terça-feira, 24 de agosto de 2010

Friends

Alguns assuntos ficam rolando na minha cabeça por bastante tempo até que eu finalmente resolva falar sobre eles. Alguns rolam mais, outros menos. Um dos campeões é Friends: eu já nem me lembro há quanto tempo eu penso em falar sobre Friends e depois desisto. O que é meio estranho, já que é um seriado que eu absolutamente adoro. Hoje, portanto eu desisti de desistir, e o resultado é esse post que vocês lerão agora!

cima: Chandler, Joey, Ross; baixo: Monica, Phoebe, Rachel


Friends é considerado um dos maiores fenômenos da TV norte-americana, uma das sitcoms de maior sucesso da história. Se somados todos os seus rendimentos, em anunciantes, vendas de DVDs, de produtos associados, e da própria série em esquema de syndication, Friends já rendeu a fabulosa soma de 944 milhões de dólares - e estima-se que, até o final desse ano, já tenha rendido 1 bilhão.

Todo esse sucesso começou com o cancelamento de outra sitcom, Family Album, que durou apenas uma temporada, exibida no canal CBS. Seus criadores, David Crane e Marta Kauffman, começaram a trabalhar imediatamente no piloto de outra série, já que tinham contas a pagar. Quando procuravam o mote, eles conversaram sobre a época em que, recém-formados, se mudaram para Nova Iorque, onde começaram a trabalhar e construir seu futuro, e imediatamente acharam que esse tema renderia uma boa série, já que muitas pessoas se identificariam com esse sentimento. Crane e Kauffman então escreveram um esboço sobre um grupo de seis amigos de vinte e poucos anos que moraria e trabalharia na cidade de Nova Iorque, e o apresentaram ao produtor executivo Kevin S. Bright, que decidiu bancar a ideia. Os três então batizaram sua série como Insomnia Cafe, e escreveram uma sinopse de sete páginas, que ofereceram não à CBS, mas à concorrente NBC, por acreditar que esse tipo de série combinava mais com a programação de lá.

Para sorte deles, o presidente da NBC, Warren Littlefield, estava justamente procurando uma série cômica sobre um grupo de amigos que morassem juntos e dividissem as despesas, se tornando uma família no processo. Ao ler a sinopse de Insomnia Cafe, Littlefield ficou impressionado com a descrição detalhada dos personagens, e imaginou estar diante do que procurava, decidindo bancar o piloto. Littlefield não gostou do título, porém, então Kauffman e Crane o mudaram para Friends Like Us ("amigos como nós"). Com a luz verde, a dupla escreveu o roteiro do piloto, que ficou pronto em três dias. Os executivos da NBC adoraram o roteiro, mas sugeriram uma nova mudança de nome, já que a concorrente ABC tinha uma série de nome parecido, These Friends of Mine ("esses meus amigos"). A série, então, passou a se chamar, oficialmente, Six of One ("seis por um"). A série só passaria a se chamar apenas Friends ("amigos") poucos dias antes da estreia do piloto.

O próximo passo foi escolher os atores que interpretariam os seis amigos. Mais de cinco mil atores se candidataram aos papéis, sendo reduzidos após uma primeira triagem para 75 por personagem, e então para três ou quatro por papel. O único que já estava previamente escolhido era David Schwimmer; além de já ter trabalhado em séries como Anos Incríveis (The Wonder Years), Nova York Contra o Crime (NYPD Blue) e Plantão Médico (ER), Schwimmer havia feito um teste, não sendo aprovado, para outra série escrita por Crane e Kauffman, Couples ("casais"), que estrearia pouco antes de Friends, e trabalhado com Bright na série Monty, que também estreou pouco antes de Friends, a qual protagonizava, mas que foi cancelada após apenas cinco episódios. Crane e Kauffman escreveram especialmente para ele o papel de Ross Geller, paleontólogo que trabalha no Museu de História Natural de Nova Iorque, romântico incurável e um tanto geek.

À segunda atriz escolhida coube o papel de Monica, irmã de Ross, chef talentosa, ex-obesa, obsessiva-compulsiva e de personalidade extremamente competitiva. Monica seria interpretada por Courteney Cox, que já havia participado de filmes como Cocoon 2: O Regresso e Ace Ventura e feito pequenas participações em séries como Seinfeld e Caras e Caretas (Family Ties). Curiosamente, porém, os produtores ofereceram a Courteney outro papel, o de Rachel, mas ela pediu para fazer o teste para Monica. A princípio, eles não acreditaram que seu jeito energético combinaria com a personagem, mas, após ver o teste, a adoraram. A ariz Maggie Wheeler já havia feito o teste e sido pré-selecionada para interpretar Monica, e, após a aprovação de Courteney, os produtores decidiram dar a ela o papel de uma personagem secundária recorrente, Janice Litman.

Rachel Green, uma patricinha que de repente se vê sem o apoio financeiro dos pais ao desistir de se casar com um rico dentista e tem de recomeçar sua vida dividindo apartamento com sua ex-colega de colégio Monica e trabalhando como garçonete, acabou sendo interpretada por Jennifer Aniston, atriz iniciante cujo currículo contava apenas com pilotos de séries que não foram para a frente e participações minúsculas em episódios de Contratempos (Quantum Leap), Herman's Head e Burke's Law, mais conhecida como a afilhada de Telly Savalas (o Kojak), e que havia considerado desistir da carreira de atriz caso Friends não desse certo.

Situação semelhante ocorreu com Matthew Perry, protagonista de séries de pouco sucesso como Sydney e Home Free, ambas canceladas após apenas uma temporada, um piloto cancelado e participações minúsculas em episódios de várias séries, a mais famosa sendo Barrados no Baile (Beverly Hills, 90210) no currículo. Após o teste para Friends, Perry ganhou o papel de Chandler Bing, analista de sistemas de uma empresa multinacional que teve uma infância traumática marcada pelo divórcio dos pais e acabou desenvolvendo um senso de humor altamente sarcástico para se defender do mundo. Se autodefinindo como um perdedor, Chandler não faz muito sucesso com as mulheres, o que o leva a ter um relacionamento io-iô com Janice, mesmo não gostando muito dela.

Quem divide apartamento com Chandler é Joey Tribbiani, ator canastrão e mulherengo, meio limitado intelectualmente mas com um coração enorme, de numerosa família italiana - composta por pai, mãe e sete irmãs. Joey ficaria com Matt LeBlanc, que, curiosamente, era ator de comerciais - responsáveis pela maior parte dos trabalhos de Joey - e videoclipes antes de ganhar um papel na frustrada série TV 101 e de fazer participações em episódios da série erótica Red Shoe Diaries e da comédia Um Amor de Família (Married... with Children) - sendo que essa última lhe rendeu o papel de protagonista em dois Spin-offs, Top of the Heap e Vinnie & Bobby, que só duraram sete episódios cada. Assim como ocorreu com Monica, os produtores não haviam imaginado Joey da forma como LeBlanc fez o teste, preferindo que ele fosse mais esperto e que Chandler fosse o principal contraponto cômico da série, mas os executivos da NBC gostaram tanto da nova faceta do personagem que praticamente os obrigaram a escalar o ator.

O sexteto de amigos se completaria com Phoebe Buffay, massagista e cantora vegetariana, carinhosa, sem-noção mas bastante esperta, papel que ficaria com Lisa Kudrow, comediante que já havia sido reprovada em testes para Frasier e para o Saturday Night Live, participado de um episódio de Cheers, e que, na época dos testes de Friends, estava no ar como a garçonete Ursula de Mad About You. Aproveitando que ela ficaria no ar com dois papéis em duas séries diferentes, os produtores decidiram fazer com que Phoebe e Ursula fossem irmãs gêmeas, e transformar Ursula - que é o oposto total de Phoebe, chegando a ser malvada - em um personagem recorrente também em Friends. Os seis personagens, evidentemente, não "encaixaram" de primeira, e, ao longo da primeira temporada, algumas mudanças em suas personalidades acabaram sendo feitas para que eles se adequassem melhor aos atores que os interpretavam, que então poderiam extrair o máximo possível deles.

Um dos maiores trunfos da série era que todos os seis personagens eram considerados "principais", sem que um tivesse mais importância que os outros. Para refletir isso, cada episódio dava o mesmo tempo na tela e a mesma importância no enredo a todos os seis, mesmo que um ou outro fosse proeminente naquele episódio. Entendendo essa situação, os seis atores passaram a se portar também como um verdadeiro grupo, negociando seus salários coletivamente (o mesmo valor para todos os seis), concorrendo sempre na mesma categoria nos prêmios aos quais o seriado fosse indicado, e pedindo para sempre posarem os seis juntos quando o programa fosse tema de reportagem em alguma publicação. Essa convivência quase simbiótica fez com que os seis atores também se tornassem grandes amigos na vida real, o sendo até hoje.

Por falar em prêmios, Friends foi indicado a nada menos que 63 Emmys, ganhando sete, incluindo um de melhor série cômica e dois de melhor atriz em série cômica, para Lisa Kudrow em 1998 e para Jennifer Aniston em 2002; dez Globos de Ouro, com Jennifer Aniston ganhando o de melhor atriz em série de televisão cômica ou musical em 2002; e 14 Screen Actors Guild Awards, ganhando um de melhor elenco em 1996 e com Lisa Kudrow ganhando melhor atriz em série cômica em 2000; além de centenas de indicações e vitórias em outros prêmios, como o Satellite Awards, o BAFTA, o Kid's Choice, o Teen's Choice e o People's Choice.

Friends foi uma série muito cara - era filmada em película, algo incomum para seriados com episódios de 30 minutos - e trabalhosa - cada episódio levava de três a seis horas para ser filmado. Para reduzir os custos e o trabalho, quase toda a série foi gravada em estúdio - um enorme estúdio com plateia, para que a "claque" fosse a mais real possível - dentro da Warner Bros. em Hollywood. Isso fez com que o seriado tivesse uma peculiaridade curiosa: apesar de ambientado em Nova Iorque, jamais teve uma única cena filmada por lá. Isso, por sua vez, fez com que algumas situações fossem alvo de críticas dos novaiorquinos, como o fato do apartamento de Monica ser grande e bem localizado demais para que ela e Rachel pudessem pagar.

Antes de conseguir finalizar o roteiro do piloto, Crane e Kauffman tiveram que brigar com a NBC para manter sua visão original da série. Littlefield desejava que a série fosse destinada à chamada Geração X - como são conhecidas as pessoas nascidas entre 1971 e 1981 nos Estados Unidos - enquanto os criadores preferiam que ela tivesse apelo dentre pessoas de todas as idades. Depois, os executivos da NBC não acreditaram que seis jovens de vinte e poucos anos pudessem manter no ar sozinhos um seriado, e exigiram que fosse incluído no elenco um personagem mais velho, que serviria como "paizão" da turma, lhes dando conselhos e protegendo-os; Kauffman e Crane até chegaram a criar um personagem nesse estilo, um policial chamado Pat, mas a situação ficou tão ridícula que os próprios executivos da NBC voltaram atrás. Finalmente, algumas das ideias originais de Crane e Kauffman foram abandonadas ou substituídas por outras, que faziam mais sentido tendo em vista o desenvolvimento dos personagens - o caso de amor entre Ross e Rachel, por exemplo, originalmente aconteceria entre Monica e Joey. Uma grande sacada de Crane, Kauffman e Bright foi batizar cada episódio com um nome começando por "aquele" ("Aquele com o Macaco", "Aquele no qual Ross Descobre", "Aquele com Cinco Bifes e uma Berinjela"); segundo eles, como os títulos dos episódios não apareceriam na tela, ou seja, não seriam revelados aos espectadores, não fazia muita diferença quais eles fossem, e, além disso, em seriados de sucesso as pessoas tendem mesmo a identificar os episódios por seus elementos, e não seus títulos.

O piloto de Friends foi ao ar no dia 22 de setembro de 1994, entre Mad About You e Seinfeld. A princípio, a série não fez muito sucesso com os críticos, que a comparavam principalmente com Seinfeld, com comentários como "uma cópia mal-feita de Seinfeld" e "o próximo candidato a Seinfeld". A cada episódio, porém, a audiência crescia, e, eventualmente, até os críticos se renderam, muitos voltando atrás em suas opiniões.

A primeira temporada, que teve 23 episódios, contando com o piloto e com um especial de uma hora que teve a participação especial de George Clooney e Noah Wyle, ambos na época no ar em Plantão Médico, introduzia os personagens, mostrava muitas histórias baseadas em suas profissões, e trazia como personagens recorrentes, além de Janice, os pais de Ross e Monica, Jack (Elliott Gould) e Judy Geller (Christina Pickles); a ex-mulher de Ross, Carol Willick (Jane Sibbett), que se divorcia dele para viver com uma lésbica, Susan Bunch (Jessica Hecht), estando grávida de Ross, o que resulta no nascimento de seu filho Ben; e Gunther (James Michael Tyler), o gerente do Central Perk, cafeteria onde os amigos frequentemente se encontram para tomar café e conversar, onde Rachel vai trabalhar de garçonete, e onde Phoebe de vez em quando se apresenta cantando e tocando violão. Um tema recorrente da temporada é o fato de que Ross é apaixonado por Rachel desde a época do colégio, mas nunca tem coragem ou oportunidade para se declarar.

Em 21 de setembro de 1995 estrearia a segunda temporada, a única na qual cada um dos seis atores receberia um salário diferente - enquanto na primeira temporada cada um receberia 22.500 dólares, na segunda os salários variavam entre 20.000 e 40.000 dólares, sendo que Aniston e Schwimmer, que os executivos da NBC consideravam os protagonistas, tinham os salários mais altos. Nesta temporada, o imbloglio amoroso é invertido, já que é Rachel que deseja ficar com Ross, mas não consegue porque ele está namorando a também paleontóloga Julie (Lauren Tom); após muitas confusões, eles acabam, finalmente, namorando. Enquanto isso, Monica começa a namorar o Dr. Richard Burke (Tom Selleck), oftalmologista amigo de seus pais e 21 anos mais velho que ela. Apesar da popularidade do personagem, o namoro não deu certo, e eles se separaram no final da temporada. O principal tema recorrente da segunda temporada é a escalação de Joey para o papel do neurocirurgião Dr. Drake Ramoray em uma versão fictícia da novela Days of Our Lives - uma das mais famosas e populares novelas dos Estados Unidos na vida real. Assim como a primeira temporada, a segunda teve 23 episódios, sendo um especial de uma hora, exibido logo após o Superbowl XXX, e que contou com a participação especial de Brooke Shields, Chris Isaak, Julia Roberts e Jean-Claude Van Damme. A segunda temporada é a mais bem sucedida em termos de audiência, com mais de 29 milhões de telespectadores.

Já a terceira temporada, que estrearia em 19 de setembro de 1996, teria 25 episódios e nenhum especial. Negociando coletivamente, graças ao enorme sucesso que a série já fazia, os atores conseguiram equalizar seus salários para 75.000 dólares cada. Rachel deixa de ser garçonete para trabalhar na Bloomingdale's (também uma famosa loja de roupas norte-americana na vida real); Monica, que está trabalhando de garçonete após ser demitida do restaurante onde era chef, começa um namoro com o milionário Peter Becker (Jon Favreau); e Phoebe, que achava que sua única família eram sua irmã Ursula e sua avó, que dirige um táxi e com quem Phoebe divide apartamento, descobre que tem um meio-irmão, Frank Buffay Jr. (Giovanni Ribisi) e uma mãe biológica, Phoebe Abbott (Teri Garr), que a deu para Lily Buffay criar. Ross e Rachel terminam o namoro após uma confusão causada pelos ciúmes que ele sente de Mark (Steven Eckholdt), colega dela na Bloomingdale's.

Os destaques da quarta temporada são dois casamentos: o de Frank Jr. com sua ex-professora do colégio, Alice Knight (Debra Jo Rupp) - incapazes de conceber pelos métodos tradicionais, eles pedem a Phoebe para servir de barriga de aluguel, e ela acaba tendo de carregar trigêmeos - e o de Ross com Emily Waltham (Helen Baxendale), inglesa sobrinha do chefe de Rachel, a quem ele começa a namorar depois de ser praticamente obrigado a acompanhá-la a uma ópera, obrigação que seria de Rachel, que decide não cumprir para flertar com um cliente. O episódio final da temporada, mais uma vez um especial de uma hora, foi filmado em Londres, em parte devido à grande audiência de Friends no Reino Unido. Durante o casamento de Ross, Chandler e Monica começam a namorar, mas decidem manter isso em segredo. A quarta temporada teve um total de 23 episódios, estreou em 25 de setembro de 1997, e rendeu a cada um dos seis amigos 85.000 dólares por episódio.

Na quinta temporada os rendimentos se tornariam ainda maiores: 100.000 dólares por episódio para cada, mais royalties de syndication, o que significava que, cada vez que a NBC vendesse a série para ser exibida em outra emissora, os atores ganhariam uma porcentagem, prática adotada até o final da série. Na quinta temporada o casamento de Ross com Emily acaba, Monica e Chandler decidem revelar seu namoro aos amigos, e, no centésimo episódio da série, Phoebe dá a luz aos trigêmeos. A quinta temporada estreou em 24 de setembro de 1998 e teve mais 23 episódios, sendo que o último, mais uma vez, foi um especial de uma hora, dessa vez filmado em Las Vegas, onde Ross e Rachel, bêbados, decidem se casar.

O casamento, evidentemente, não sobreviveria à sexta temporada, de mais 23 episódios - e dessa vez dois especiais de uma hora cada - que estreou em 23 de setembro de 1999, e rendeu a cada um dos seis atores 125.000 dólares por episódio. A temporada contou com participações especiais de Reese Witherspoon como Jill Green, irmã de Rachel, e de Bruce Willis como Paul Stevens, pai de Elizabeth (Alexandra Holden), uma aluna que Ross começa a namorar quando é convidado para dar aulas na Universidade de Nova Iorque (NYU). Paul não vai muito com a cara de Ross, e, ainda por cima, tem um breve romance com Rachel. Monica e Chandler decidem morar juntos, o que faz com que Rachel passe a dividir apartamento com Phoebe, e depois com Joey, que consegue um papel em uma série de TV a cabo chamada Mac and C.H.E.E.S.E. (gíria para "macarrão com queijo" nos Estados Unidos), na qual interpreta um policial parceiro de um robô. Um dos dois especiais é ambientado em uma realidade alternativa, na qual Monica ainda é gorda e Chandler trabalha como escritor freelancer; o outro, no qual Chandler pede Monica em casamento, traz uma nova participação de Richard.

Desde a segunda, a audiência vinha caindo a cada temporada; ainda assim, entretanto, Friends era considerado um grande sucesso de público e crítica, o que permitiu, durante as negociações, que o salário dos seis atores fosse inflacionado para 750.000 dólares para cada por episódio. A sétima temporada basicamente lida com os preparativos do casamento de Chandler e Monica, que ocorre no último episódio, como de costume, um especial de uma hora. Além disso, Mac and C.H.E.E.S.E. é cancelada, Joey recebe um convite para voltar a atuar em Days of Our Lives, e Rachel se descobre grávida. A sétima temporada teve mais 23 episódios, e estreou em 5 de outubro de 2000.

A oitava temporada estrearia em 27 de setembro de 2001, com mais 23 episódios, sendo que, no último, o famoso especial de uma hora, Rachel dá a luz a uma menina, Emma - após muito suspense durante o início da temporada, descobre-se que o pai do bebê é, oh que surpresa, Ross. Os salários se mantiveram os mesmos, mas a audiência deu uma subida, alcançando o mesmo patamar da terceira e quarta temporadas. No geral, a sétima temporada foi bastante criticada, a oitava bastante elogiada, e muitos críticos se surpreenderam com a renovação para uma nona temporada, achando que a série já tinha dado o que tinha de dar.

Por causa disso, para muitos, a nona temporada, que estreou em 26 de setembro de 2002, com mais 23 episódios, culminando em um especial de uma hora gravado em Barbados, seria a última. Ross and Rachel decidem morar juntos para criar Emma, mas o relacionamento mais uma vez não dá certo; Monica e Chandler decidem ter um filho, mas se descobrem incapazes de conceber; Phoebe começa a namorar Mike Hannigan (Paul Rudd) após uma confusão criada por Joey; e Joey e Rachel se apaixonam. Com a audiência mais uma vez caindo, sendo bombardeados pela crítica, a série custando uma fortuna - cada um dos seis atores renegociou seus contratos para 1 milhão de dólares por episódio, o que representava um custo para a Warner de 7 milhões por episódio - mas acreditando que ainda existiam muitas pontas soltas a serem amarradas, Kauffman, Crane e Bright decidiram fazer uma décima e última temporada, com direito a um episódio final, o que seria mais bonito que simplesmente cancelá-la.

Mesmo com os salários milionários, poucos acreditavam que os atores iriam querer renovar para uma décima temporada, pois todos já estavam dando indicações de que planejavam se dedicar a outros projetos, especialmente filmes. Através de um acordo com a Warner, ficou acertado que a décima temporada teria apenas 17 episódios, incluindo o último de uma hora de duração, o suficiente para encerrar a série sem deixar enredos em aberto. Os principais destaques são que Joey e Rachel decidem continuar amigos; Ross e Rachel finalmente se acertam; Monica e Chandler decidem adotar uma criança, que nascerá de Erica (Anna Faris), que acaba tendo gêmeos; e Phoebe se casa com Mike. A décima temporada foi duramente criticada, e seus episódios costumam ser considerados os menos engraçados de toda a série. A temporada estreou em 25 de setembro de 2003, e o episódio final foi ao ar em 6 de maio de 2004.

Após o final da série, uma espécie de "maldição de Friends" se abateu sobre os atores: quando todos esperavam que eles seguiriam carreiras de sucesso, impulsionados pela fama, na verdade todos sumiram ou ficaram relegados a papéis secundários - com a exceção sendo Jennifer Aniston, que conseguiu construir uma carreira em Hollywood, estrelando comédias como Todo Poderoso, Dizem por Aí..., Amigas com Dinheiro e Marley & Eu. Courteney Cox também conseguiu papéis de protagonista em séries como Dirt e Cougar Town, mas longe do sucesso que alcançara em Friends. E Lisa Kudrow estrelou uma dezena de filmes, sendo A Máfia no Divã, filmado enquanto Friends ainda estava no ar, talvez o único que valha a pena citar.

Os rapazes não tiveram melhor sorte: enquanto ainda atuava em Friends, Matthew Perry estrelou E Agora, Meu Amor? ao lado de Salma Hayek, e Meu Vizinho Mafioso, onde contracenou com Bruce Willis, mas, após o final da série, jamais conseguiu um novo papel de destaque. David Schwimmer atuou em Band of Brothers e dublou a girafa Melman em Madagascar, mas não é lembrado por muito mais que isso. E Matt LeBlanc, que na época de Friends atuou nas refilmagens para o cinema de Perdidos no Espaço e As Panteras, tentou engrenar um spin-off, chamado Joey, que acompanhava a carreira de Joey após ele se mudar para Los Angeles. O seriado não fez sucesso e teve apenas duas temporadas, sendo criticado principalmente em retratar Joey como um inepto atrapalhado, com problemas até mesmo com as mulheres, coisa que ele nunca teve em Friends.

Já há alguns anos circulam rumores sobre um filme de Friends, que seria lançado nos cinemas. Embora os atores já tenham comentado que gostariam de fazê-lo, infelizmente, até hoje, eles são apenas isso: rumores. O que é curioso, porque Friends continua vendendo que nem água - o recente lançamento de uma caixa de DVDs comemorativa dos 15 anos da estreia da série vendeu absurdamente bem se você considerar que a maioria dos fãs já tinha os DVDs, lançados e relançados duas vezes antes; o lançamento em Blu-Ray já é aguardado ansiosamente, mesmo que seja basicamente a mesma coisa com imagem e som melhores; e o Warner Channel continua reprisando a série incessantemente, sempre com boa audiência. Ninguém pode dizer, por outro lado, que esse sucesso todo, mesmo tanto tempo após o final da série, não seja merecido.

2 enfiaram o nariz:

Bruna Guerreiro Martins disse...

muito instrutivo, bela pesquisa! ;)

1:08 PM
Paulinha disse...

ótimo post , eu amo a série ! :D

2:35 PM

Postar um comentário