domingo, 5 de agosto de 2018

Magic: The Gathering (VIII)

Outro dia, ao bisbilhotar os posts antigos do átomo, me deparei com os que escrevi sobre Magic: The Gathering. Já desde bem antes de escrever o último post dessa série (que foi feito no agora já longínquo ano de 2015) que eu nem acompanho mais as novidades sobre o jogo, mas, como já se passaram três anos, e a Wizards of the Coast, fabricante do jogo, introduziu várias novidades de lá pra cá, achei que seria interessante voltar à série. Assim, hoje é dia de mais Magic: The Gathering no átomo.

Eu terminei o post anterior justamente antes de a Wizards decidir alterar seu cronograma de lançamentos: até então, durante um bom tempo, a cada ano era lançada uma expansão "grande", que tinha por volta de 250 cartas, duas expansões "pequenas", com por volta de 150 cartas cada, e uma expansão "básica", com por volta de 350 cartas e voltada para aqueles que estavam começando a jogar ou para os que estavam querendo completar suas coleções, e contava com reimpressões de cartas úteis, famosas ou simplesmente necessárias para se montar um bom baralho. A expansão grande e as duas pequenas faziam parte de um "bloco", ou seja, compartilhavam o mesmo tema, sendo que as três expansões de um mesmo bloco nunca eram lançadas no mesmo ano - a expansão grande era sempre lançada em setembro ou outubro de um ano, com a primeira pequena sendo lançada em janeiro ou fevereiro do ano seguinte e a segunda em abril ou maio. Entre a última expansão de um bloco e a primeira do bloco seguinte, era lançada a expansão básica, sempre em julho.

Em agosto de 2014, entretanto, a Wizards anunciaria que, a partir de 2015, esse esquema seria alterado: para começar, as expansões básicas não seriam mais lançadas uma por ano, e sim "quando houvesse necessidade"; além disso, cada bloco passaria a ser composto não por três, mas por duas expansões, a primeira tendo por volta de 275 cartas, a segunda tendo por volta de 180. Isso faria com que fossem lançados dois blocos por ano, mas em um esquema parecido com o anterior: um dos blocos teria sua primeira expansão lançada em setembro de um ano e a segunda em janeiro do ano seguinte, enquanto o outro teria a primeira lançada em abril e a segunda em julho do mesmo ano. Dessa forma, ainda seriam lançadas quatro expansões por ano, com a diferença de que uma delas não era básica - e, nos anos em que uma expansão básica fosse lançada, seriam cinco. Essa mudança agradou a alguns jogadores, desagradou à maioria, mas está em vigor até hoje.

Pois bem, eu terminei o post anterior da série logo após a última expansão lançada no esquema antigo, Dragons of Tarkir (Dragões de Tarkir), lançada em março de 2015. Depois dela, e antes de começar os novos "blocos de dois", a Wizards decidiria lançar mais uma expansão básica (que, durante um bom tempo seria a última), chamada Magic Origins, em julho de 2015. Com 272 cartas, Magic Origins conta a história de cinco Planeswalkers (conhecidos extra-oficialmente como "andarilhos dos planos", e em Portugal como "Planinautas"), personagens de grande poder mágico, e suas andanças pelo universo do jogo - sendo que os cinco seriam introduzidos aos poucos nas expansões lançadas posteriormente. Cada Planeswalker é uma carta de uma cor, e todas são dupla-face, tendo uma criatura comum em um dos lados e o Planeswalker do outro, para representar a evolução do personagem durante sua vida. As demais cartas seguiriam o padrão para as expansões básicas, com muitas cartas "repetidas" em relação às expansões anteriores, sendo que a maioria delas possuía nova arte.

O primeiro "bloco de dois" começaria com Battle for Zendikar (Batalha por Zendikar), lançada em outubro de 2015 com 274 cartas. A expansão traz a ação mais uma vez para Zendikar, plano atacado pelos monstruosos Eldrazi que queriam devorar seu mana, e que já havia ambientado um bloco em 2009/2010. Dessa vez, seis Planeswalkers chegam a Zendikar para combater os Eldrazi, mas as coisas não saem muito conforme o planejado. Uma característica de Battle for Zendikar é que as cartas podem ser divididas em dois times, o dos Eldrazi, individualmente poderosas, e o dos Aliados, mais fracas, mas que conferem bônus entre si caso estejam na mesa ao mesmo tempo. A segunda expansão do bloco seria Oath of the Gatewatch (Juramento das Sentinelas), lançada em janeiro de 2016 com 184 cartas. Nela, os Planeswalkers conseguem aprisionar as formas corpóreas dos Eldrazi, mas sua vitória final dependerá de um arriscado plano.

O bloco de Battle for Zendikar traria uma grande novidade que o transformaria em um sucesso dentre os colecionadores: um conjunto de 45 cartas metalizadas (25 em Battle for Zendikar, 20 em Oath of the Gatewatch), todas reimpressões de Terrenos com nova arte e bordas exclusivas, conhecidas coletivamente como Zendikar Expeditions. Em suas expansões originais, todos esses terrenos eram cartas do tipo rare, difíceis de se encontrar, mas suas versões em Zendikar Expeditions eram do tipo mythic rare, quase impossíveis de se obter. Ainda assim, completar o conjunto de Zendikar Expeditions se tornou uma obsessão para muitos colecionadores, com as cartas alcançando altos preços nos sites de leilão.

Entre agosto de 2015 e abril de 2018 também seriam lançadas seis novas caixas da série Duel Decks, cada uma contendo dois decks temáticos. A primeira delas seria justamente Zendikar vs. Eldrazi, com um deck de Eldrazi e um de Aliados. Três novas edições de From the Vault, mais uma vez cada uma com 15 cartas, também seriam lançadas, uma por ano, entre 2015 e 2017, as duas primeiras em agosto, a terceira em novembro. E, em novembro de 2015 também lançada uma nova expansão para Commander, a versão de Magic para mais de dois jogadores, chamada simplesmente Commander 2015, e trazendo 342 cartas, das quais 55 eram novas. Dessa vez, os Generais contavam com "marcadores de experiência", que os tornavam mais poderosos conforme o jogo avançava. Assim como as demais expansões de Commander, essa também vinha em cinco decks pré-construídos, com o intuito de que cada um fosse usado por um jogador.

Em abril de 2016 seria lançado Shadows over Innistrad (Sombras em Innistrad), de 297 cartas, expansão que levava Magic de volta a Innistrad, o plano assombrado por monstros e demônios tema de um bloco em 2011/2012. Avacyn, a arcanja protetora do plano, foi corrompida por uma força exterior, e agora os habitantes de Innistrad estão mais uma vez à mercê de criaturas monstruosas. Ao invés de se basear em monstros clássicos como o primeiro bloco, as criaturas de Shadows over Innistrad são versões de monstros da ficção científica, em especial os criados por H.P. Lovecraft, sendo até mesmo o nome do bloco uma referência a um de seus contos, The Shadow over Innsmouth; isso se reflete, inclusive, nas novas mecânicas trazidas ao jogo, como Loucura e Delírio.

Na segunda expansão do bloco, Eldtrich Moon (Lua Arcana), é revelado que o corruptor de Avacyn é Emrakul, um dos Eldrazi, também inspirado nas criações de Lovecraft, que conseguiu viajar de Zendikar para Innistrad - o símbolo da expansão, oficialmente a silhueta de Emrakul, lembra, inclusive, os antigos deuses cheios de tentáculos das histórias de Lovecraft, como Cthulhu. Lançada em julho de 2016 com 205 cartas, Eldtrich Moon narra a batalha entre os Planeswalkers e Emrakul para libertar Innistrad e restaurar Avacyn. Uma habilidade muito interessante introduzida em Eldtrich Moon é Fundir, com a qual duas criaturas (específicas) podem se unir e se transformar em uma criatura maior e mais poderosa.

Em agosto de 2016 seria lançado Conspiracy: Take the Crown, nova versão do jogo Conspiracy, uma versão de Magic para mais de dois jogadores que conta com um novo tipo de carta, as Conspirações, que podiam ser jogadas sem custo, permaneciam sobre a mesa com a face para baixo, e produziam um único efeito apenas em um momento específico, quando eram reveladas. Take the Crown trazia 222 cartas, das quais 80 eram inéditas, incluindo as 12 Conspirações.

Em setembro de 2016 seria inaugurado mais um bloco com Kaladesh, de 264 cartas, o primeiro "bloco de dois" ambientado em um plano novo. Após derrotar os Eldrazi, cinco dos Planeswalkers decidem continuar juntos e se reunir para traçar seus próximos passos; para isso, eles decidem visitar Kaladesh, onde está ocorrendo uma Feira de Inventores. Mas eles chegam lá no momento em que estranhos eventos estão ocorrendo, e, como de costume, acabam se envolvendo. Como era de se esperar, já que há uma Feira de Inventores, Kaladesh é uma expansão que traz muitos Artefatos, incluindo, pela primeira vez em Magic, Veículos, que as criaturas podem usar para ganhar bônus variados e novas habilidades. A segunda expansão do bloco seria Aether Revolt (Revolta do Éter), de janeiro de 2017, com 184 cartas. O ocorrido na Feira dos Inventores foi um estratagema para, na verdade, sufocar os inventores e dar mais poder ao governo, e os Planeswalkers decidem impedir. O bloco de Kaladesh também teve um conjunto de cartas metalizadas mythic rare, dessa vez composto por 54 Artefatos, 30 em Kaladesh e 24 em Aether Revolt. Chamado de Kaladesh Inventions, mais uma vez esse conjunto trazia cartas de outras expansões, mas com nova arte e bordas exclusivas.

Em novembro de 2016 seriam lançadas duas expansões especiais: Planechase Anthology trazia reimpressões de todos os Planos lançados em Planechase e Planechase 2012, um total de 86 cartas, 6 delas com nova arte. Já Commander 2016 era a nova expansão anual de Commander, com 351 cartas, sendo 56 inéditas, que vinham mais uma vez em cinco decks pré-construídos. Em 2017, Commander ganharia duas novas expansões, Commander Anthology, de junho, que trazia quatro decks pré-construídos, cada um vindo de uma expansão anterior (um de Commander, um de Commander 2013, um de Commander 2014 e um de Commander 2015), e Commander 2017, de agosto, com 309 cartas, sendo 56 novas, também em quatro decks, ao invés de cinco como era o padrão. Também em junho de 2017 seria lançado Archenemy: Nicol Bolas Schemes, coleção de 20 novos Schemes para Archenemy, nos quais o arqui-inimigo era o dragão Nicol Bolas, um dos vilões mais famosos de Magic. Para fechar esse parágrafo, em junho de 2018 seria lançado Commander Anthology vol. 2, que consistia de quatro decks relançamentos de edições anteriores (um de Commander, um de Commander 2014, um de Commander 2015 e um de Commander 2016), e, em agosto de 2018, seria a vez de Commander 2018, com 400 cartas, sendo 70 inéditas, mais uma vez em quatro decks.

Em abril de 2017 um novo bloco começaria com Amonkhet, de 264 cartas, ambientada em um plano inspirado na mitologia do Antigo Egito. Quando os Planeswalkers chegam a Amonkhet, se deparam com uma cidade evoluída, ordenada, brilhante, limpa, com deuses caminhando dentre os mortais e... governada por Nicol Bolas. Estranhando que um vilão tão traiçoeiro possa ser o governante de um lugar tão idílico, eles decidem investigar. Dentre as novidades, as habilidades Ímpeto, com a qual uma criatura pode conferir um bônus após ser usada, com a desvantagem de que não desvira no turno seguinte; e Embalsamar, com a qual um custo em mana pode ser pago e a criatura removida do jogo para que entre em jogo um zumbi de cor branca que é uma cópia exata dessa criatura. Amonkhet também traria cartas duplas semelhantes às de Invasion, Planeshift e Apocalypse, mas com mecânica diferente: o efeito que consta na parte horizontal da carta é resolvido normalmente, mas o efeito que consta na parte vertical só pode ser usado se a carta já tiver sido jogada e estiver no cemitério.

A história de Amonkhet se concluiria em Hour of Devastation (Hora da Devastação), de julho de 2017, com 194 cartas: três deuses esquecidos surgem, e começa uma batalha entre os deuses que pode levar à destruição de Amonkhet. As duas novas habilidades de Hour of Devastation eram Eternizar, que funcionava exatamente como Embalsamar, mas criava um zumbi de cor preta, e Afligir, com a qual uma criatura causa dano ao oponente quando é bloqueada por outra criatura. Assim como Battle for Zendikar e Kaladesh, esse bloco também teve um conjunto de cartas metalizadas mythic rare composto de 54 cartas, 30 em Amonkhet e 24 em Hour of Devastation, chamado Amonkhet Invocations. Mais uma vez essas cartas eram reimpressões de cartas raras de outras expansões, com arte diferente e bordas exclusivas, sendo que dessa vez todas eram magias, e a borda lembrava um antigo templo egípcio, com o nome e tipo da carta escritos usando uma fonte que lembra hieróglifos.

Depois do bloco do Antigo Egito, viria um bloco inspirado nas antigas civilizações da América Central: Ixalan, de 279 cartas, lançado em setembro de 2017, cuja maior novidade são cartas dupla-face que atuam como magias ou artefatos normalmente, mas, sob determinadas circunstâncias, se transformam em Terrenos Lendários, com bordas exclusivas que lembram um mapa do tesouro, e que conferem grande vantagem ao jogador que os controla. Nela, Jace Beleren, líder dos Planeswalkers, acorda de repente em Ixalan sem memória, e decide se unir à misteriosa Vraska e à tripulação do navio Beligerante em busca da Cidade Dourada de Orazca. A cidade é encontrada na expansão seguinte, Rivals of Ixalan (Rivais de Ixalan), de 184 cartas, lançada em janeiro de 2018. Mas a cidade está em perigo, e Jace, que recuperou sua memória, precisa da ajuda de seus novos aliados se quiser salvá-la. Entre as duas expansões do bloco, em novembro de 2017, Commander ganharia uma expansão ambientada em Ixalan, chamada Explorers of Ixalan, composta por quatro decks pré-fabricados, com um total de 47 cartas. Todas essas cartas eram reimpressões de diversas expansões, mas sete delas tinham arte nova para se adequar ao tema de Ixalan.

Em dezembro de 2017 seria lançada Unstable, terceira expansão satírica de Magic, depois de Unglued, de 1998, e de Unhinged, de 2004. Assim como suas antecessoras, Unstable era uma paródia, trazendo cartas com texto cômico e efeitos bizarros, que não podiam ser utilizadas em um jogo normal - embora, pela primeira vez na história, a Wizards tenha autorizado o uso de algumas delas em torneios de Commander. As cartas dos terrenos básicos de Unstable tinham uma bela arte, que se estendia até os limites das cartas, sem bordas, o que fez com que fossem muito procuradas pelos colecionadores e alcançassem altos preços nos sites de leilão.

No ano de 2018, Magic: The Gathering completaria 25 anos, e várias comemorações seriam marcadas, dentre elas o lançamento, em abril, de Dominaria (Dominária). Dominária é o nome do plano "original" de Magic, no qual as primeiríssimas expansões do jogo eram ambientadas, mas, diferentemente do que ocorre com os demais planos, jamais havia sido lançada uma expansão com seu nome. Dominaria trouxe 269 cartas, incluindo um novo tipo de encantamento, chamado Saga. Cada Saga conta uma história relacionada a Magic, em três capítulos, cada capítulo com um efeito, com o primeiro sendo resolvido quando a carta entra em jogo e os outros dois nos dois turnos seguintes. Algumas cartas de Artefato e Lendárias faziam referência a cartas ou eventos de expansões antigas, trazendo a habilidade Histórica, e conferindo bônus ao jogador que as usar. No enredo da expansão, os Planeswalkers chegam a Dominária e descobrem que o plano está ameaçado pelo demônio Belzenlok, decidindo, então, enfrentá-lo. Sendo uma expansão especial, Dominaria não faria parte de nenhum bloco, sendo uma "expansão solo".

Em junho de 2018, seria lançado Battlebond, que, assim como Commander e Archenemy, era destinado a mais de dois jogadores; a diferença, aqui, é que os duelos ocorrem dois contra dois, ou seja, com dois jogadores controlando o mesmo baralho e agindo em dupla para derrotar outros dois. A primeira expansão de Battlebond trazia 254 cartas, sendo 85 inéditas. No mesmo mês, seria lançado Signature Spellbook: Jace, primeiro da nova série Signature Spellbook, que traria as cartas que representam as magias usadas pelos Planeswalkers; essa primeira edição, evidentemente, é dedicada a Jace Beleren, e traz nove cartas, todas reimpressões, sendo sete com nova arte.

Como parte das comemorações pelos 25 anos de Magic, e aproveitando o espaço no cronograma causado pelo fato de que Dominaria era um "bloco de um", em julho de 2018 a Wizards decidiria lançar uma nova expansão básica, chamada Core Set 2019, com 314 cartas, das quais 181 eram novas. Apesar de todas essas novidades, Core Set 2019 segue o mesmo esquema das demais expansões básicas, trazendo as cartas mais úteis para quem está começando e aprendendo o jogo. A Wizards ainda vai anunciar para onde o jogo seguirá a partir daí, mas o provável é que retornem ao esquema de dois blocos de duas expansões cada por ano, o próximo sendo lançado em setembro.

0 enfiaram o nariz:

Postar um comentário