segunda-feira, 20 de junho de 2011

Centurions / Inhumanoids

Hoje teremos mais um post sobre desenhos dos anos 80. E hoje, finalmente, falarei sobre Centurions! "Finalmente" não porque eu estava ansioso por falar, porque eu gostasse muito ou porque era muito famoso, mas porque eu já adiei duas vezes, e chega uma hora em que a gente tem que assumir as responsabilidades da vida e parar de adiar as coisas.

Se bem que, na verdade, Centurions era até bem famoso, e eu até gostava bastante. Uma co-produção da Ruby-Spears, Sunrise e Hanna-Barnera, o desenho foi criado pelos donos do primeiro estúdio, Joe Ruby e Ken Spears, em parceria com duas lendas das histórias em quadrinhos, Jack Kirby e Gil Kane. Isso fez com que o desenho não somente ficasse com cara de uma revista desenhada pelo Kirby como também lhe deu um clima próprio de histórias de super-heróis, com vários episódios explorando temas que não eram comuns em desenhos infanto-juvenis de meia hora da época.

Os Centurions do título são três bravos ex-militares, cada um especialista em uma área de operação: Ace McCloud é o especialista no ar, Max Ray o especialista no mar, e Jake Rockwell o especialista em terra. Após intensivo treinamento, cada um dos três recebeu uma roupa especial, conhecida como exo-frame. Além de amplificar a força de seu usuário, a exo-frame permite que eles se unam a conjuntos especiais de equipamentos relacionados à sua área de atuação, se transformando em homens-máquina.

Para isso, os Centurions contam com a ajuda de Crystal Kane, única mulher da equipe, e que não tem uma exo-frame. Extremamente inteligente e uma estrategista brilhante, Crystal monitora as operações dos Centurions de uma base no espaço chamada Sky Vault, em companhia do cachorro Shadow e da orangotango Lucy. Quando um dos Centurions necessita de algum equipamento, Crystal aciona o computador da Sky Vault, que o envia para se combinar com a exo-frame do herói, enquanto ele grita a frase "Força Extrema".

Cada um dos conjuntos de equipamento possui um nome e uma finalidade específica, e, a princípio, só pode se unir ao Centurion para o qual ele foi projetado, até porque ele é o único que recebeu treinamento para usá-lo. Em situações desesperadoras, entretanto, um Centurion pode usar um conjunto originalmente projetado para outro, mas sofrerá severas limitações pela incompatibilidade de sua exo-frame, bem como por sua falta de treinamento com aquele conjunto.

Ace, de exo-frame azul, tem equipamentos relacionados a missões no ar, como o Sky Knight, uma mochila voadora armada com lasers e mísseis guiados por calor; o Sky Bolt, espécie de jato capaz de alcançar altas velocidades e com armamento pesado; o Orbital Interceptor, que permite que Ace realize missões no espaço; e o Strato Strike, um planador capaz de alcançar grandes altitudes.

Max, de exo-frame verde, possui equipamentos relacionados a missões na água: o Cruiser, um mini-submarino com lasers, torpedos e radar; o Tidal Blast, submarino mais reforçado e de armamento mais pesado; o Depth Charger, capaz de atingir grandes profundidades; o Sea Bat, submarino leve que alcança grandes velocidades; e o Fathom Fan, que se assemelha a um bote armado com lasers.

Já os equipamentos de Jake, de exo-frame amarela, são próprios para missões em terra: o Fireforce, conjunto de armas baseadas em plasma e laser, com radar; o Detonator, espécie de mecha armado com mísseis; a motocicleta Wild Weasel; o helicóptero Hornet; o tanque Swingshot; a perfuradeira Awesome Auger; e o Land Laser, semelhante ao Fireforce, mas armado com mísseis. O cachorro Shadow, na verdade, pertence a Jake, e, em algumas missões, até o acompanha, usando uma espécie de exo-frame com dois lança-mísseis.

O principal vilão da série - e principal motivo pelo qual os Centurions foram criados - é o Dr. Terror, um ciborgue que pretende dominar o mundo com seus robôs, transformar as pessoas em ciborgues ou extorquir dinheiro do mundo ameaçando destruir o meio-ambiente, dependendo do episódio. Todo o lado esquerdo do Dr. Terror é robótico, mas seu lado direito também possui partes cibernéticas, inclusive encaixes semelhantes aos das exo-frames. O principal capanga do Dr. Terror é Hacker, um brutamontes não muito inteligente, mas extremamente forte. Assim como o Dr. Terror, um lado inteiro de seu corpo - no caso, o lado direito - é robótico, mas o outro também possui partes cibernéticas. Em um dos episódios, os lados robóticos de Dr. Terror e Hacker se rebelaram e se combinaram para formar um novo vilão, chamado Uniborg.

O Dr. Terror conta com um verdadeiro exército de robôs, chamados Doom Drones. O tipo mais comum só é capaz de andar, mas tem dois lasers no lugar dos braços. Um segundo tipo, mais raro, é capaz de voar, é armado com mísseis e lasers, e pode se dividir no meio para se combinar ao Dr. Terror e a Hacker, possibilitando que eles voem também. Um tipo mais raro ainda se parece com um submarino, sendo capaz de missões sob a água, e o mais raro de todos é maior que os outros, possui enormes canhões, e usa rodas para se locomover. A partir do episódio 6, o Dr. Terror recebe a ajuda esporádica - ou seja, não em todos os epispodios - de sua filha Amber, que é completamente humana. Amber é apaixonada por Jake, e aparentemente possui seus próprios planos malignos, se colocando contra o pai em algumas ocasiões.

Centurions estreou, já em syndication - em vários canais ao mesmo tempo - na forma de uma minissérie em cinco episódios, exibidos entre 7 e 11 de abril de 1986. O sucesso da minissérie levou à criação de uma série regular de 60 episódios, exibidos também em syndication entre 23 de setembro e 12 de dezembro de 1986 - por um acaso terminando também com um episódio em cinco partes. Infelizmente, mais para o final da série a audiência começou a cair, o que levou a algumas decisões equivocadas - como diminuir a ação e aumentar o humor - e, finalmente, ao cancelamento da segunda temporada, prevista para 1987.

Depois da metade da série os produtores também decidiram acrescentar dois Centurions novos, para "aumentar a diversidade cultural" da equipe. Rex Charger, de exo-frame prateado, era o mais velho de todos, um especialista em energia (seja lá o que isso signifique) e contava com os conjuntos Electro Charger, capaz de absorver energia de fontes próximas, desabilitando sistemas elétricos, e contava com um míssel capaz de desligar tudo o que fosse elétrico nas redondezas de sua explosão; e Gatling Guard, conjunto de armas capazes, dentre outras proezas, de anular a força da gravidade, gerar campos magnéticos e campos de força.

Já John Thunder, de exo-frame azul escura, era um índio, especialista em infiltração, e que contava com um arco e flecha cibernético, uma faca vibratória, luvas magnéticas que o auxiliavam em escaladas, e com o conjunto Thunder Knife, armado com lasers, mísseis e serras, e que o ajudava a rastrear inimigos. Junto com a entrada de Rex e Thunder, Ace e Max ganharam novos conjuntos, respectivamente o Aero-Sault, que se parecia com uma combinação do Sky Knight com o Orbital Interceptor; e o Aqua Blazer, uma versão melhorada do Cruiser.

Como era de se esperar, os Centurions também tiveram sua linha de brinquedos, mas dessa vez ela foi baseada no desenho, e não o contrário, como de costume. Lançada pela Kenner ainda em 1986, a série trazia Ace, Max, Jake, Dr. Terror e Hacker, além dos conjuntos dos três Centurions vendidos separadamente. Uma segunda série de brinquedos, que traria Rex, Thunder, Crystal e talvez novos personagens e conjuntos que estreariam na segunda temporada, estava prevista para 1987, mas acabou cancelada após o cancelamento do desenho. Além do desenho e dos brinquedos, os Centurions também tiveram uma série em quadrinhos publicada pela DC Comics, mas que só durou quatro edições.

Como eu sempre falo de desenhos dos anos 80 dois a dois, passemos agora para o segundo do dia, Inhumanoids. Que, na verdade, só estreou aqui no Brasil já na década de 1990, mas, como eu o achava bem legal, e nos Estados Unidos ele estreou em 1985, tá valendo.

Assim como Centurions, Inhumanoids era mais próximo das histórias em quadrinhos de super-heróis - até porque era co-produzido pela Marvel, junto com a Sunbow - e um tanto diferente do que se via em outros desenhos da mesma época. Aliás, bem diferente, mais até do que Centurions, já que tinha subtramas que se alastravam por vários episódios, e cenas nojentas como amputações e mortes por ácido que jamais seriam vistas em desenhos para crianças de hoje em dia. Além dessa característica, Inhumanoids tinha outras duas características bastante curiosas: primeiro, era batizado com o nome dos vilões do desenho, e não com o dos heróis como era costume; segundo, não estreou como um desenho de meia hora, mas em 15 episódios de apenas 7 minutos cada.

Isso porque Inhumanoids era parte do segmento Super Sunday, que trazia também três outros desenhos da Sunbow/Marvel: Bigfoot and the Muscle Machines, Jem e as Hologramas e Robotix. Os quatro se revezavam para formar um "desenho" de 22 minutos (mais anúncios, meia hora), exibido em regime de syndication todo domingo - ou sábado, em algumas cidades nas quais seu nome era ajustado para Super Saturday - pela manhã, entre outubro de 1985 e outubro de 1986. Bigfoot foi o que fez menos sucesso, sendo cancelado após apenas 9 episódios; Jem e Inhumanoids; por sua vez, sobreviveram ao cancelamento do Super Sunday, e se tornaram séries regulares.

Esses 15 episódios originais de Inhumanoids acabariam editados para se tornar uma minissérie de cinco episódios de 22 minutos cada, que serviria também como os cinco primeiros episódios da série regular, que então seriam seguidos por oito totalmente novos, totalizando uma primeira temporada de 13. O primeiro episódio dessa temporada - que, na verdade, era uma edição dos três primeiros episódios originais - estrearia no canal USA Network em 21 de setembro de 1986. Sem conseguir manter sozinha o sucesso que fazia no Super Sunday, a série acabaria tendo somente essa temporada, não sendo renovada para uma segunda.

Os heróis de Inhumanoids são os humanos da Earth Corps, um grupo de cientistas dedicados à pesquisa geológica, que têm de se transformar em heróis quando os Inumanoides do título ameaçam o planeta. Para isso, eles contam com modernas armaduras, adaptadas dos equipamentos que usavam em seus estudos. O líder da Eath Corps, Herc Armstrong, por exemplo, usava como arma um poderoso gancho com corda que podia ser disparado, originalmente usado para escaladas em cavernas. As armas e armaduras foram criadas em conjunto pelo Dr. Derek Bright, cientista da equipe, um intelectual que sempre tenta ver as coisas da forma mais lógica possível, e por Eddie Auguter, apelido Auger, o mecânico cabeça-dura que muitas vezes prefere dialogar com os punhos. Desnecessário dizer, os dois estavam sempre discutindo por qualquer motivo.

O membro mais popular da equipe é Jonathan M. Slattery, apelido Liquidator, químico cuja armadura possui canhões capazes de lançar todos os tipos de compostos, desde ácido a neutralizantes de ácido, passando por nitrogênio líquido e napalm. Anatoly Kiev, apelido Tank, é um ex-jogador de xadrez e coronel do exército soviético, cuja armadura, capaz de amplificar sua força, justificando seu apelido, foi feita com partes de um tanque, mantendo, inclusive, o canhão. Brad J. Armbruster, apelido Sabre Jet, é um ex-piloto de caça norte-americano paraplégico, único com uma armadura capaz de voar. Completa a equipe a única mulher do time, Sandra Shore, presidente de Fundação Shore, que financia pesquisas científicas.

Os cientistas se tornam heróis, como já foi dito, com a chegada dos Inumanoides. Aprisionados há séculos no centro da Terra, eles acabam libertados por acidente durante as pesquisas da própria Earth Corps, e se põem a destruir tudo. Cada Inumanoide é um monstro gigantesco, capaz de "destruir tudo" só com seu tamanho e sua força, mas, além disso, cada um possui um poder bizarro diferente.

O primeiro Inumanoide a surgir é Tendril, um homem-planta que pode mudar de tamanho à vontade, possui um monte de tentáculos e regenera partes perdidas - sendo que pedaços grandes o suficiente se transformam em novos homens-planta quando cortados. Tendril liberta D'Compose, que se parece com um dinossauro em decomposição, tem medo do Sol, a habilidade de transformar humanos em zumbis gigantes com um mero toque - que voltam a ser humanos se expostos ao Sol - e ainda tem o péssimo hábito de guardar prisioneiros em sua caixa torácica exposta. Ambos, então, libertam o líder dos monstros, Metlar, feito do mesmo material que o núcleo da Terra, capaz de cuspir lava e de dar vida a estátuas com o poder de sua mente. Sua fraqueza é o magnetismo, que o paralisa.

Mais para o meio da série surgem dois novos Inumanoides. Sslither é o antigo líder, destronado no passado por Metlar, tem a habilidade de cuspir raios elétricos e de comandar serpentes. Já Gagoyle é praticamente uma boca com pernas, cujo único desejo na vida é comer tudo o que vê pela frente.

Os Inumanoides não são os únicos monstros do desenho: quando eles ressurgem, ressurgem também os Mutores, criaturas elementais que aprisionaram os Inumanoides originalmente, e que agora ajudam os cientistas da Earth Corps a fazê-lo de novo. Os Mutores se dividem em três tribos: os Redwoods são criaturas semelhantes a árvores, capazes de viver milhares de anos e acumular conhecimento quase infinito, que também possuem a habilidade de mudar o próprio tamanho, além da de se disfarçar de troncos; seus membros mais ativos são o chefe da tribo, Redlen, e o jovem Redsun. Os Granitos são criaturas de pedra, capazes de se dividir em várias pedras menores para se disfarçar, ou de se recompor se forem destruídos por algum ataque; seu líder é Granok, e seus principais contatos com a Earth Corps são o General Granitary e o membro do conselho Granahue. Já Magnokor não é bem uma tribo, mas um único indivíduo, capaz de se dividir em dois, Crygen e Pyre. Os três (?) são feitos de lava, mas Crygen e Pyre têm polaridades invertidas: Crygen é azul, calmo e plácido, enquanto Pyre é vermelho, brigão e irritado. Ambos conseguem gerar um poderoso campo magnético, o que faz com que sejam grandes antagonistas de Metlar - aliás, eles consideram deter Metlar sua principal tarefa, e não descansarão até consegui-lo.

Outros personagens de destaque incluem Blackthorne Shore, irmão de Sandra, um ex-arqueólogo sociopata que pretende controlar os inumanoides para dominar o mundo; Nightcrawler, um monstro criado por D'Compose ao reanimar o corpo do Dr. Herman Manglar, geneticista que tinha como passatempo criar aberrações monstruosas; e Hector Ramirez, apresentador de um programa de televisão sensacionalista que adora explorar a luta da Earth Corps contra os Inumanoides - o que costuma deixar Auger furioso. Os Langastoides, uma raça de moluscos que vive em grandes cidades no centro da Terra, também costumam ser presença constante na série.

Como de costume, Inhumanoids também deu origem a uma revista em quadrinhos e uma linha de brinquedos. A revista foi publicada pela Marvel, e seguia a mesma história dos cinco primeiros episódios, mas acabou cancelada após apenas quatro edições, o que deixou a trama sem conclusão. Já a linha de brinquedos foi lançada pela Hasbro logo após a estreia da série regular, e trazia Herc, Derek, Auger, Liquidator, Metlar, Tendril, D'Compose, Redlen, Redsun, um Redwood genérico, Granok e um Granito genérico. Todos tinham detalhes que brilhavam no escuro, os Inumanoides eram gigantescos se comparados aos demais bonecos, e os membros da Earth Corps tinham botões que resultavam em ações como disparar uma arma ou dar um soco. Também como de costume, uma segunda série de brinquedos - que traria Sslither, Tank, Sabre Jet, Nightcrawler e Blackthorne, possivelmente dentre outros - acabou cancelada junto com o desenho.

0 enfiaram o nariz:

Postar um comentário