some e o Navi toma seu lugar, desferindo o ataque e deixando a batalha para que Megaman reassuma).

Ao todo, Lan terá que passar por oito fases, onde enfrentará Fireman, Numberman, Stoneman, Iceman, Colorman, Bombman, Elecman e Magicman, até descobrir que o homem por trás da WWW é o Dr. Wily (isso mesmo, e ele é a cara do Dr. Wily da Série Clássica), antigo colega do Dr. Hikari. Dr. Wily projetava robôs, enquanto Dr. Hikari projetava PETs. Com o sucesso dos PETs, os robôs foram abandonados, e Wily perdeu o emprego. Agora, ele quer destruir todos os PETs para se vingar, através de um imenso vírus, o Lifevirus (que é o último chefe do jogo).

Os amigos de Lan, que o ajudarão em sua missão, atendem pelo nome de Dex, Mayl e Yai. Dex é meio bobo e valentão, tem Gutsman como Navi, e está sempre louco para desafiar Lan, embora Megaman sempre vença Gutsman. Mayl é secretamente apaixonada por Lan, e seu Navi é Roll, que é apaixonada por Megaman, embora nada secretamente. Você não precisa enfrentar Roll, ganhando seu Battle Chip após salvar Mayl na fase 5. Yai é uma menina rica e superdotada, e tem um Navi chamado Glyde, que aparece pouco e não tem Battle Chip. Além deles, Lan irá se confrontar algumas vezes com Chaud, um Netbattler oficial que deseja que ele saia do caminho para não atrapalhar, e tem Protoman como Navi. Woodman, Sharkman e Skullman são outros Navi "do bem" que Megaman pode enfrentar para ganhar Battle Chips. Alguns habitantes de ACDC Town podem trocar Battle Chips com Lan, e outros lhe fazem quizzes, que valem Chips se corretamente respondidas.

Protoman fala com seu operadorMesmo após vencer o jogo você pode continuar jogando (como em Pokémon) e, em uma das áreas da Internet (do jogo, não da real) poderá enfrentar três robôs secretos, Pharaohman, Shadowman e Bass. Bass não lhe dá um Battle Chip quando derrotado - a única forma de obtê-lo é conseguindo todos os outros 175.

MMBN não foi nenhum sucesso assombroso, mas vendeu bem, e gerou uma continuação, Megaman Battle Network 2, de 2002, também para GBA, na minha opinião o melhor da série. Desta vez os vilões são uma organização criminosa chamada Netmafia Gospel. Aparentemente, Bass é o Navi mais poderoso da história, mas é incontrolável. Ou era, já que a Gospel conseguiu seu controle, e agora começou um plano de chantagem contra os governos do mundo. Para detê-los, serão necessários novos Netbattlers oficiais. Lan decide se alistar, mas terá de passar por várias provas para demonstrar que pode com o fardo. Lan começa com a licença Z, e ao longo do jogo passa para B e A, tornando-se um Netbattler oficial temporário. Você ainda pode continuar jogando para conseguir as licenças S, SS e SSS, mas isso não influi na história. Além de ACDC Town (que nós descobrimos ficar em um país chamado Electopia), Lan terá de visitar outros países, como Netopia, Yumland e Kotobuki.

MMBN2 traz muitas novidades. O sistema de jogo é igual ao do anterior, com algumas melhorias cosméticas para facilitar a escolha de Chips e coisas do tipo. Agora Megaman pode escolher um Chip "preferido", que estará à sua disposição em todas as batalhas (mas existe uma limitação quanto ao poder do Chip que você poderá escolher); pode comprar Subchips, itens que recuperam sua energia, destravam itens secretos, dentre outras coisas, quando usados; e, após vencer as batalhas, além de Battle Chips ou Zenny, Megaman pode ganhar um item que recupera sua energia, útil em fases compridas. No decorrer das fases, Megaman também pode encontrar itens chamados BugFrags, que podem ser trocados por Battle Chips que normalmente não estão à venda. Outra novidade é que, durante as batalhas, pode aparecer um chão "diferente", como lava, grama ou gelo, com propriedades especiais, ou obstáculos, como pedras e buracos. Além dos trocadores de Chips e dos quizzes, agora Lan pode participar de "missões", para ajudar cidadãos e subir no ranking dos Netbattlers; e algumas pessoas estão escondidas no cenário, dando Chips para Lan se ele as encontrar.

Megaman Battle Network 2Mas a maior inovação do jogo é o Style Change: de acordo com o desempenho e a maneira de lutar de Megaman, o pai de Lan lhe adaptará para um "estilo". Cada estilo é a combinação de um elemento (Heat, Elec, Aqua, Wood) com uma característica (Guts, Cust, Team, Shld). Cada estilo tem suas vantagens e desvantagens, de acordo com as partes combinadas (WoodGuts, por exemplo, recupera energia quando Megaman está pisando em grama e tem a força do canhão dobrada, mas sua Velocidade é sempre mínima e toma dano dobrado por fogo). Existe um estilo secreto, o Hub, que é a combinação das quatro características, mas sem elemento. Megaman pode ter até dois estilos de cada vez - se ganhar um terceiro e quiser mantê-lo, terá de descartar um dos anteriores. Estilos podem ser equipados e removidos a qualquer momento fora de uma batalha.

Assim como o jogo anterior, este tem 8 fases, onde Megaman enfrentará Airman, Quickman, Cutman, Shadowman, Knightman, Magnetman, Freezeman e Bass. Derrotando Bass ele ainda terá de lidar com um imenso vírus de nome Gospel, última arma dos vilões. Assim como no anterior, Megaman poderá enfrentar Navis amigos para ganhar seus Battle Chips: Gutsman, Protoman, Toadman, Gateman, Thunderman, Snakeman e Heatman (o de Roll ele ganha diretamente de Mayl, sem batalha). Também como no anterior, após vencer o jogo (e preencher alguns outros requisitos), Megaman terá acesso a uma parte da Internet conhecida como WWW's Lair, onde poderá enfrentar os Navis secretos Pharaohman, Napalmman, Planetman e RealBass (aparentemente, o da Gospel era falso).

MMBN2 também tem mais chips que o anterior: são 266. Destes, 11 são secretos (você precisa preencher certos pré-requisitos para obtê-los) e 5 são supersecretos, e só poderiam ser obtidos se você levasse seu Game Boy Advance e cartucho de MMBN2 a uma convenção da Capcom.

Depois de MMBN2, o jogo ficou bem parecido com Pokémon. Vocês entenderão por que semana que vem, na segunda parte desta história.

0 enfiaram o nariz:

Postar um comentário