domingo, 27 de maio de 2018

Chip 'n Dale Rescue Rangers

Vou confessar uma coisa: há duas semanas, quando pensei em escrever um post sobre um game, o primeiro no qual eu pensei não foi Duck Tales, e sim Chip 'n Dale Rescue Rangers. Rescue Rangers (para abreviar) era um dos meus jogos preferidos do NES, e um dos poucos que comprei; a esmagadora maioria eu alugava, comprar mesmo, só uns sete ou oito (até mesmo de Megaman, minha série preferida, eu só comprei o 1 e o 6), então isso faz dele membro de um grupo seleto. Na hora de escrever o post, entretanto, achei que Duck Tales seria um assunto melhor porque eu poderia falar também sobre o desenho, que eu adorava, ao passo de que o desenho no qual Rescue Rangers foi inspirado não me chamava muita atenção - quando aluguei e depois comprei o jogo, aliás, eu nem sabia que o desenho existia, só fui descobrir bem depois, já que ele ainda não era exibido no Brasil e na época não havia como consultar a internet. Mas, como vocês sabem, uma vez que eu fico com vontade de fazer um post, não sossego até que realmente o faça, então vamos lá. Hoje é dia de Chip 'n Dale Rescue Rangers no átomo!

Ah, sim, antes que eu me esqueça: caso alguém ainda não tenha ligado o nome às pessoas, Chip 'n Dale Rescue Rangers é um desenho lançado pela Disney em 1989 estrelado pelos esquilos Tico e Teco, que, aqui no Brasil, se chamava Tico e Teco e os Defensores da Lei. A razão pela qual estou falando isso nesse parágrafo em separado é para poder dizer que os nomes de Tico e Teco, em inglês, são, respectivamente, Chip e Dale. Esses nomes não foram escolhidos aleatoriamente: como a conjunção aditiva "e", em inglês, é and, a frase "Tico e Teco", ou seja, Chip and Dale, tem o mesmo som de Chippendale (que, aqui no Brasil, costuma ser chamada de "chipendéle"), nome da mais famosa fábrica de móveis em madeira do mundo, fundada em 1754, na Inglaterra, pelo marceneiro Thomas Chippendale. E por quê os dois esquilos (na verdade, aliás, eles são tâmias, uma outra espécie de roedor, mas deixa pra lá) mais famosos da Disney ganharam um nome que é um trocadilho com o de uma fábrica de móveis em madeira? Diz a lenda urbana que é por que a madeira preferida de Thomas Chippendale era a nogueira, e esquilos (e tâmias) comem nozes, mas a verdade é que o nome foi sugerido ao criador da dupla, o desenhista Bill Justice, pelo roteirista Tex Henson, segundo Henson, sem motivo em particular nenhum, somente porque ele gostava da sonoridade do nome Chippendale.

Pois bem, Tico e Teco foram criados por Justice para um desenho do Pluto, no qual o cão fazia parte do exército e deveria guardar uma guarita contra intrusos; Tico e Teco, porém, invadem o local desejando usar o canhão lá presente para quebrar suas nozes, enlouquecendo Pluto no processo. Esse desenho estrearia nos cinemas em 2 de abril de 1943, e o sucesso dos dois pequenos roedores garantiria que eles retornassem para outros 22, exibidos entre 1946 e 1956. Embora em alguns desses desenhos eles continuassem atormentando Pluto, sua vítima preferida logo passaria a ser Donald, que sofria por ter a dupla morando em uma das árvores de seu jardim. Depois de 1956, entretanto, Tico e Teco ficaram meio esquecidos, não sendo mais usados em nenhum desenho. Com o sucesso de Duck Tales, porém, a Disney logo quis investir em outros desenhos nos quais seus personagens vivessem aventuras, e, na reunião para selecionar quais seriam os astros do seguinte, os pequenos roedores foram sugeridos.

Em Tico e Teco e os Defensores da Lei, Tico e Teco resolvem abrir uma agência de detetives (chamada Rescue Rangers em inglês, Conexão Salva-Ação no Brasil) para lidar com casos "pequenos demais para a polícia". Em seu primeiro caso (ou seja, no episódio piloto), eles acabam ganhando a amizade de três outros bichinhos que se unem a eles na agência: Monterey Jack, ou Monty, um rato australiano de grande força e coração maior ainda, viciado em queijo e amante de aventuras; Zipper, mosca que é o melhor amigo de Monty; e Geninha (Gadget Hackwrench em inglês), ratinha com imenso talento para construir qualquer tipo de equipamento, de raciocínio rapidíssimo e intelecto invejável, por quem, obviamente, tanto Tico quanto Teco se apaixonam. Todos os três tiveram o curso de suas vidas alterado por Gatão (Fat Cat), gato mafioso que controla o crime na cidade, e acaba se tornando uma espécie de arqui-inimigo de Tico e Teco, que frequentemente se envolvem em encrenca com seus quatro capangas: o gato Mepps, o rato Snout, a toupeira Mole e o lagarto Wart. Além de Gatão, outro vilão recorrente da série é o Professor Norton Nimnul, cientista humano que leva a expressão "cientista louco" a um novo patamar - em um episódio, por exemplo, ele cria uma máquina que funciona com eletricidade estática, e sequestra todos os gatos da cidade para fazê-la funcionar. Nimnul é o único humano da série que sabe que Tico, Teco e seus amigos possuem inteligência e agem como humanos, e, como era de se esperar, outras pessoas não acreditam nele.

Falando nisso, o novo desenho possui duas diferenças em relação aos desenhos de Tico e Teco para os cinemas: primeiro, há o convívio entre animais antropomórficos e seres humanos, sendo que o comportamento dos animais sempre passa despercebido pelas pessoas - na presença de humanos, por exemplo, Gatão se comporta como se fosse um gato comum. Segundo, Tico e Teco foram completamente reformulados para o novo desenho, ganhando roupas - Tico usa uma jaqueta e um chapéu que lembram os do Indiana Jones, Teco usa uma camisa florida que lembra a do detetive Magnum - e novas personalidades: Tico é extremamente responsável, focado e certinho, ao ponto de ser acusado pelos demais de não saber se divertir, enquanto Teco é despreocupado, impulsivo, um pouco irresponsável e irritantemente brincalhão.

Essa nova aparência de Tico e Teco não foi criada por acaso. Na tal reunião para decidir qual seria o próximo desenho a investir após Duck Tales, a ideia preferida dos animadores era um desenho estrelado por Bernardo e Bianca, ratinhos astros de um longa metragem lançado nos cinemas em 1977. Na época, porém, a Disney já trabalhava com a hipótese de uma continuação de Bernardo e Bianca para os cinemas (que acabaria se tornando Bernardo e Bianca na Terra dos Cangurus, lançado em 1990), e ideia foi vetada pelo presidente da Disney na época, Michael Eisner. O roteirista Tad Stones, então, criou uma série de detetives, estrelada por uma equipe liderada por um rato chamado Kit Colby, que se vestia e agia como Indiana Jones, e composta por um camaleão de camisa florida, uma ratinha super inteligente e um rato gigante e muito forte. O produtor Jeffrey Katzenberg, porém, não gostou dos personagens, e aprovou apenas o enredo da série, pedindo para que eles fossem alterados; foi aí que Eisner sugeriu que Tico e Teco fossem os protagonistas, pois isso daria a chance de trabalhar com personagens já conhecidos do grande público. Stones, então, adaptou Tico e Teco aos conceitos que já havia criado para seus personagens, para manter a essência da série o mais próximo possível de sua criação original.

Tico e Teco e os Defensores da Lei estrearia no canal a cabo Disney Channel em 4 de março de 1989, passando para syndication (exibida em vários canais regionais dos Estados Unidos, ao invés de em apenas um dos canais nacionais) em 15 de setembro do mesmo ano. Curiosamente, o episódio-piloto, que, assim como o de Duck Tales, tinha duas horas de duração (sendo depois dividido em cinco episódios de meia hora cada, contando os anúncios, para as reprises), e contava a história de como os Rescue Rangers se conheceram e passaram a trabalhar na agência de Tico e Teco, não foi exibido antes da primeira temporada, e sim antes da segunda, com os episódios da primeira temporada sendo reprisados em syndication ao fim da segunda. A primeira temporada tinha episódios semanais, exibidos aos sábados, enquanto a segunda tinha episódios diários, exibidos de segunda a sexta-feira.

Sim, é confuso, então vamos tentar explicar melhor: em 4 de março de 1989 estrearia a primeira temporada, no Disney Channel, composta de 13 episódios semanais, o último exibido em 21 de maio. Então, em 15 de setembro, estrearia, em syndication, a segunda temporada, que começou com um episódio especial de duas horas de duração, seguido por outros 42 que foram exibidos de segunda a sexta, o último deles em 2 de maio de 1990. No dia seguinte, 3 de maio de 1990, começariam a ser exibidos em syndication os 13 episódios da primeira temporada, e, quando começaram as reprises, o episódio especial foi dividido em cinco - o que fez com que, para todos os efeitos, a segunda temporada tenha 47 episódios, e o "combo" da segunda com a primeira temporada tivesse 60, o que permitiu que as reprises do desenho fossem exibidas de segunda a sexta durante 12 semanas, apenas uma semana a menos que o considerado ideal.

Para chegar ao "número mágico" de 65 episódios para as reprises, o desenho ganharia uma terceira temporada de apenas cinco episódios, exibidos pela primeira vez entre 10 de setembro e 19 de novembro de 1990, semanalmente, no Disney Channel. Depois disso, como a audiência de Tico e Teco e os Defensores da Lei ficou abaixo do esperado, não chegando nem perto da de Duck Tales, a Disney optaria por não continuar produzindo episódios inéditos, embora as reprises tenham continuado até 1993.

Enquanto o desenho estava no auge de sua popularidade, a Capcom produziu um game baseado nele para o NES - o segundo game Disney produzido pela Capcom, depois do primeiro Duck Tales. Lançado em 8 de junho de 1990, Chip 'n Dale Rescue Rangers (Chippu to Deeru no Daisakusen, "a missão de Tico e Teco" no Japão) também contava em sua equipe com vários profissionais que trabalharam na série Megaman, o que fez com que ele tivesse visual e jogabilidade bastante parecidos com os dos jogos do robozinho azul - alguns inimigos das fases, inclusive, são nitidamente inimigos de Megaman adaptados para o estilo do desenho, e os chefes são até parecidos com alguns dos chefes do laboratório do Dr. Wily.

No enredo do jogo, Tico e Teco são contratados para encontrar a gatinha desaparecida de uma menininha chamada Mandy, mas, após a primeira fase, descobrem que isso não passou de um plano de Gatão para afastá-los de seus colegas e permitir que ele capturasse Geninha, para forçá-la a trabalhar para ele. Graças à sua genialidade, porém, Geninha constrói um telefone sem fio a partir de peças que encontra em seu cativeiro, e o utiliza para entrar em contato com Tico e Teco, revelar a eles os planos de Gatão e guiá-los através da cidade para que eles possam resgatá-la. Os dois roedores, então, deverão passar por diversas fases, enfrentando robôs criados pelo Professor Norton Nimnul e capangas contratados por Gatão, até conseguir derrotar o mafioso e salvar Geninha.

O jogo conta com 11 fases, sendo que, após a primeira, o jogador passa a ter várias chances de escolher qual caminho seguir, não sendo necessário passar por todas as outras nove antes de chegar à última (embora possa fazê-lo se quiser), ao fim da qual enfrentará Gatão. O jogo é para dois jogadores, com o jogador 1 sempre controlando Tico e o jogador 2 sempre controlando Teco (em termos de jogo, não há diferença nenhuma entre eles) e de modo cooperativo, ou seja, com ambos os personagens na tela simultaneamente se ambos estiverem jogando, com um podendo ajudar o outro. Para derrotar seus oponentes, Tico e Teco podem pegar certos objetos do cenário e arremessar neles, sendo que, no modo para dois jogadores, um pode pegar o outro e arremessá-lo também, o que, obviamente, causa dano ao arremessado, mas às vezes é útil para alcançar plataformas distantes ou se livrar de um inimigo chato em uma emergência.

O principal objeto que Tico e Teco podem arremessar nos oponentes são as caixas de madeira; cada fase é lotada de caixas, e, ao levantar algumas delas, Tico e Teco descobrem itens escondidos. Além de arremessar a caixa nos oponentes (o que pode ser feito para a direita, para a esquerda ou diretamente para cima), pressionando o direcional para baixo Tico ou Teco se escondem debaixo da caixa, afastando a atenção de alguns inimigos - caso um inimigo bata na caixa enquanto Tico e Teco estão escondidos, ele será derrotado e a caixa se perderá, mas Tico e Teco não receberão dano. Algumas caixas são de metal, e possuem alcance muito menor que as de madeira, mas com a vantagem de que, se não saírem da tela, podem ser empilhadas para que Tico e Teco alcancem locais altos. Outro item que pode ser arremessado é a maçã; a maçã causa muito mais dano que a caixa, mas, como é maior que Tico e Teco, quando eles a estão carregando ficam mais lentos e com pulos mais baixos e mais curtos - e suando profusamente, o que é um efeito bem legal. Em uma das fases do jogo Tico e Teco podem arremessar troncos, que, para todos os efeitos, são maçãs com uma aparência diferente. Outro tipo de item é a bomba, que, alguns segundos após ser erguida, explode, causando dano a Tico e Teco caso eles estejam no raio da explosão - e a todos os inimigos pegos no raio da explosão também, evidentemente. Finalmente, temos a bola, que é o único objeto que não sai da tela quando arremessado, quicando em paredes e no teto e indo parar em outro lugar, o que permite que seja arremessada mais de uma vez; a bola está presente na tela dos chefes, e é ela que Tico e Teco irão usar para derrotá-los.

O item mais presente durante as fases são as placas de flores, quadrados aparentemente feitos de metal com a figura de uma flor, e que fazem as vezes de moedas do Mario: pegando 100 flores, Tico e Teco ganham uma vida extra. De vez em quando, pode ser encontrado um item semelhante, um quadrado de metal com a figura de uma estrela; pegando 20 estrelas, ganha-se uma vida extra. Muito raramente, Tico e Teco podem ganhar uma vida extra direto, caso encontrem uma estrela com a inscrição 1-UP. Tico e Teco têm, cada um, uma energia composta por três corações, perdendo um deles cada vez que recebem dano, e perdendo uma vida se ficarem sem nenhum; para recuperar corações, eles precisam coletar bolotas (uma espécie de castanha), sendo que a bolota comum recupera um coração e a bolota dourada recupera dois. Um item muito útil é a letra P, que aumenta a força de Tico e Teco e permite que eles carreguem maçãs e troncos sem sofrer os efeitos adversos de seu peso. Um não tão útil é o martelo, usado em apenas uma única fase para destruir blocos especiais e permitir que nossos heróis avancem. Caso Zipper seja encontrado sob uma caixa, Tico e Teco ficarão invencíveis por alguns segundos, enquanto a mosquinha os acompanha destruindo todos os inimigos que aparecerem. Monty, por outro lado, não é tão útil, e aparece em locais pré-determinados das fases para derrubar portas e permitir que Tico e Teco continuem avançando.

Uma das coisas mais legais de Chip 'n Dale Rescue Rangers é que as fases são em escala, com o tamanho dos objetos sendo proporcional ao tamanho reduzido de Tico e Teco - em uma das fases, por exemplo, eles se deparam com torneiras abertas, e não têm como passar pelo fluxo de água, devendo fechá-las; em outra, estão em uma biblioteca, escalando livros "gigantes" em relação ao seu próprio tamanho. Curiosamente, os inimigos, exceto os chefes, parecem não respeitar essa escala, sendo do mesmo tamanho que Tico e Teco, o que significa que Nimnul e Gatão tiveram muito trabalho na hora de selecioná-los.

Tico e Teco ganhariam ainda um segundo jogo produzido pela Capcom, Chip 'n Dale Rescue Rangers 2, lançado em 10 de dezembro de 1993, o último jogo Disney produzido para o NES pela Capcom e um dos últimos jogos lançados para o NES, o que fez com que ele se tornasse pouco conhecido. Diferentemente de Duck Tales 2, entretanto, Rescue Rangers 2 era mais do mesmo: praticamente as únicas diferenças eram gráficos redesenhados (Tico e Teco, por exemplo, são mais parecidos com suas versões do desenho), lutas contra os chefes mais elaboradas (no primeiro jogo, as lutas contra os chefes eram basicamente todas iguais, só mudando a aparência do chefe e o padrão no qual ele lançava seus projéteis), a possibilidade de se escolher entre Tico ou Teco no modo para um jogador, a adição de um novo item que aumenta a energia máxima de Tico e Teco para até cinco corações, e o fato de que as nove fases do jogo agora ocorrem de forma linear, não sendo possível escolher qual caminho seguir - apenas na última fase é permitido escolher a ordem na qual cada uma das três subseções será efetuada, antes da luta contra Gatão. No enredo, Gatão escapa da cadeia e rouba a Urna do Faraó, com a qual terá acesso a um exército de fantasmas, cabendo a Tico e a Teco impedi-lo de abri-la.

Para terminar, é preciso citar Chip 'n Dale Rescue Rangers: The Adventures in Nimnul's Castle, jogo para DOS produzido pela Hi Tech Expressions (responsável por Megaman e Megaman 3 para DOS - mas não por Megaman 2 porque ele não existe, vai entender) lançado em 1o de março de 1990, no qual Monty foi sequestrado pelo Professor Norton Nimnul e Tico, Teco e Geninha precisam salvá-lo. O jogo, para apenas um jogador, possui somente três fases: na primeira, Tico deve entrar e sair de buracos para fugir de um cão de guarda e de uma espécie de geleca que pinga do teto, até conseguir entrar no castelo de Nimnul; na segunda, Tico deve subir uma escadaria recolhendo parafusos (que serão usados por Geninha para consertar um avião que resgatará Monty) e os entregando para Teco; e, na terceira, Tico deve escalar cordas enquanto desvia dos ataques de uma invenção de Nimnul (que também é o chefe do primeiro jogo do NES) e recolhe mais parafusos para entregar a Teco. Aí Geninha constrói o avião, Monty é resgatado e o jogo acaba. Fim.

0 enfiaram o nariz:

Postar um comentário