quarta-feira, 22 de julho de 2009

Punch-Out!!

Dentre outras coisas, a cultura pop nos ensina que, quando não conseguimos vencer usando a força bruta, temos de recorrer à inteligência. Na minha opinião, foi exatamente isso que a Nintendo fez quando decidiu lançar seu Wii: se vendo incapaz de competir com o Playstation 3 em termos de gráficos, sua única saída foi inventar um videogame que chamasse a atenção do público por outro motivo. E, se fosse um motivo que nunca havia sido explorado antes, tanto melhor, pois ganharia pontos pela originalidade. O resultado é que, por mais que reclamem que os jogos do Wii não têm gráficos tão bons quanto os de Playstation 3 ou Xbox 360, ele já é o videogame mais vendido da história, tendo conseguido o que parecia impossível: ultrapassar a marca do Playstation 2, que está no mercado há mais que o dobro de tempo.

Com seu sensor de movimento, o Wii não apenas revolucionou a indústria dos videogames - a ponto dos concorrentes já estarem falando em controles que interpretariam os movimentos do jogador de forma ainda mais avançada - como deu um novo fôlego a jogos da Nintendo que andavam meio mais ou menos. Super Mario Galaxy, por exemplo, é divertido como um jogo de Mario não era há muito tempo.

Recentemente, o sensor de movimento ajudou a ressucitar uma franquia da Nintendo que parecia morta e enterrada, apesar de um enorme sucesso feito na década de 1980. E a Nintendo parece não ter poupado esforços para ressucitá-la em grande estilo. Em homenagem a esses esforços, hoje teremos um post sobre Punch-Out!!.

Punch-Out!! sempre foi um dos meus jogos preferidos do NES. Eu não tinha um (não por falta de vontade, por algum motivo jamais achei um para comprar), mas meu primo tinha, e eu sempre pegava emprestado. Passei muitas horas da minha vida enfrentando oponentes do dobro do meu tamanho, e consegui derrubar Mike Tyson um bom número de vezes. Quando comprei meu Super Nintendo, um dos primeiros jogos que aluguei foi sua continuação, Super Punch-Out!!, com a qual, infelizmente, me decepcionei. Depois, a Nintendo aparentemente desistiu do jogo, e ele foi esvanecendo de minha memória. Mas só até esse ano, quando, para deleite dos fãs, sua nova versão foi lançada, mantendo todos os componentes que fizeram do original um grande sucesso - bem, exceto Mike Tyson, mas confesso que ele não fez tanta falta assim.

Challenger vs Glass Joe (Arcade)Chamar o Punch-Out!! do NES de "original", porém, não é tecnicamente correto - muita gente, como eu, só conheceu a série através dele, mas dois outros de seus jogos já haviam sido lançados antes, para arcades. O primeiro deles, também chamado Punch-Out!!, é de 1984, e foi um dos arcades mais revolucionários da época: para começar, ele não tinha um, mas dois monitores, sendo que o de baixo, na altura dos olhos do jogador, mostrava a luta, as barras de energia dos lutadores, e uma barra que enchia conforme golpes bem sucedidos sucessivos eram aplicados, e diminuía conforme você era atingido; o de cima, na parte superior do gabinete, mostrava os rostos dos lutadores, o tempo restante para a luta acabar, e o placar, que incluía uma pontuação e o número da luta. Além desse gabinete modernoso, Punch-Out!! tinha muitas vozes digitalizadas, para os oponentes, o árbitro e até para o treinador do personagem controlado pelo jogador, algo bastante raro na época.

O personagem controlado pelo jogador em Punch-Out!! não tinha nome, sendo identificado simplesmente como "Challenger" ("desafiante") e por três letras escolhidas como as iniciais do jogador. "Challenger" é um homem branco, de estatura mediana, vestindo calção e luvas verdes; em seu "retrato", no monitor superior, ele tem cabelos e olhos verdes, mas na luta eles são pretos. Na luta, aliás, o corpo de Challenger, exceto as luvas, o cabelo e o calção, se transforma em um quadriculado verde fluorescente, para que você possa ver o oponente através dele, em um esquema quase de primeira pessoa. Os controles de Challenger são bastante simples, contando com um direcional e três botões: movendo o direcional para a direita ou esquerda, ele desvia para a direita ou esquerda; movendo o direcional para baixo, ele bloqueia na altura da barriga; movendo o direcional para cima, ele bloqueia na altura do rosto. Como você não vai ganhar de ninguém só desviando e bloqueando, os botões servem para desferir socos: apertando o botão da esquerda, Challenger soca com a mão esquerda, enquanto o botão da direita, evidentemente, faz com que ele soque com a mão direita. Os socos saem na altura da barriga; para socar o rosto do oponente, é preciso mover o direcional para cima e apertar o botão. Há também um terceiro botão, que desfere um soco poderosíssimo, mas só pode ser usado quando a tal barra dos socos contínuos está totalmente cheia, o que é indicado por um conselho do treinador de Challenger.

Em cada luta, Challenger terá a missão de derrubar o adversário três vezes, ou derrubá-lo de uma forma tão eficiente (a critério da máquina) que ele seja nocauteado direto. Cada oponente tem seu próprio arsenal de golpes, alguns mais fáceis de se desviar ou contra-atacar, outros mais difíceis - sendo que os mais difíceis, invariavelmente, também causam mais dano. A seu favor, há o fato de que todos os oponentes avisam quando vão aplicar um golpe: seus olhos, normalmente brancos, ficam amarelos por um curto período de tempo antes do golpe. Eles não avisam, porém, qual golpe vão aplicar, cabendo ao jogador estar atento para reagir apropriadamente. Cada luta dura três minutos, e, se o tempo esgotar, invariavelmente o árbitro dará a vitória ao oponente, então rapidez nas decisões também é fundamental. Se o tempo se esgotar, ou se Challenger for derrubado três vezes, perderá o jogo. Você pode inserir uma nova moeda para uma revanche, mas apenas uma vez: perdendo uma segunda luta, é game over definitivo.

Para conseguir ser campeão, Challenger terá de derrotar seis oponentes divididos em dois Circuitos de três oponentes cada. No Minor Circuit, os oponentes serão o francês Glass Joe (um trocadilho com glass jaw, que pode ser traduzido para "queixo de vidro", apelido dado a um boxeador que é derrubado facilmente), o cubano Piston Hurricane e o turco Bald Bull (que, curiosamente, significa "touro careca" em inglês). No Major Circuit, os oponentes serão o norte-americano Kid Quick, o italiano Pizza Pasta e o também norte-americano Mr. Sandman. Derrotando Mr. Sandman, Challenger se torna o novo campeão, e prossegue em sua carreira em um novo Circuito, onde enfrentará todos os oponentes novamente, menos Kid Quick. Neste novo Circuito, todos estarão mais rápidos e mais fortes, e não ficarão mais com os olhos amarelos antes de desferir um golpe - e uma característica curiosa desse novo Circuito é que, se perder alguma luta, você perderá o título para o oponente que o derrotou, recuperando o cinturão se derrotá-lo em uma revanche. Vencendo esse novo Circuito, Challenger se envolve em mais um, onde enfrentará Piston Hurricane, Bald Bull, Glass Joe e Mr. Sandman, nessa ordem e se sucedendo infinitamente, ainda mais rápidos e mais fortes que antes, até perder o jogo de uma vez por todas. Não, como todos os jogos da época, Punch-Out!! também não tem final, estando o pobre Challenger condenado a lutar pela eternidade.

Hoje em dia esse Punch-Out!! original pode ser meio desconhecido, mas na época fez bastante sucesso, tanto que, no ano seguinte, 1985, ganhou uma continuação, chamada Super Punch-Out!!. Essa continuação era praticamente idêntica ao jogo original, com o mesmo tipo de gabinete, o mesmo estilo de jogo, gráficos bastante semelhantes, e os mesmos controles, a não ser por uma diferença, que representava mais uma inovação: o direcional de Super Punch-Out!! podia ser puxado, como se o jogador quisesse arrancá-lo da máquina. Ao fazer isso, Challenger executava um novo movimento: se agachava, algo essencial para escapar dos golpes de alguns dos oponentes do jogo.

O maior diferencial de Super Punch-Out!! em relação ao seu antecessor, aliás, eram os oponentes. Super Punch-Out!! trazia cinco oponentes novinhos em folha, que, além de cada um ter seus golpes próprios, como no jogo anterior, dessa vez tinham características especiais, que afetavam a forma como se devia lutar contra eles. Os oponentes eram o canadense Bear Hugger (o "abraçador de ursos"), que, de tão gordo, era imune a socos na barriga, não perdendo energia com eles; o honconguês Dragon Chan, que, de forma um tanto desleal, também utilizava chutes durante a luta; o russo Vodka Drunkenski, que atrasava de propósito alguns de seus golpes para você perder o tempo da defesa, bloqueio ou agachamento; o indiano Great Tiger, que tinha o poder de se teleportar; e o norte-americano Super Macho Man, único sem alguma gracinha, mas de golpes poderosos e difíceis de evitar. Derrotando os cinco, Challenger ganha o cinturão, e entra no já conhecido modo onde os cinco têm de ser enfrentados novamente, mas mais rápidos, mais fortes e sem avisar que vão bater. Derrotando os cinco novamente começa o modo onde Dragon Chan, Vodka Drunkenski, Super Macho Man e Bear Hugger ficam se alternando nessa ordem por toda a eternidade. Ou até que você perca o jogo.

Por ser um arcade bastante avançado para a época, Punch-Out!! demorou para receber uma adaptação oficial para um videogame caseiro. Uma versão não-oficial de Super Punch-Out!!, porém, chegou a ser lançada, exclusivamente na Europa, para os computadores Commodore 64, ZX Spectrum e Amstrad CPC. Rebatizada Frank Bruno's Boxing, ela trazia o boxeador britânico Frank Bruno no lugar de Challenger, e apenas três dos lutadores da versão original, Bear Hugger (renomeado Canadian Crusher), Dragon Chan (renomeado Fling Long Chop) e Vodka Drunkenski (renomeado Andra Punchredov) além dos inéditos Tribal Trouble, Frenchie France, Raviolo Mafiosi, Antipodean Andy e Peter Perfect. Esta versão até que não era ruim, mas por ser não-oficial e limitada à Europa, não fez sucesso, e foi logo esquecida.

Somente em 1987 Punch-Out!! ganharia uma versão oficial desenvolvida pela Nintendo, para seu videogame de 8 bits, o NES. Graças às limitações do console, esta versão não tinha vozes digitalizadas, e seus gráficos eram menos detalhados que os da versão original, mas isso não significava que o jogo fosse menos divertido, tanto que em pouco tempo se tornou um grande sucesso, sendo até hoje considerado um dos melhores jogos da história do NES.

Na versão do NES, o boxeador controlado pelo jogador finalmente tem um nome, Little Mac, um jovem do Brooklyn, Nova Iorque, que sonha se tornar campeão mundial de boxe. Por ser muito baixinho, Little Mac não conseguia encontrar um treinador, pois ninguém o levava a sério. Um dia, ele conhece o ex-campeão mundial dos peso-pesados Doc Louis, hoje um senhor bonachão viciado em chocolate. Vendo potencial no garoto, Doc Louis decide treiná-lo, inscrevendo-o no torneio do Minor Circuit, próprio para iniciantes. Através de seu próprio talento, Little Mac poderá galgar novas posições, eventualmente se tornando ele mesmo o campeão mundial.

Little Mac vs Super Macho Man (NES)Little Mac não é baixinho por acaso: como no NES seria impossível fazer um lutador quadriculado como no arcade, os programadores decidiram fazer a luta em uma espécie de perspectiva, e, sendo Little Mac baixinho, graças a este ângulo é possível ver o oponente quase inteiro por sobre sua cabeça. Outras mudanças estéticas em relação à versão arcade incluem uma musiquinha tocando ao fundo durante as músicas, esquemas de cores diferentes para os ringues dependendo do Circuito em que Little Mac está lutando, e cut scenes entre as lutas, que mostram Little Mac treinando com Doc Louis, recebendo conselhos de seu treinador sobre como vencer a luta, ou sendo provocado pelos oponentes. Além disso, o árbitro das lutas é ninguém menos que Mario, o mascote da Nintendo, em uma participação especial.

Mas, além de diferenças estéticas, o Punch-Out!! do NES também tem algumas diferenças no estilo de jogo: para começar, as lutas agora duram três rounds, de três minutos cada. Little Mac tem três formas de vencer uma luta: derrubando o oponente três vezes em um mesmo round (o que resulta em um nocaute técnico, ou TKO); derrubando o oponente um número pré-determinado de vezes ao longo dos três rounds, o que fará com que ele seja automaticamente nocauteado (embora alguns oponentes sejam impossíveis de se nocautear); ou chegando ao final do terceiro round com mais energia restante e tendo derrubado o oponente mais vezes do que foi derrubado por ele, quando vencerá por pontos (embora novamente alguns oponentes, como os campeões de cada Circuito, sejam impossíveis de se vencer por pontos). Se Little Mac for derrubado três vezes em um mesmo round, cinco vezes ao longo de uma luta, ou perder por pontos, perderá a luta. O jogador pode usar um continue e continuar lutando contra o mesmo oponente, a menos que tenha perdido para um campeão de Circuito, quando retorna para a luta anterior. Se perder uma segunda vez para um mesmo oponente, Little Mac também cai uma posição no ranking, tendo de derrotar novamente o oponente anterior. Cada jogador só tem direito a dois continues, ou seja, se perder três lutas, consecutivas ou não, será game over. O lado bom é que o Punch-Out!! do NES tem um sistema de passwords, com o qual o jogador que já tenha vencido um Circuito pode começar do seguinte, ao invés de ter que subir os degraus todos de novo.

O placar do Punch-Out!! do NES também traz duas novidades, além das já conhecidas barras de energia de cada lutador, da pontuação e do cronômetro regressivo (que agora também indica o número do round): as estrelas e os corações. As estrelas substituem a "barra de nocaute" da versão arcade: toda vez que Little Mac contra-atacar um oponente, ou seja, acertá-lo bem no momento em que seria acertado por ele, ganhará uma estrela, que poderá gastar a qualquer momento da mesma luta para desferir um soco poderosíssimo. Os corações, por sua vez, medem a fadiga de Little Mac: ele começa cada luta com um número pré-determinado de corações, perdendo um toda vez que bloqueia um ataque do oponente ou toda vez que um oponente bloqueia um ataque seu, e três cada vez que é acertado com sucesso por um oponente. Quando os corações chegam a zero, Little Mac fica rosa fluorescente, exausto, e incapaz de desferir socos, podendo apenas se esquivar dos ataques oponentes. Após algum tempo nessa condição ele recupera alguns corações, e pode voltar a atacar e bloquear normalmente.

Os controles do Punch-Out!! do NES são bem parecidos com os do original do arcade: colocando o direcional para a direita ou para a esquerda, Little Mac esquiva para a direita ou para a esquerda; colocando o direcional para baixo, ele bloqueia (e, como é baixinho, não há a diferença de bloqueio alto ou baixo). O botão B desfere um soco com a mão esquerda, na altura da barriga do oponente se pressionado sozinho, ou na altura de seu rosto se apertado junto com o direcional para cima, enquanto o botão A desfere um soco com a mão direita, nas mesmas condições. Finalmente, o botão start desfere o star punch, o soco poderoso que só pode ser usado quando Little Mac tem pelo menos uma estrela.

Os oponentes de Little Mac em sua caminhada rumo ao título são uma atração à parte. Como de costume, eles avisam que irão golpear, ficando por um breve momento da cor vermelha, mas alguns avisam com mais antecedência, outros quase simultaneamente ao golpe. Também como de costume, embora avisem que vão golpear, não avisam como, sendo que alguns golpes são mais fáceis de contra-atacar, esquivar ou bloquear que outros, e os mais difíceis normalmente tiram mais energia de Little Mac quando acertam. Alguns oponentes também têm características especiais, que afetam a forma como se deve lutar contra eles; alguns possuem golpes secretos, com uma forma bem específica de serem evitados; e alguns possuem o chamado one-punch knockdown, um momento da luta no qual poderão ser derrubados com um único golpe, se este for aplicado corretamente.

Os oponentes no Punch-Out!! do NES estão divididos em três Circuitos. No primeiro, o Minor Circuit, Little Mac deverá enfrentar o francês Glass Joe, o alemão Von Kaiser e o japonês Piston Honda (o primeiro com um golpe secreto). No Major Circuit, os oponentes serão o espanhol Don Flamenco (que passa a maior parte da luta provocando Little Mac), King Hippo, rei das fictícias Ilhas Hippo (que é tão gordo que nem consegue se levantar após derrubado, sempre sendo nocauteado direto), o indiano Great Tiger e o turco Bald Bull. O último Circuito, o World Circuit, é também o mais extenso, e nele Little Mac deverá enfrentar Piston Honda novamente, o russo Soda Popinski (que na verdade é Vodka Drunkenski, com um novo nome para evitar alegações de que a Nintendo fazia apologia de bebidas alcóolicas), Bald Bull de novo, Don Flamenco de novo, e os norte-americanos Mr. Sandman e Super Macho Man. Vencendo os três circuitos, Little Mac se torna o campeão do mundo, e conquista o direito de participar de uma luta dos sonhos contra o maior lutador de todos os tempos: Mike Tyson! Pois é, o Kid Dinamite está no jogo, e, desnecessário dizer, é o oponente mais difícil de todos. Little Mac só tem uma oportunidade para vencer Tyson: mesmo que chegue nele sem ter usado nenhum continue, se perder, perderá o jogo. Se vencer, por outro lado, terá direito a um final especial.

Tyson, apesar de ser um bônus e tanto, não estava nos planos dos programadores desde o início, e, por causa dele, o jogo acabou ficando com três versões. A primeira, lançada exclusivamente no Japão, se chamava apenas Punch-Out!!, e só ia até Super Macho Man, que então era o último chefe do jogo. Quando chegou a hora de lançá-lo na América, o presidente da Nintendo of America, Minoru Arakawa, achou que seria uma boa estratégia de marketing colocar o lutador mais famoso da época no jogo, e negociou com Tyson os direitos de seu nome e imagem, lançando o jogo como Mike Tyson's Punch-Out!!. Mike Tyson's Punch-Out!! fez um sucesso tão grande que acabou sendo lançado também no Japão, em 1988. O contrato com Tyson, porém, só era válido até o final de 1989, e o boxeador não se interessou em renová-lo, o que fez com que a Nintendo tivesse que alterar o jogo para relançá-lo em 1990 - curiosamente, boatos correram na época de que Tyson havia sido removido do jogo por ter perdido o título mundial para James Buster Douglas, o que só ocorreria em 1990, ou por ter sido acusado de estuprar Desiree Washington, o que só aconteceu em 1991. A terceira versão do jogo foi lançada nos Estados Unidos e Japão como Punch-Out!! featuring Mr. Dream, e trazia um novo lutador, o tal Mr. Dream, que tinha exatamente os mesmos golpes de Tyson, mas era branco e tinha uma aparência diferente, como último chefe. Esta última versão é a que é considerada pela Nintendo como a "oficial" do jogo, sendo, inclusive, a disponível para download no Virtual Console do Wii.

Little Mac vs Dragon Chan (SNES)Em 1994, a Nintendo decidiu lançar uma nova versão de Punch-Out!!, dessa vez para o Super Nintendo. Com o nome de Super Punch-Out!!, porque o nome de quase todos os jogos do SNES começavam com "Super" mesmo, o jogo na verdade tinha mais a ver com o original dos arcades do que com seu antecessor do NES. Para começar, as lutas voltaram a ser de apenas um round de três minutos cada e com nocaute obrigatório, sendo impossível vencer por pontos. As estrelas e os corações sumiram, e voltou a barra que aumenta conforme golpes sucessivos são aplicados com sucesso e diminui conforme você é acertado, agora identificada como "barra de super". Além disso, existe alguma controvérsia sobre quem seria o personagem controlado pelo jogador: o manual diz que é Little Mac, mas ele não se parece com o Little Mac do NES (que tem cabelos pretos, enquanto esse tem cabelos claros; além disso, ele parece ser bem mais alto), não é treinado por Doc Louis (que nem aparece no jogo) e, se for o mesmo personagem, ainda resta uma questão a ser resolvida: por que Little Mac, campeão do mundo alguns anos antes, teria de recomeçar sua carreira toda de novo do início do Minor Circuit? Ficou fora de atividade e só agora resolveu voltar?

Bem, sendo ele ou não, "Little Mac" traz uma novidade em relação aos jogos anteriores: graças aos recursos mais sofisticados do SNES, ele é um personagem normal como qualquer outro, mas transparente, o que possibilita que o jogador veja os oponentes através dele sem que sejam necessários recursos como o corpo quadriculado ou o ângulo de visão superior. Os controles são mais ou menos os mesmos de sempre: direcional para a direita ou esquerda, ele desvia para a direita ou esquerda, e com o direcional para cima ele bloqueia na altura do rosto. Uma novidade é que o bloqueio na altura da barriga é automático, bastando que você não aperte nada. Para atacar, o botão Y desfere um soco com a mão esquerda, na altura da barriga se for pressionado sozinho, ou na altura do rosto se for pressionado junto com o direcional para cima; o botão B faz a mesma coisa, mas o soco é com a mão direita. A maior novidade fica por conta dos "super socos": toda vez que a barra da base da tela esté totalmente cheia, Little Mac pode desferir um soco especial com o botão A: pressionando apenas A, será um gancho poderosíssimo na barriga, A junto com o direcional para cima desfere um gancho não tão poderoso no rosto, A duas vezes bem rápido desfere uma sequencia devastadora de socos na barriga, e A duas vezes bem rápido junto com o direcional para cima desfere uma série de socos no rosto. Diferentemente do que ocorria nos jogos anteriores, aqui os super socos podem ser bloqueados, esquivados ou contra-atacados, então é importante escolher bem a hora de usar um deles. Finalmente, o retrato de Little Mac no placar serve como um indicador do power mode: ele começa com o fundo azul, e, dependendo de seu desempenho, pode ficar verde, depois amarelo, e finalmente vermelho. Quando fica vermelho, as luvas de Little Mac começam a brilhar e ele entra no power mode (automaticamente ou pressionando X, à escolha do lutador), onde, durante alguns segundos, causará muito mais dano com seus ataques.

O Super Punch-Out!! do SNES traz dois modos de jogo, o championship e o time attack. O championship é o modo tradicional, no qual Little Mac terá de passar pelos lutadores de quatro Circuitos para se tornar campeão do mundo. O cartucho possui uma bateria, que grava seu progresso automaticamente, e ainda permite que você enfrente novamente em revanche qualquer oponente de um Circuito que já tenha vencido antes. No time attack o objetivo é derrotar cada oponente o mais rapidamente possível, com o jogo registrando os melhores tempos de cada luta. Em ambos os modos, para derrotar um oponente basta derrubá-lo três vezes (ou ser tão devastador que ele não consiga se levantar ao ser derrubado da primeira ou da segunda vez). Se Little Mac estiver enfrentando um oponente pela primeira vez e perder, terá de gastar um continue para prosseguir, mas, se gastar todos os continues, terá de voltar para a primeira luta do Circuito em que estava. Perder no time trial ou em uma luta contra um oponente de um Circuito anterior não traz problemas.

Como sempre, a maior atração do Super Punch-Out!! do SNES são os oponentes, embora eu pessoamente ache que eles exageraram, criando alguns caricatos demais. No primeiro Circuito, o Minor Circuit, Little Mac deverá enfrentar o francês Gabby Jay (que o manual diz ter sido treinado por Glass Joe), o canadense Bear Hugger (que continua imune a socos na barriga), o cubano Piston Hurricane e o turco Bald Bull. No Major Circuit, os oponentes serão o jamaicano Bob Charlie, o honconguês Dragon Chan (que continua usando chutes), o luchador mascarado mexicano Masked Muscle e o norte-americano Mr. Sandman (que foi rebaixado de Circuito desde a última vez). No World Circuit Little Mac enfrentará o irlandês Aran Ryan (que recebe muito pouco dano de socos normais, mas muito mais dano de super socos), o transformista japonês Heike Kagero (que além do poder de se teletransportar ainda golpeia com o cabelo), o palhaço italiano Mad Clown e o norte-americano Super Macho Man. Finalmente, no Special Circuit os oponentes serão o britânico Narcis Prince (que fica irritadíssimo quando alguém acerta seu belo rosto), o velhinho chinês Hoy Quarlow (que costuma golpear com a bengala), e os gêmeos Rick e Nick Bruiser, de nacionalidade desconhecida (primeiro um, depois o outro, naturalmente). Na época, boatos corriam de que Nick Bruiser era, na verdade, um androide, devido à forma como se movia e à ausência de uma frase provocativa dirigida a Little Mac antes da luta, mas jamais foi oficialmente confirmado se ele é humano ou não.

Depois do Super Punch-Out!! do SNES, a franquia parece ter ficado meio esquecida, já que nunca mais haviam sido lançados jogos novos para ela. Até esse ano, quando, aproveitando o sensor de movimento do Wii, a Nintendo decidiu lançar mais um jogo para a série, mais uma vez chamado, simplesmente, Punch-Out!!.

Isso porque o Puch-Out!! do Wii é, na verdade, um remake do jogo do NES, e não uma continuação. Mais uma vez o jogador assume o papel de Little Mac (e agora é Little Mac mesmo), o pequeno lutador rejeitado que encontra em Doc Louis o treinador perfeito para sua caminhada rumo ao título mundial. Graças aos recursos mais avançados do Wii, Little Mac é mais uma vez transparente (mas continua baixinho), o que faz com que a luta possa ser vista de trás. Todos os personagens, incluindo Doc Louis, são tridimensionais e possuem falas com vozes digitalizadas - aliás, os conselhos de Doc Louis a Little Mac nos intervalos das lutas são uma atração à parte. Os oponentes também provocam Little Mac com falas e movimentos acintosos durante as lutas, e uma hilária cut scene é apresentada antes da luta contra cada um deles.

O Punch-Out!! do Wii aceita três tipos de controles: se o jogador preferir, pode usar apenas o Wiimote, deitado, como se fosse o controle do NES. Nesta configuração, o direcional para a direita ou esquerda faz com que Little Mac desvie para a direita ou esquerda, o direcional para cima faz com que ele bloqueie, e o direcional para baixo faz com que ele agache. O botão 1 soca com a mão esquerda, na altura da barriga se pressionado sozinho, ou na altura do rosto se pressionado junto com o direcional para cima, enquanto o botão 2 faz a mesma coisa, só que com a mão direita, e o botão A desfere o star punch. Se o jogador preferir um estilo mais realístico, pode usar o Wiimote combinado com o Nunchuk; nesse caso, os movimentos do direcional devem ser feitos com o direcional do Nunchuk, não do Wiimote, e, para socar, o jogador deve socar mesmo, impulsionando o Wiimote para a frente para um soco com a mão direita e o Nunchuk para um soco com a mão esquerda - para socar na altura do rosto, basta botar o direcional do Nunchuk para cima; o star punch continua sendo acessado com o botão A. Finalmente, se o jogador tiver um e quiser usar, o jogo aceita o Wii Balance Board (aquele acessório que vem junto com o Wii Fit), para ser usado em conjunto com o Wiimote e o Nunchuk; nesse caso, além de realmente socar, ele deverá realmente esquivar para a direita ou esquerda se quiser que Little Mac desvie, e realmente agachar para que Little Mac agache - os comandos para bloqueio e para socar na altura do rosto continuam sendo com o direcional do Nunchuk para cima, e o star punch continua sendo no botão A.

Little Mac vs King Hippo (Wii)O esquema de jogo é bastante semelhante ao do NES: cada luta dura três rounds, e, para vencê-la, você deve derrubar o oponente três vezes em um mesmo round, derrubá-lo um número pré-programado de vezes durante a luta, ou chegar ao final do tempo com mais energia e tendo-o derrubado mais vezes do que ele te derrubou. Os corações estão de volta e funcionam da mesma forma que o NES, mas as estrelas são um pouco diferentes: agora Little Mac ganha estrelas ao contra-atacar os oponentes ou atacá-los com sucesso enquanto o estão provocando, e as perde toda vez que é atingido. Ele pode acumular até três estrelas de cada vez, e, quanto mais estrelas tiver quando desferir o star punch, mais devastadores serão seus efeitos. O star punch é novamente impossível de ser bloqueado - embora alguns lutadores consigam escapar dele se Little Mac o usar bem no meio do movimento de um de seus golpes - e alguns lutadores ainda contam com a conveniência do one-punch knockdown. Uma novidade do Punch-Out!! do Wii é que Little Mac pode recuperar sua energia enquanto os oponentes estão caídos e o árbitro está faznedo a contagem, sacudindo bem rápido o Wiimote e o Nunchuk, ou pressionando rapida e alternadamente os botões 1 e 2. O mesmo método pode ser utilizado quando Little Mac for ser nocauteado, uma vez por luta, para que ele volte com um ínfimo de energia e tente virar o jogo. Também é possível recuperar parte da energia entre um round e outro de uma luta pressionando o botão -, mas apenas uma vez por luta.

O Punch-Out!! do Wii começa com três opções de jogo: Career, Exhibition e Head to Head. Head to Head é um inédito modo para dois jogadores, onde dois Little Macs de cores diferentes se enfrentam. A novidade aqui é que um deles (não sei bem como, deve ter a ver com a forma como luta) pode se transformar durante a luta em Giga Mac, uma versão maior e mais bombada do personagem. Em Exhibition você poderá lutar contra um holograma de seu próximo oponente, sem o risco de perder energia ou corações, para se acostumar com seus golpes, seu estilo de luta, ou até mesmo com os controles; além disso, você pode enfrentar novamente qualquer oponente que já tenha derrotado, com o bônus de três desafios para cada um deles (como derrotar Von Kaiser com apenas cinco socos ou derrotar King Hippo sem desferir nenhum soco em seu rosto). Cumprindo os três desafios, você libera um sound mode daquele lutador, onde poderá ounvir sua música de fundo e todas as suas falas.

O modo Career é o tradicional do jogo, onde Little Mac passará por três circuitos buscando se tornar campeão do mundo. No Minor Circuit, seus oponentes serão Glass Joe, Von Kaiser, o norte-americano Disco Kid (único personagem novo do jogo) e King Hippo. No Major Circuit ele enfrentará Piston Hondo (que teve o nome mudado talvez para evitar problemas com a Honda), Bear Hugger (um dos dois únicos personagens de Super Punch-Out!! incluídos no jogo), Great Tiger e Don Flamenco. Finalmente, no World Circuit, os cinco oponentes serão Aran Ryan (o segundo), Soda Popinski, Bald Bull, Super Macho Man e Mr. Sandman. Graças aos novos gráficos e vozes, os oponentes estão mais divertidos que nunca, sem cair na caricatura como alguns do jogo do SNES faziam.

Após derrotar Mr. Sandman, Little Mac se torna campeão do mundo, e destrava uma nova opção de jogo, a Title Defense. Neste modo, ele, como campeão, terá de derrotar todos os oponentes novamente, mas agora eles estão muito mais difíceis, e ainda trazem artimanhas para a luta (King Hippo, por exemplo, protege a barriga com uma tampa de bueiro). Derrotando todos os oponentes do Title Defense, duas novas opções são destravadas, a Champions Mode, semelhante à Exhibition, mas onde cada oponente tem o poder de derrubar Little Mac com apenas um soco (ou seja, você deve vencer cada luta sem ser atingido três vezes), e o Last Stand, onde os oponentes, ainda mais difíceis, se sucedem de forma aleatória e infinita. O Last Stand tem duas curiosidades: a primeira é que, no meio das lutas, você pode ter de lutar contra um personagem secreto, ninguém menos que Donkey Kong, em uma participação especial. A segunda é que, assim que Little Mac perde uma luta no Last Stand, ele se aposenta. Em termos de jogo, isso significa que, se o jogador quiser continuar jogando, deve escolher um novo save e começar tudo do início de novo.

O Punch-Out!! do Wii foi bastante bem recebido, com críticas positivas e boa vendagem. Seus elementos, como os desafios, garantem muitas horas de jogo, mesmo para quem já terminou o modo Career. Se seu sucesso garantirá um novo Super Punch-Out!!, porém, é cedo para dizer. Se garantir, eu espero que pelo menos não tenha os lutadores esquisitos do SNES. Bem, talvez Masked Muscle. Porque a graça do jogo está em seus oponentes, os verdadeiros responsáveis pelo sucesso da série.

0 enfiaram o nariz:

Postar um comentário