domingo, 28 de julho de 2013

Loucademia de Polícia

Os assuntos para o átomo surgem dos lugares mais estranhos. Há um tempo atrás, quando vi o primeiro cartaz de Velozes e Furiosos 6, fiz um comentário no Twitter, tipo "Velozes e Furiosos 6? Que isso, Loucademia de Polícia?". Desde então, estou com vontade de fazer um post sobre Loucademia de Polícia. Que será feito hoje. Com essa introdução bem curtinha, porque não há muito mais o que se dizer aqui.


Loucademia de Polícia (que, em inglês, se chama simplesmente Police Academy, "academia de polícia") foi, de início, apenas mais um dos despretensiosos filmes de comédia da década de 1980. Produzido por Paul Maslansky e dirigido por Hugh Wilson, que até então só tinha trabalhado com comédias para a TV, mas criado pelos roteiristas Neal Israel e Pat Proft (responsáveis também por outras pérolas da época, como A Última Festa de Solteiro), o filme estrearia em 23 de março de 1984, rendendo dezoito vezes mais do que custou e se tornando a sexta maior bilheteria do ano nos Estados Unidos, ficando atrás apenas de filmes hoje considerados grandes clássicos: Um Tira da Pesada, Os Caça-Fantasmas, Indiana Jones e o Templo da Perdição, Gremlins e Karate Kid - e à frente de O Exterminador do Futuro e Jornada nas Estrelas 3.

A crítica, por outro lado, não gostou nada do filme, com os principais críticos lhe dando zero estrelas, bonequinho indo embora ou seja lá qual for o equivalente da pior avaliação possível. Os principais pontos criticados foram que as duas metades do filme não se comunicavam (segundo os críticos, pareciam dois filmes diferentes) e que as piadas do filme se resumiam a esquetes soltos e mal conectados, sem continuidade. Os personagens, entretanto, eram descritos como cativantes e muito bem construídos, o que talvez tenha sido uma das razões para o sucesso junto ao público.

No filme, uma onda de criminalidade assola a cidade (que não tem nome, e jamais é identificada), e uma falta de policiais leva a Prefeita, recém-eleita, a tomar uma atitude radical, abolindo todos os pré-requisitos físicos e mentais dos testes para quem quiser ingressar na Academia de Polícia - em outras palavras, qualquer um pode ser um policial, bastando se graduar na Academia. Isso faz com que todo tipo de gente se inscreva, como o ex-militar viciado em adrenalina e colecionador de armas Eugene Tackleberry (David Graf); o gigantesco Moses Hightower (Bubba Smith), que, apesar do tamanho e força, é tímido e delicado; a também tímida Laverne Hooks (Marion Ramsey), cuja voz é pouco mais que um sussurro; o sedutor George Martín (Andrew Rubin), mais interessado em conquistar todas as mulheres da academia; e dois cidadãos não tão peculiares mas dispostos a dar rumos diferentes às suas vidas, Leslie Barbara (Donovan Scott), acima do peso e frequentemente alvo de bullying, e Douglas Fackler (Bruce Mahler), infeliz no casamento e propenso a causar acidentes. Evidentemente, muitas pessoas aptas ao serviço também se inscrevem, como a bela e competente Karen Thompson (Kim Catrall).

Mas a peça principal da nova leva de recrutas é Carey Mahoney (Steve Guttenberg), trambiqueiro com sérios problemas de autoridade que não consegue se firmar em nenhum emprego. Mahoney vive aprontando e sendo preso, mas o Capitão Reed (Ted Ross), o chefe do distrito policial, sempre o acaba liberando por ser um velho amigo de seu pai. Quando Mahoney apronta além da capacidade do Capitão Reed de defendê-lo, ele lhe dá um ultimato: ou toma jeito, se inscrevendo na Academia de Polícia e se tornando um policial exemplar, ou irá de vez para a prisão. Mahoney aceita, com a condição de que um de seus amigos, Larvell Jones (Michael Winslow), que também está a ponto de ser preso, receba a mesma oportunidade. Mahoney e Jones, então, se inscrevem na academia, e Mahoney começa a infernizar a vida de todos lá - já que não pode sair voluntariamente sem ser preso, ele planeja ser expulso, sem saber que o Capitão Reed deu ordens expressas para que, faça Mahoney o que fizer, poderá receber qualquer punição, menos a expulsão.

A principal pedra no sapato de Mahoney e dos novos e incompetentes recrutas é o Tenente Thaddeus Harris (G.W. Bailey), responsável pelo treinamento dos novos recrutas. O Comissário de Polícia da Cidade, Henry J. Hurst (George R. Robertson) é contra a presença dos novos recrutas, e ordena que Harris faça da vida deles um inferno, para que todos desistam antes de se formarem. Harris, disposto a vencer na vida puxando o saco do Comissário, imediatamente seleciona dois novos recrutas mau-caráteres, Kyle Blankes (Brant Von Hoffman) e Chad Copeland (Scott Thomson), para atrapalhar ao máximo o treinamento, levando os novos recrutas à expulsão motivada ou desistência. Felizmente, o diretor da academia, Comandante Eric Lassard (George Gaynes) é simpático à sua presença, e, com a ajuda da bela e fogosa Sargento Debbie Callahan (Leslie Easterbrook), se esforçará para fazer de todos eles policiais exemplares. Mahoney e seus amigos terão a oportunidade de provar que são dignos da farda quando uma onda de protestos explode pela Cidade, colocando em risco a vida do próprio Capitão Harris.

O sucesso de Loucademia de Polícia junto ao público faria com que a Warner, estúdio responsável pelo filme, decidisse investir em uma continuação. E em mais outra, e mais outra e mais outra - ao todo, sete filmes foram lançados, todos produzidos por Maslansky, que, por isso, frequentemente é considerado o "pai" da franquia.

O segundo filme, Loucademia de Polícia 2: A Primeira Missão (Police Academy 2: Their First Assignment), seria lançado em 29 de março de 1985, dirigido por Jerry Paris. Houve um esforço para se reduzirem as piadas consideradas impróprias para menores, pois foi constatado que grande parte do público do primeiro filme havia sido de crianças. Embora isso possa ter contribuído para mais um desempenho ruim junto à crítica, que considerou as piadas do filme "imaturas", com certeza contribuiu positivamente para a bilheteria - mais uma vez, o filme rendeu bem mais do que custou, por volta de doze vezes mais, se tornando a décima maior bilheteria do ano nos Estados Unidos.

Quando uma gangue de desordeiros liderada pelo psicótico Zed (Bobcat Goldthwait) começa a barbarizar a cidade - especialmente a loja do pobre Carl Sweetchuck (Tim Kazurinsky) - o Comissário dá um ultimato ao Capitão Pete Lassard (Howard Hesseman), chefe do distrito onde atua a gangue: se ele não conseguir restaurar a ordem em 30 dias, será demitido. Para conseguir cumprir o prazo, Pete recorre a seu irmão, Eric Lassard, que lhe envia seus melhores recrutas recém-formados da Academia: Mahoney, Hightower, Tackleberry, Jones, Fackler e Hooks. Eles entram em serviço imediatamente, cada um em dupla com um dos antigos policiais do distrito - Mahoney fica com o desorganizado e bagunceiro Vinnie Schtulman (Peter Van Norden), Fackler com o veterano Dooley (Ed Herlihy), e Tackleberry com a Sargento Kathleen Kirkland (Colleen Camp), que compartilha seu amor por armas e adrenalina, o que faz com que os dois se apaixonem e se casem.

Mas, além de lidar com a gangue de Zed, Mahoney e seus amigos ainda terão outro problema pela frente: o ambicioso Tenente Mauser (Art Metrano), que busca se tornar Capitão após a demissão de Pete Lassard, e, com a ajuda do pouco inteligente Sargento Proctor (Lance Kinsey), tentará impedir os novos policiais de cumprirem sua missão a tempo.

No terceiro filme, Loucademia de Polícia 3: De Volta ao Treinamento (Police Academy 3: Back in Training), Mahoney e seus amigos retornam à Academia de Polícia. Para cortar custos, o Governador decide fechar uma das duas Academias de Polícia do Estado, e, ao longo de trinta dias, colocará ambas sob observação, fechando a que se sair pior no resultado da avaliação. Mauser, que aparentemente foi promovido a Comandante da outra Academia, trama com Proctor o fechamento da Academia de Eric Lassard, e chama Blankes e Copeland, que querem se vingar de Mahoney, para se infiltrarem lá e garantirem que o desempenho seja o pior possível. Lassard, por sua vez, convida Mahoney, Jones, Hightower, Fackler, Hooks e Tackleberry para se unirem a ele e a Callahan como instrutores da nova turma - que inclui Zed, Sweetchuck, o irmão de Kirkland (Andrew Paris), a esposa de Fackler (Debralee Scott), um policial japonês em programa de intercâmbio, chamado Tomoko Nogata (Brian Tochi) e a bela Karen Adams (Shawn Weatherly), novo interesse amoroso de Mahoney.

Dirigido mais uma vez por Jerry Paris e tendo estreado em 21 de março de 1986, Loucademia de Polícia 3 foi novamente um grande sucesso de público, estreando no primeiro lugar mas fechando o ano como décima-sétima maior bilheteria. A crítica, mais uma vez, espinafrou o filme, criticando, principalmente, o retorno ao treinamento básico depois de a história já ter evoluído rumo ao trabalho policial. A fórmula, de fato, parecia estar cada vez mais gasta - notem que a bilheteria também caía consideravelmente de um filme para o seguinte - tanto que o quarto filme renderia quase a metade do terceiro, não fecharia o ano nem entre as 40 maiores bilheterias, e seria, mais uma vez, duramente criticado.

Em Loucademia de Polícia 4: O Cidadão se Defende (Police Academy 4: Citizens on Patrol), dirigido por Jim Drake e com estreia em 3 de abril de 1987, o Comandante Lassard apresenta um novo programa, o Cidadãos em Patrulha (cuja sigla, em inglês, é COP, que significa "policial"), no qual cidadãos comuns poderão se alistar para receber treinamento especial e trabalhar ao lado dos policiais da cidade, ajudando na prevenção de crimes. Mahoney, Hightower, Jones, Tackleberry, Hooks, Callahan, Nogata, Sweetchuck e Zed são os policiais escolhidos para treinar e trabalhar com os voluntários, que incluem Lois Feldman (Billie Bird), senhora idosa que, assim como Tackleberry, é viciada em adrenalina; o advogado trabiqueiro Butterworth (Derek McGrath); a fotógrafa Laura (Corinne Bohrer), que se apaixona por Zed; Tommy Conklin (Tab Thacker), que, de tão gordo, ganhou o apelido de House ("casa"); e os skatistas Kyle (David Spade) e Arnie (Brian Backer), que, assim como Mahoney no primeiro filme, têm de se alistar no programa como pena alternativa por terem andado de skate dentro de um shopping - vale citar que um dos membros do grupo de skatistas do qual Kyle e Arnie fazem parte é Tony Hawk, na época um adolescente, mas que viria a ser um dos mais famosos skatistas do mundo.

Como de costume, um policial invejoso tentará fazer com que o programa falhe para prejudicar Lassard; em Loucademia de Polícia 4, esse antagonista é, mais uma vez, o Capitão Harris - Art Metrano seria convidado para ser mais uma vez o vilão, mas, após se machucar durante as gravações do terceiro filme, pediria para seu personagem deixar a série. Harris, que herda a duvidosa ajuda de Proctor, decide fazer tudo o que está a seu alcance para que os voluntários passem vergonha diante da imprensa - cuja principal representante no filme é a jornalista Claire Mattson (Sharon Stone), interesse amoroso de Mahoney - e o público fique contra o programa.

Para o quinto filme, Maslansky se deparou com um problema: envolvido com as gravações de Três Solteirões e um Bebê, Steve Guttenberg não pôde participar. A Warner não quis esperar até que ele estivesse liberado, o que poderia comprometer seu planejamento de um filme por ano, então Maslansky decidiu criar um novo personagem para o seu lugar, o que faria com que o quarto filme fosse o último com Mahoney. Com o nome de Loucademia de Polícia 5: Missão Miami Beach (Police Academy 5: Assignment Miami Beach), o quinto filme seria dirigido por Alan Myerson, e estrearia em 18 de março de 1988, mais uma vez com público relativamente bom, mas universalmente rejeitado pela crítica.

A história começa com um roubo de diamantes, orquestrado por Tony (Rene Auberjonois, que mais tarde seria o Odo de Jornada nas Estrelas: Deep Space Nine), que esconde as pedras preciosas em uma câmera para levá-las a Miami, onde as entregará a um contrabandista. Quem também está indo para Miami é o Comandante Lassard, que terá de deixar o comando da Academia e se aposentar compulsoriamente - graças a uma denúncia de Harris, que descobre que Lassard já passou da idade de se aposentar, e planeja assumir a Academia após sua saída. Como uma última homenagem a seus serviços prestados, o Comissário Hurst o convida para a Convenção Nacional de Chefes de Polícia em Miami, onde ele receberá o título de "Policial da Década". Lassard viaja em companhia de Hightower, Jones, Tackleberry, Hooks, Callahan e House. Harris, que planeja mostrar a Hurst que é o homem certo para suceder Lassard, também viaja, em companhia de Proctor.

Durante a viagem, Lassard acidentalmente confunde sua bolsa com a de Tony, já que ambas são idênticas, o que faz com que os diamantes vão parar no hotel com o Comandante e os policiais. Enquanto os bandidos tentam reavê-los, os policiais participam de vários eventos envolvendo a polícia de Miami, em especial o Sargento Nick Lassard (Matt McCoy), sobrinho do Comandante (e filho de Pete? Ou eles têm um outro irmão/irmã?), e a policial Kate (Janet Jones), interesse amoroso de Nick.

Nick acabaria sendo incluído também no elenco do sexto filme, Loucademia de Polícia 6: Cidade em Estado de Sítio (Police Academy 6: City Under Siege), lançado em 10 de março de 1989 e dirigido por Peter Bonerz. Dessa vez, o Prefeito (Kenneth Mars) seleciona pessoalmente Harris e Proctor para prender uma gangue acusada de cometer vários crimes na Cidade, composta por Ace (Gerrit Graham), Flash (Brian Seeman) e Ox (Darwyn Swalve). Quando a dupla se mostra incapaz de lidar com eles, o Prefeito ordena, para desespero de Harris, que eles recebam a ajuda do Comandante Lassard, graças à sua vasta experiência. Lassard, então, convoca Hightower, Tackleberry, Jones, Hooks, Callahan, Fackler e Nick para formar uma força-tarefa e deter os criminosos. Após concluir que os três criminosos são burros demais para planejar os crimes, a força-tarefa descobre que o verdadeiro líder ém um criminoso conhecido apenas como Mestre, e agora tem de descobrir quem ele é e qual será seu próximo plano.

Loucademia de Polícia 6 seria o primeiro filme da série a não conseguir o primeiro lugar da bilheteria em seu fim de semana da estreia, e renderia apenas um milhão de dólares a mais do que custou. Como foi mais uma vez detonado pela crítica, muita gente acreditou que seria o último, e que a fórmula já estava gasta. De fato, em 1990 não houve filme novo da série, mas Maslansky ainda tentaria mais uma vez alguns anos depois: em 26 de agosto de 1994, com direção de Alan Metter, estrearia Loucademia de Polícia 7: Missão Moscou (Police Academy: Mission to Moscow, primeiro a não ter um número no título original).

No sétimo filme, o criminoso Konstantine Konali (Ron Perlman), cria um game capaz de hackear qualquer computador que o tenha instalado, permitindo-o derrubar o sistema de segurança de bancos e financeiras e roubar seu dinheiro. Já que a polícia russa não consegue prendê-lo, o comandante da polícia de Moscou, Alexandrei Nikolaivich Rakov (Christopher Lee), decide pedir ajuda a um amigo norte-americano que conheceu durante a convenção em Miami: Eric Lassard. Lassard decide ir pessoalmente a Moscou, levando com ele o Capitão Harris, Jones, Tackleberry, Callahan e o novato Kyle Connors (Charlie Schlatter). Com a ajuda da intérprete Katrina (Claire Forlani), eles tentarão pegar Konali com um audacioso plano: criar outro game, capaz de hackear os computadores do vilão.

Loucademia de Polícia 7 foi um dos primeiros filmes norte-americanos a receber permissão para ser filmado na Rússia. Infelizmente, é também o pior da série, detonado pela crítica - que chegou a dizer que, se os Estados Unidos e a Rússia ainda estivessem na Guerra Fria, esse filme seria uma excelente arma - e ignorado pelo público, rendendo apenas míseros 126.247 dólares. Depois desse desempenho abissal, não houve argumento de Maslanksy que convencesse a Warner a deixá-lo tentar mais uma vez.

Já que não conseguiu continuar no cinema, Maslansky tentaria ir para a televisão, e em 1997 convenceria a Warner a produzir uma série de TV inspirada na série de filmes. Police Academy: The Series mostra o treinamento de uma nova leva de recrutas, cujo principal é Rich Casey (Matt Borlenghi), que, assim como Mahoney, após se meter em confusão, recebeu a pena alternativa de ter de se tornar um policial exemplar. Rich está mais interessado em curtir a vida, transformar a Academia em uma espécie de clube e infernizar o rigoroso Sargento Rusty Ledbetter (Rod Crawford), principal encarregado do treinamento dos novos recrutas; mas acaba se apaixonando por Annie Metford (Heather Campbell), cadete que reluta em entrar em um novo relacionamento, já que, por alguma razão, todos os seus namorados sofrem acidentes horríveis. Além de Rich e Annie, a turma conta com os irmãos Dirk (Toby Proctor) e Dean Tackleberry (Jeremiah Birkett), que sempre querem resolver tudo com enormes armas de fogo; o musculoso porém pouco inteligente Luke Kackley (Tony Longo); a atlética Alicia Cervantes (Christine Gonzalez), que decidiu ser policial para se livrar de um namorado inconveniente; e com o puxa-saco Lester Shane (P.J. Ochlan), que sempre quer ser visto favoravelmente pelo Sargento Ledbetter. Completam o elenco fixo o Comandante Stuart Hefilfinger (Joe Flaherty), sucessor de Lassard como responsável pela Academia, e o Sargento Larvell Jones, único dos filmes a aparecer em todos os episódios da série de TV - embora alguns outros, como o próprio Lassard, tenham feito participações especiais. Police Academy: The Series estreou em 12 de setembro de 1997 já em esquema de syndication - vendida simultaneamente para vários canais ao invés de financiada por um - e não agradou o público, contando sempre com baixa audiência, o que fez com que ela só durasse uma temporada de 26 episódios, o último exibido em 22 de abril de 1998.

A série de TV não seria a única excursão da Loucademia pela televisão: em 1988, entre os filmes 4 e 5, a Warner decidiria investir em uma série animada, produzida pela Ruby-Spears. Na série, Mahoney e seus amigos combateriam um criminoso conhecido como Kingpin, que se utilizaria de capangas ao estilo próprio dos Desenhos Animados, com nomes como Fuinha, Amazona e Dr. Camaleão, para controlar todo o crime na cidade. Além de Mahoney, o desenho conta com a presença do Comandante Lassard, do Capitão Harris, e de Proctor, Hightower, Jones, Tackleberry (que carrega uma bazuca), Hooks, Callahan, House, Zed e Sweetchuck, além do novo personagem Professor, responsável por criar equipamentos de alta tecnologia que auxiliam os policiais em suas missões. Como todo desenho animado baseado em filmes tem de incluir alguma bizarrice, a de Loucademia de Polícia era o Esquadrão K-9, que contava com cinco cachorros especialmente treinados para acompanhar os policiais em suas missões: o Buldogue Samson, o Husky Siberiano Lobo, o São Bernardo Bonehead, o Chihuahua Chilipepper e a Golden Retriever Schitzi. A bizarrice ficava pelo fato de que os cães podiam falar - embora, felizmente, somente entre si e com outros animais. Ao todo, a série animada teve duas temporada, a primeira com 26 episódios, estreando em 10 de setembro de 1988, e a segunda com mais 39 (para um total de 65), o último sendo exibido em 2 de setembro de 1989.

Desde 2006, Maslanksy tenta aproveitar a onda de remakes e revivals que assola Hollywood para fazer um novo Loucademia de Polícia. Esse novo filme já entrou e saiu de pré-produção diversas vezes, e já foi um remake, com novos atores interpretando os mesmos personagens (chegaram a sondar Shaquille O'Neal para o papel de Hightower), um oitavo filme, com os atores originais repetindo seus papéis (exceto Tackleberry e Hightower, que já faleceram), ou até mesmo um híbrido, com alguns atores originais repetindo seus papéis, mas com enredo focado em uma nova turma de cadetes da Academia. Atualmente, a Warner confirma que o filme está mais uma vez em pré-produção, que será produzido por sua subsidiária New Line, e dirigido por Scott Zabielski. Não há ainda informações confirmadas sobre elenco ou enredo, nem previsão de estreia.

0 enfiaram o nariz:

Postar um comentário