domingo, 24 de abril de 2005

Ludo

Eu adoro jogos de tabuleiro. Desde criança, adoro reunir os amigos e ficar jogando dados e movendo peões em casinhas coloridas. Já falei aqui de dois dos jogos que mais gosto, gamão e Enigma do Labirinto (procure na coluna do lado). Hoje é dia de falar de mais um, um dos primeiros jogos que eu aprendi a jogar na vida: Ludo.

Não sei quantos anos eu tinha quando joguei ludo pela primeira vez. Lembro que ele veio numa caixa, um kit com quatro jogos, damas, jogo do chapéu, ludo e xadrez chinês, com tabuleiros de papelão e couro, e pecinhas de plástico transparente que pareciam chapeuzinhos de palhaço. Bem mais qualidade que os de hoje em dia, que têm tabuleiros de papel cartão e pecinhas que parecem fichas (sem falar que o jogo do chapéu parece ter sido eternamente substituído por trilha, ou moinho, ou sendero, ou seja lá como aquele jogo se chama).

Ludo!


Jogar ludo é muito fácil. Podem jogar de dois a quatro jogadores, sendo que com quatro sempre fica mais divertido. Cada um escolhe uma cor, dentre as tradicionais vermelho, azul, verde e amarelo. Cada jogador tem direito a quatro peões, e seu objetivo é levar os quatro até a Zona Final, no meio do tabuleiro. Para alcançar a Zona Final, os peões precisam entrar na Zona de Segurança e, para isso, cada peão precisa dar uma volta inteira no tabuleiro, saindo da casa de saída (oh!) e percorrendo todas as outras 51 casas. E é aí que começam os problemas.

Ludo é jogado com um dado comum de seis lados. Após resolver quem começará o jogo, cada jogador joga o dado em sua vez de jogar. Com um resultado 1 ou 6, ele poderá tirar um peão do Quadrado, que é o lugar onde os quatro peões começam o jogo (fato interessante: em alguns tabuleiros, o Quadrado é redondo) e colocá-lo na Casa de Saída. Com um resultado 6, este jogador ainda ganha o direito de jogar o dado mais uma vez, e, se continuar tirando 6, continua jogando até tirar um outro número qualquer. Nada impede que um jogador tenha seus quatro peões no tabuleiro ao mesmo tempo, exceto a regra do Castelo (veja adiante).

Uma vez que um jogador tenha tirado um peão do Quadrado e colocado na casa de saída, tudo transcorre o mais normalmente possível. Em sua vez, o jogador joga o dado, escolhe um peão (caso haja mais de um fora do Quadrado) e anda com ele quantas casas tiverem saído no dado. Se um jogador ainda tiver peões no Quadrado e tirar um 1 ou 6, poderá optar por colocá-lo na Casa de Saída, ao invés de andar 1 ou 6 casas com outro peão. Lembre-se de que quem tira 6 joga de novo.

A parte desagradável, digo, desafiante do jogo é a seguinte: quando você move seu peão, e o resultado dos dados faz com que ele caia numa casa que já esteja ocupada por um peão adversário... bem, azar o dele. O adversário deverá pegar esse peão e colocá-lo novamente em seu Quadrado, de onde só poderá sair tirando 1 ou 6, não interessa se estava a uma casa de vencer o jogo. Esse fato é motivo de discórdia e desunião entre os amigos, principalmente quando é aplicada a "regra do só pode", ou seja, um jogador só tem um peão no tabuleiro, sendo obrigado a tirar o adversário. Por outro lado, esse é o único desafio do jogo, e a única forma que você tem de impedir que aquele sortudo que está tirando um monte de 6 ganhe o jogo.

Movendo-seMais simples impossível, concordam? A única regra realmente controversa é a regra do Castelo. Quando um peão seu cai em outra casa ocupada por um peão seu, você não manda seu próprio peão para o seu Quadrado. Ao invés disso, você coloca um sobre o outro, formando um Castelo. Um Castelo "barra" a passagem dos demais peões, ou seja, ninguém - nem mesmo você - pode ultrapassar uma casa onde esteja parado um Castelo, mesmo que o resultado do dado permita isso. Um Castelo nunca se move, a não ser que ele esteja a até 6 casas de outro Castelo. Neste caso, se você tirar o número exato (por exemplo, se um Castelo oponente estiver a 5 casas do seu e você tirar 5) você manda os dois peões do adversário para o Quadrado, e coloca seu Castelo onde estava o dele. A princípio, você só pode fazer Castelos de dois peões, não podendo adicionar um terceiro mesmo que o resultado do dado faça com que aquele outro peão caia lá. Portanto, é legal você fazer um Castelo na sua Casa de Saída tirando dois peões seguidos, mas se tirar outro 1 ou 6, deverá desfazer o Castelo ou andar com outro peão. A controvérsia dessa regra surge do fato de que alguns jogadores (minha namorada, por exemplo) dizem que é legal fazer um Castelo-de-três (que só poderia ser tirado por outro Castelo-de-três) ou até mesmo um Megacastelo com todos os quatro peões. Além disso, há jogadores que dizem que seus próprios peões podem passar pelo seu Castelo (o que soa bem injusto, porque você poderia esquecer um Castelo no lugar até já ter dois peões na Zona Final) e ainda há os que pregam que um Castelo só pode tirar outro se for formado a exatamente uma casa de distância. Como não existe uma Federação Mundial de Ludo, cada um joga do jeito que quiser, mas eu me sinto mais confortável quando jogo do jeito que estou acostumado.

Pois bem, quando um peão dá toda a volta no tabuleiro, parando em sua Casa de Saída de novo, ele terá o direito de, em sua próxima jogada (ou até na mesma, caso o resultado do dado seja suficiente), entrar na Zona de Segurança, uma faixa de 5 casas da mesma cor de seus peões no centro do tabuleiro, que leva à Zona Final. Como o próprio nome sugere, a Zona de Segurança é segura, ou seja, só os seus peões podem entrar lá. A parte ruim é que a Casa de Saída não faz parte da Zona de Segurança, ou seja, sim, você pode dar a volta inteira e ser tirado do tabuleiro antes de conseguir entrar na Zona de Segurança. Para entrar na Zona Final, um jogador precisa de um resultado exato, ou seja, se estiver a 4 casas da Zona Final, terá de tirar um 4. Alguns jogadores permitem que se ande com um número menor, reduzindo o número necessário (no exemplo anterior, ao tirar um 2, o jogador poderia andar e ficar precisando de outro 2, ou de dois 1, para entrar na Zona Final). As regras nada dizem sobre fazer Castelos na Zona de Segurança, mas quando eu jogo a gente assume que não pode.

Como era de se esperar, o primeiro jogador a colocar seus quatro peões na Zona Final ganha o jogo. Êêê! Mas quem teve a idéia de criar tão simples porém fabuloso jogo?

ChauparNa verdade, o jogo de Ludo é uma versão para crianças do Pachisi, o jogo nacional da Índia. Pachisi tem um tabuleiro bem parecido com o do Ludo, e o objetivo é o mesmo, dar a volta no tabuleiro com quatro peões. Ao invés de um dado usam-se conchas, e o resultado máximo das conchas é 25, não 6. Aliás, Pachisi significa 25. Algumas casas do tabuleiro têm funções especiais, coisa que não acontece no Ludo. O próprio Pachisi seria uma versão simplificada de outro jogo, o Chaupar, que tem regras muito mais intrincadas e complexas. Ambos são jogados até hoje na Índia, e seus tabuleiros não são muito difíceis de se encontrar na Europa e EUA.

Por volta de 1850, começou a aparecer na Inglaterra uma versão simplificada do Pachisi, sem as casas especiais, e adotando um dado comum ao invés de conchas. A este jogo foi dado o nome de Ludo, que significa eu jogo (do verbo jogar) em latim. Não se sabe quem teria sido o primeiro fabricante do Ludo, até porque muitos tabuleiros e peças eram feitos em casa para uso das próprias famílias nessa época. Uma versão diferente do jogo, batizada de Puchese, foi lançada na Inglaterra em 1862. Em 1867, o jogo chegou aos EUA, onde foi registrado pela empresa Hudson River Valley. Em 1870, a Hudson vendeu os direitos para a Selchow & Richter Co. Até o jogo cair em domínio público, a S&R vendeu milhares de unidades, sendo Ludo o jogo mais vendido de toda a história da empresa.

Como os EUA adoram modificar as regras de tudo, no início do século XX começou a aparecer por lá o Ludo Real, que usa o mesmo tabuleiro, mas com algumas casas especiais. Por essa razão, praticamente todos os tabuleiros de Ludo vendidos no Brasil servem também para jogar Ludo Real. Ludo Real se joga com 2 dados, e você pode sair do Quadrado quando tirar 1 ou 6 em qualquer deles (mas se tirar 1 e 6, dois 1 ou dois 6 sai com um peão só). Se você tirar 1 e 1, terá o direito de mandar automaticamente o peão adversário mais próximo de você (à frente ou atrás) de volta para o quadrado. Se tirar 6 e 6, todos os peões adversários que estiverem a até 11 casas à sua frente deverão voltar 12 casas. Além disso, quem tira 6 e 6 joga de novo. Como se já não bastasse essas apelações todas, ainda existem casas especiais, marcadas com penas e coroas. Se você tirar 3 em um dos dados e um número qualquer em outro, poderá avançar um de seus peões até a casa marcada com penas mais próxima. Da mesma forma, se você tirar 6 em um dado e outro número qualquer no outro, poderá avançar automaticamente para a próxima casa marcada com uma coroa, e todos os peões adversários deverão recuar para a casa com uma coroa mais próxima. Pessoalmente, eu prefiro jogar o Ludo comum.

O jogo de Ludo é conhecido em todo o mundo ocidental, mas existem inúmeras variações regionais, como o Puchese da Inglaterra, o Mensch ärgere dich nicht da Alemanha, o Mens erger je niet da Holanda, o Non t'arrabbiare da Itália (aparentemente estes três últimos são o mesmo jogo, e os três nomes significam "não fique com raiva"), o Petits Chevaux da França, o Parchis da Espanha, e o Eile mit Weile da Suíça, considerado o primeiro Ludo ocidental, lançado originalmente em 1800.

13 enfiaram o nariz:

Anônimo disse...

não são 40 casas no jogo ludo são 72 casas

11:10 AM
Anônimo disse...

não são 40 casas no jogo ludo são 72 casas

11:12 AM
Anônimo disse...

não são 40 casas no jogo ludo são 72 casas

11:12 AM
Guil disse...

Na verdade são 52 casas. Você deve estar contando com as casas das Zonas de Segurança.

Não me pergunte de onde eu tirei esse 40.

2:34 PM
Anônimo disse...

então tem que andar todas as 52 casas?

10:45 AM
Anônimo disse...

aonde é a zona de segurança?

10:46 AM
Anônimo disse...

e não são 52 casas lá tá 51

10:48 AM
Anônimo disse...

se caso eu chegar a zona final e ficar sobrando números o que eu faço?

11:10 AM
Guil disse...

1 - Sim, tem que andar todas as 52 casas.

2 - A Zona de Segurança é aquela faixa colorida, da mesma cor do seu peão, que leva à Zona Final.

3 - Releia por favor o que eu escrevi:

"Para alcançar a Zona Final, os peões precisam entrar na Zona de Segurança e, para isso, cada peão precisa dar uma volta inteira no tabuleiro, saindo da casa de saída (oh!) e percorrendo todas as outras 51 casas. E é aí que começam os problemas."

Então, são 52 casas, a casa de saída + "todas as outras 51".

4 - Releia, agora, este pedaço:

"Para entrar na Zona Final, um jogador precisa de um resultado exato, ou seja, se estiver a 4 casas da Zona Final, terá de tirar um 4."

Em outras palavras, é impossível chegar na Zona Final com números sobrando. Se for acontecer, passa-se a vez e joga-se de novo o dado na rodada seguinte.

1:48 PM
Anônimo disse...

entendi obrigado por me enssina

3:44 PM
Anônimo disse...

como se joga?

5:29 PM
dbcravo disse...

Amei esse post.

Tenho 20 anos e jogo ludo desde pequena e nunca li, de fato, as regras, fui ensinada. Mas de acordo com o que você escreveu aqui, acho que algumas regras se perderam ao longo dos anos em minha família. Hahaha
Achei esse artigo enquanto procurava um novo tabuleiro porque o meu é muito antigo. Estranhei porque todos que apareceram são diferentes, mas ao ler aqui descobri que o que eu tenho é na verdade um tabuleiro de Ludo Real.
Achei muito interessante esse post e vou ver se consigo que os outros aceitem as exatas regras pra próxima vez que jogarmos.

Só fiquei com uma dúvida a respeito do Castelo.
Eu só posso mover meu castelo seu eu tirar aquele número exato pra eliminar o outro castelo do jogo? Ou se, por exemplo, eu estiver a 5 casas do outro castelo e tirar 3 eu posso movê-lo?
E se eu montar um castelo e não tiver nenhum por perto, fico lá pra sempre? hahaha

2:13 PM
Guil disse...

Que bom que você gostou!

Embora eu já tenha visto controvérsias na questão do número de peões no Castelo e se os seus próprios peões podem ou não passar por ele, todo mundo que eu conheço concorda que o Castelo só pode se mover para tirar outro Castelo do jogo. Então, se você estiver a 5 casas do outro Castelo e tirar 3, não vai poder andar 3 com o seu Castelo.

Mas, se for o caso, ou se não tiver nenhum por perto, você não é obrigada a ficar lá para sempre. Pode desmontar o Castelo e andar só com uma das peças :)

Abraços!

2:24 PM

Postar um comentário