domingo, 12 de junho de 2005

Duran Duran

Há alguns meses, estava eu andando de carro (ou melhor, sendo levado de carro, já que o carro não era meu) quando o rádio começou a tocar uma música do Duran Duran. Por um acaso, eu sabia toda a letra. Poucos dias depois, estava eu indo para o centro de ônibus, quando tocou no rádio (pois é, o meu ônibus tem rádio) outra música diferente do Duran Duran. Que eu sabia toda a letra. Uns dois dias depois, estava eu novamente pegando uma carona, quando tocou uma terceira música do Duran Duran. E adivinhem? Pois é, eu sabia a letra. Diante deste fato tão inusitado - já que, teoricamente, eu não gostava tanto assim de Duran Duran - eu comecei a raciocinar sobre o assunto, e descobri várias coisas. A primeira foi que aquelas eram as únicas três músicas do Duran Duran das quais eu sabia a letra. A segunda foi que eu conhecia muito mais músicas do Duran Duran do que eu achava. E gostava da maioria delas.

Por alguma razão inexplicável, existem algumas bandas, como Depeche Mode, Queen e, por que não?, Duran Duran, que eu gosto muito, adoro um monte de músicas, sei cantar do início ao fim - mas nunca me animei a comprar um só disquinho. Talvez o caso mais patológico seja o do Queen, que eu absolutamente adoro, mas sequer me lembro de incluí-lo entre minhas bandas favoritas quando faço uma lista como a que figura aí ao lado. E não vale o argumento de que o Queen acabou, porque os Smiths também acabaram, e eu nunca me esqueço de dizer que são minha banda favorita. É algum bloqueio cerebral, sei lá.

Pois bem, do Depeche Mode eu já falei aqui, o Queen por enquanto eu vou ficar devendo, mas hoje tem post sobre o Duran Duran. E que fique bem claro que estas não são minhas únicas "bandas preferidas esquecidas". Provavelmente eu estou me esquecendo de mais alguma.



A primeira vez que eu prestei atenção no Duran Duran foi nos primeiros dias da Mtv no Brasil, quando a emissora ainda era transmitida pelo canal 9, em 1990. Eu já sabia que existia uma banda chamada Duran Duran, e provavelmente já havia escutado várias músicas deles, mas a primeira na qual eu prestei atenção foi Violence of Summer, que passava praticamente todos os dias no Disk Mtv. Confesso que eu prestava mais atenção no clip por causa do monte de mulheres que ele tinha do que pela música em si. Mas eu tinha 12 anos, então isso não conta.

Enfim, esqueçam Violence of Summer, que eu nem gosto. Eu comecei a prestar atenção mesmo no Duran Duran quando suas músicas começaram a coincidir com acontecimentos marcantes da minha vida. Eram músicas que eu já conhecia, como Ordinary World, Come Undone, Save a Prayer e Hungry Like the Wolf (essas três últimas são as tais três que eu sei a letra), mas por um acaso elas tocaram no momento exato em que estava acontecendo uma coisa importante, de forma que, até hoje, quando eu ouço uma dessas quatro músicas, eu imediatamente me lembro do dia em questão. Não que eu goste muito disso - Come Undone, por exemplo, estava tocando na sala de espera do oculista no primeiro dia em que eu comecei a usar óculos.

Minha "descoberta" do Duran Duran foi bem tardia. Afinal, a banda se formou em 1978, em Birmingham, Inglaterra, quando os colegas de escola Nick Rhodes (teclado) e John Taylor (guitarra), inspirados pelas músicas de David Bowie e pelos estilos pós-punk e disco, muito influentes na época, decidiram formar uma banda que juntasse tudo isso. Para tanto, eles chamaram seus amigos Simon Colley (baixo) e Stephen Duffy (vocais). Como a banda iria se apresentar no clube Barbarella, eles decidiram pegar o nome de um dos personagens do filme Barbarella, estrelado por Jane Fonda (sim, existe um personagem neste filme chamado Duran Duran. Se eu não me engano, é um cientista). Acompanhava a banda uma máquina que reproduzia sons de bateria, já que eles não tinham baterista. Após um ano de apresentações, Colley e Duffy desistiram do projeto, e os membros originais decidiram substituí-los por Andy Wickett (vocais) e Roger Taylor (bateria, para se livrar da tal máquina). John Taylor passou da guitarra para o baixo, e um novo guitarrista, John Curtis, se juntou ao quarteto, saindo poucos meses depois. Após sua saída, o grupo colocou um anúncio na revista Melody Maker, que foi atendido pelo guitarrista Andy Taylor. No final de 1979, Wickett também deixou a banda, que sofreu uma nova mudança no início de 1980, com a entrada do vocalista Simon LeBon.

No final de 1980, o Duran Duran já era uma banda conhecida no circuito alternativo da Grã-Bretanha, tendo seu estilo definido como "New Romantic", pecha que cabia a várias glam bands que começavam a surgir na época. Sua popularidade lhes rendeu um contrato com a gravadora EMI, e seu primeiro single, Planet Earth, lançado em 1981, chegou ao 12o lugar das paradas. Para não ser apenas mais uma na multidão, a banda decidiu dar um passo arriscado: faria de seus videoclipes verdadeiras produções, quase minifilmes, com sexo, ação e efeitos especiais, para chamar o máximo de atenção possível sobre seu trabalho. Deu certo. Na época, ninguém fazia clipes, e os que existiam eram pouco mais do que gravações de apresentações ao vivo das bandas. Se hoje temos essa profusão de clipes cinematográficos na Mtv, a culpa é do Duran Duran. Seu primeiro clipe, Girls on Film, chegou a ser banido pela BBC, o que resultou em uma inesperada propaganda, já que a música subiu rapidamente nas paradas, ajudando a preparar o terreno para o lançamento do primeiro álbum do Duran Duran, e elevando a banda de ídolos da cena alternativa para ídolos do público adolescente.

Lançado em 1981, Duran Duran, o álbum, estreou na terceira posição dos mais vendidos, e se manteve entre os dez mais por 118 semanas (mais de 2 anos!). Aos que achavam que o fenômeno seria passageiro, a resposta foi Rio, seu segundo álbum, de 1982, que estreou em segundo lugar nos mais vendidos. Em novembro de 1982 a EMI decidiu finalmente apresentar o Duran Duran aos EUA. A esta altura eles já eram um fenômeno na Europa, mas pouco conhecidos do lado de cá do Atlântico. A Mtv seria a responsável por mudar isso, colocando os clipes do Duran Duran em exibição exaustiva, alguns passando mais de uma vez ao dia. Ambos os clipes de Rio, Save a Prayer, gravado em locações na África; e Hungry Like the Wolf, que parecia uma mini-aventura de Indiana Jones, ajudaram a fazer com que o álbum vendesse 2 milhões de cópias só em 1983, número assombroso para a época. Mesmo após o lançamento de Rio, as músicas do primeiro álbum continuavam tocando nas rádios, o que fez com que Is There Something I Should Know? se tornasse a primeira música da banda a alcançar o topo da parada britânica.

Aproveitando o embalo do sucesso de Rio, a banda lançou em 1983 seu terceiro álbum, Seven and the Ragged Tiger, que alcançou o primeiro lugar na lista dos mais vendidos da Grã-Bretanha, e continha a música The Reflex, primeira a alcançar o topo da parada nos EUA, e segunda a fazê-lo em solo britânico. Seguindo o lançamento deste álbum, a banda saiu em uma turnê que durou um ano e meio, retornando com uma música inédita apenas no final de 1984, Wild Boys, que não fez parte de nenhum álbum, mas alcançou o segundo lugar nas paradas americana e britânica, o que lhe valeu a inclusão no álbum ao vivo Arena, único até hoje da banda, lançado em 1985.

Em 1985, porém, a febre Duran Duran começou a esfriar. A banda foi convidada para gravar a música-tema do filme de James Bond a ser lançado naquele ano, 007 na Mira dos Assassinos (no original, A View to a Kill, também o nome da música), mas depois disso a banda decidiu dar um tempo. Andy e John Taylor formaram um projeto paralelo, o Power Station, assim como LeBon e Roger Taylor, que formaram o Arcadia. Ambos os projetos se saíram bem, emplacando músicas no Top 10 britânico. Em 1986, Roger Taylor anunciou que não queria mais tocar com o Duran Duran, e saiu para não mais voltar. Alguns meses depois, Andy Taylor também decidiu sair, reduzindo o Duran Duran a um trio. Este trio não se abalou, porém, e lançou Notorious, seu quinto álbum, e primeiro de inéditas em três anos, em 1986. O álbum foi bem sucedido, ganhando Disco de Platina nos EUA e tendo sua faixa-título no Top 10 britânico, mas não provocou tanto estardalhaço quanto seus lançamentos anteriores. Por conta disso, o sexto álbum, The Big Thing, só seria lançado em 1988. Sua faixa I Don't Want Your Love entrou no Top 10 britânico, mas não esquentou lugar.

Em 1989, para comemorar dez anos de carreira, a banda lançou a coletânea Decade. A esta altura, todos já achavam que o Duran Duran estava morto e enterrado. Afinal, a moda do glam rock havia passado, e clipes bem produzidos já começavam a se tornar moda. Estes sinais pareciam ainda mais evidentes após o lançamento de Liberty, disco de inéditas da banda, no mesmo ano, primeiro a não estrear nos dez mais vendidos e a não ganhar sequer Disco de Ouro. Um longo hiato na carreira da banda se instalou, até que, em 1993, eles retornaram, acrescidos do guitarrista Warren Cuccurullo, e uma grata surpresa: o álbum The Wedding Album que, com um som mais maduro firmado em um pop mais contemporâneo, colocou o Duran Duran de volta no mapa, estreando nos 10 mais vendidos tanto nos EUA quanto na Europa, ganhando Disco de Platina nos EUA, e gerando duas músicas que alcançariam o topo de ambos os Top 10, Ordinary World e Come Undone. The Wedding Album não apenas relembrou a todos que o Duran Duran existia, como também foi o disco mais bem recebido pela crítica de toda a sua carreira. Infelizmente, tanto sucesso parece ter sido o canto do cisne, já que o lançamento seguinte, Thank You, de 1995, só obteve críticas negativas, e só ganhou o Disco de Ouro por uma estreita margem de vendas, o que levou muitos a crerem que os fãs o compraram na onda do lançamento anterior.

Em 1996, John Taylor largou a banda para seguir carreira solo. O trio remanescente ainda conseguiu lançar dois álbuns, Medazzaland, de 1997, qua ainda tinha algumas faixas com Taylor, gravadas antes de sua saída; e Pop Trash, de 2000. Ambos foram fracassos de crítica e público, e não conseguiram emplacar uma só canção nas rádios (para falar a verdade, eu nem sabia que eles existiam). Alguns meses depois do lançamento de Pop Trash, Cuccurullo decidiu voltar para sua antiga banda, a Missing Persons. Reduzido a LeBon e Rhodes, o Duran Duran parecia não ter mais para onde ir, tendo encontrado, finalmente, o fim da linha. Sem banda, o contrato com a EMI foi cancelado.

Em março de 2001, porém, os três Taylors, Andy, John e Roger, decidiram se encontrar em Gales para discutir sobre um possível projeto paralelo. Os três trabalharam juntos durante três semanas, o que levou a boatos de que o Duran Duran estaria voltando com sua formação "original". LeBon e Rhodes desmentiram estes boatos, mas no final de 2001 a volta foi confirmada, e as gravações do novo álbum começaram, assim como alguns shows esporádicos para marcar a volta do Duran Duran que tanto sucesso havia feito no início dos anos 80. Um novo contrato foi firmado, desta vez com a Epic, o que levou ao lançamento de Astronaut, no final de 2004. O álbum foi lançado sem grande estardalhaço, e só chegou aos EUA no início deste ano, juntamente com a coletânea Greatest, mas foi bem recebido pela crítica, e está vendendo bem. Parece difícil que o Duran Duran das antigas retorne com força total na época atual, mas os fãs esperam que LeBon, Rhodes e os três Taylors voltem com a maior força possível.

0 enfiaram o nariz:

Postar um comentário