domingo, 8 de fevereiro de 2004

Origami



Alguém aí sabe fazer origami? Eu sei! É um ótimo passatempo, embora algumas vezes o papel amasse todo, ou o bicho não fique nem um pouco parecido com o desenho que eu estou seguindo. Na maioria das vezes, porém, fica bonitinho.

Quando eu era criança, eu só sabia fazer aviãozinho, barquinho e bolinha (essa piada é da Kiki: "Eu sei fazer bolinha, fica lindo!"). Um dia, alguém que eu não lembro quem foi, me ensinou a fazer aquele passarinho que voa. O meu ficou todo troncho, e não voava. Também me ensinaram a fazer balãozinho, mas o meu esgarniçava todo na hora de soprar por aquele furinho que tinha embaixo, pro balão encher. Talvez minhas mãos não fossem feitas para dobrar papel, afinal.

Mas eu não me dei por vencido! Aproveitei que fomos a uma Bienal do Livro (não lembro o ano, mas deve ter sido 1991) e comprei um livro que ensinava a fazer os básicos.

Pra quem não sabe, o origami tem uma série de movimentos básicos, que se repetem em qualquer outra figura que você aprenda ou invente. Me esforcei para decorar esses movimentos, e elegi uma figura para aprender a fazer com perfeição, antes de partir para outras: o pássaro-que voa.

Tudo que era propaganda que caía na minha mão virava um pássaro. Passei uns dois anos fazendo pássaro atrás de pássaro. Fiz uns mil. Sei fazer de cór. Voa. Pronto, estava preparado para novos desafios.

Até há alguns anos, eu sabia fazer cigarra, pingüim, peixe, sapo e o famoso pássaro de cór. Infelizmente, esqueci tudo, menos o pássaro, que deve ter grudado no meu cérebro de tantos que eu fiz. Mas graças à experiência adquirida com o pássaro (e à coordenação motora também), hoje consigo fazer qualquer bicho, basta me dar o molde. Alguns são mais difíceis (e saem mais tortos), outros mais fáceis, mas eu sempre consigo chegar ao final. O que é um alívio, pois a maioria dos moldes eventualmente diz "cuidado com esse passo, é muito difícil", e eu passo direto, sem sentir problema algum (embora de vez em quando amasse o papel todo sem querer). Culpa do pássaro. Nunca me arrisquei a inventar meus próprios bichos, mas tem uns malucos que o fazem.

Para aqueles que também apreciam esta forma de entretenimento, deixo um link muito legal, a Dr. Stephen O'Hanlon's The Origami Page. Os moldes estão em formato .pdf (do Adobe Acrobat), e tem inclusive instruções sobre a terminologia dos moldes e os movimentos básicos, ou seja, até quem só sabe fazer bolinha pode se arriscar. (Nota do Guil: Aparentemente, esse site saiu do ar bem quando eu resolvi linkar pra ele. Como agora eu estou meio sem tempo para achar outro, vamos torcer para que ele volte, mas prometo que indico um novo assim que for possível).

Para os que não têm paciência de ficar dobrando papel, mas acham bonitinhos os "resultados finais" (conforme um professor meu certa vez disse), outro link: a Pseudo Art Gallery, uma espécie de "museu", com figuras de vários e diversos origami montados. Foi de lá que veio o rinoceronte que ilustra este post.

0 enfiaram o nariz:

Postar um comentário