domingo, 12 de setembro de 2004

Cake



Não tenho um gênero favorito de música perfeitamente definido. Gosto de rock, é verdade, mas não sou da turma do progressivo, do heavy metal, do niumetal, do trash, do grunge, nem nada assim. Gosto do que me agrada, e isso faz com que minha lista de favoritos tenha coisas tão antagônicas quanto, digamos, Jewel e Evanescence. Uma de minhas bandas favoritas parece sofrer de um problema parecido, de não saber em que estilo musical se enquadra, embora eu ache que ela tem um quê de country music. Tal banda, tema deste post, são os californianos do Cake.

Eu descobri o Cake através de um clip da Mtv, a regravação de I Will Survive, de Gloria Gaynor (bem antes da Globo colocar esta mesma música na trilha de uma novela qualquer que eu nem me lembro mais qual foi, mas que "revelou" a banda para o Brasil). Eu achei aquela regravação tão deliciosamente debochada, tal o ritmo quase catártico no qual o vocalista a cantava, que decidi procurar o disco. Era o ano de 1996, e ninguém sabia do que se tratava, já que ainda não era comum lançamentos quase simultâneos com o exterior de bandas quase desconhecidas no Brasil. Felizmente, na época, um Dólar ainda era mais ou menos um Real, eu ainda tinha cartão de crédito, e ainda cultivava o hábito de comprar pela CDNow. Encomendei o bichinho, e não me arrependi nem um centavo.

Não era só o tom que era debochado, as letras também. A maioria não faz o menor sentido, mas e daí? Imediatemente, o Cake entrou para a minha lista de favoritos, e logo depois, graças à tal novela que eu citei ali em cima, estava tocando nas rádios, o que não só fez com que o CD começasse a vender por aqui, como possibilitou que eu descobrisse que Fashion Nugget, o tal que eu tinha comprado, não era o primeiro deles, mas o segundo (pois é, eu tenho mania de conhecer as bandas pelo segundo disco). Quando saiu o terceiro, Prolonging the Magic, aproveitei e comprei o primeiro, Motorcade of Generosity, no mesmo dia. Excelente negócio, diga-se de passagem.

A história da nossa banda começou em 1980, quando o futuro vocalista do Cake, John McCrea, começou a tocar como guitarrista de aluguel em várias bandas de Sacramento, na Califórnia. No final da década, John decidiu que seria mais fácil se tornar conhecido se mudando para Los Angeles, mas descobriu que as oportunidades eram as mesmas, só que mais caras e mais distantes umas das outras. Em 1991, ele fundou a "banda" Cake (que, na verdade, era ele sozinho), fez um único show, e voltou para Sacramento, onde recrutou alguns amigos para sua recém-formada empreitada. A primeira formação do Cake, além de John McCrea nos vocais, tinha Frank French como baterista, o trumpetista Vince di Fiore, Greg Brown na guitarra e Sean McFessel no baixo. Pouco tempo depois, McFessel deixou a banda para cursar a Universidade, e foi substituído por Gabe Nelson.

Em 1993, sem conseguir contrato com nenhuma gravadora, eles decidiram bancar seu primeiro álbum de seus próprios bolsos. Primeiro gravaram um single de 7 minutos, com Rock n Roll Lifestyle no lado A, e Jolene no lado B. Mais tarde, gravaram seu primeiro disco, Motorcade of Generosity, totalmente pago com recursos da banda, e vendido sem distribuição, apenas para os amigos e algumas pessoas do meio. Uma das cópias deste álbum foi parar na Capricon Records, em Nashville, Tenessee, que se interessou pelo trabalho da banda e decidiu contratá-los.

Antes do contrato ser firmado, Gabe Nelson e Frank French tiveram que deixar a banda, e foram substituídos por Victor Damiani e Todd Roper, respectivamente. Contrato firmado, em 1994 Motorcade of Generosity foi relançado, desta vez "profissionalmente", com distribuição em todo o país, e a banda saiu em sua primeira turnê, enquanto já trabalhava em novas canções. Uma curiosidade sobre este álbum é que a banda decidiu reaproveitar algumas das faixas que tinham gravado para a primeira versão do CD, e creditá-las a Nelson e French no encarte.

As faixas Rock n Roll Lifestyle, Jolene e Ruby Sees All se tornaram grandes sucessos nas rádios e na Mtv, e a banda passou meses em turnê, até que, no final de 1995, decidiu se concentrar em seu próximo lançamento. Totalmente gravado no mesmo estúdio de Motorcade (para dar sorte, talvez), o segundo álbum da banda, Fashion Nugget, foi lançado em setembro de 1996. sua primeira música de trabalho, The Distance, se tornou mais um sucesso da banda, que saiu novamente em turnê. Outras faixas de sucesso deste lançamento foram I Will Survive e Frank Sinatra.

No início de 1997, Victor Damiani decidiu deixar a banda para cuidar de outros interesses, e Gabe Nelson foi convidado a retornar, convite que prontamente aceitou. Em agosto deste mesmo ano, cansados de tantas turnês, a banda decidiu dar uma parada nas turnês e retornar a Sacramento, para descansar e trabalhar em seu terceiro álbum.

Em janeiro de 1998, o guitarrista Greg Brown também resolveu deixar a banda. Ao invés de substituí-lo, McCrea decidiu gravar seu terceiro álbum, Prolonging the Magic, utilizando seis guitarristas de aluguel diferentes. Para escolher qual guitarrista tocaria em cada faixa, ele fazia testes com os selecionados, e utilizava a seqüência que havia ficado melhor. Uma das faixas, Never There, porém, não agradava McCrea com nenhum dos guitarristas que ele havia escolhido. Com a data para fechar o álbum se aproximando, ele decidiu pegar a primeira versão teste da música, mesmo não sendo essa sua preferida. Prolonging the Magic foi lançado em setembro de 1998, e logo depois o Cake partia para sua primeira turnê pela Europa, levando consigo o guitarrista Xan McCurdy, um dos seis que contribuíram para as faixas do novo álbum, agora membro definitivo da banda. Por uma daquelas razões inexplicáveis, Never There, a música que tanta dor de cabeça deu a McCrea, se tornou o maior sucesso do novo álbum, a primeira da banda a alcançar o número 1 da parada da Billboard, e contribuiu para que a banda se tornasse conhecida mundialmente. Sheep Go To Heaven, lançada algum tempo depois, também se tornou um grande sucesso.

Todo este sucesso chamou a atenção da gravadora Columbia, com a qual o Cake firmou contrato no início de 2000. Em 2001 eles lançaram seu quarto álbum, Comfort Eagle, o mais bem sucedido financeiramente até agora. O clip de Short Skirt/Long Jacket, que mostrava as reações de pessoas na rua à nova canção da banda antes de seu lançamento, se tornou um grande sucesso na Mtv, e foi imitado por várias outras bandas. Love you Madly também teve um clip original, onde os componentes da banda competiam em um concurso de culinária, preparando os pratos enquanto a música tocava. Pouco após o lançamento de Comfort Eagle, o baterista Todd Roper decidiu deixar a banda para se dedicar à família, e foi substituído por Pete McNeal, que participou da turnê.

No final de 2003 a banda deu uma nova parada em suas turnês, e começou a trabalhar em seu mais recente álbum, Pressure Chief, já finalizado. O lançamento está previsto para outubro de 2004, com várias músicas no mesmo estilo ao qual os fãs já se acostumaram.

0 enfiaram o nariz:

Postar um comentário