terça-feira, 28 de outubro de 2008

Selma Blair

Minha lista de atores preferidos no meu perfil ali do lado tem seis nomes. Eu já falei aqui de cinco. Hoje, portanto, vamos fechar a lista falando de quem está faltando, Selma Blair.

Eu não me lembro qual foi o primeiro filme que eu vi com Selma Blair, nem quando comecei a prestar atenção nela, mas lembro que foi porque ela faz uma cara muito engraçada, abrindo a boca com um olhar blasé, uma expressão que às vezes eu acho que só ela consegue fazer. Foi por causa dessa característica curiosa que eu decorei o nome dela, e comecei a identificá-la, meio por acaso, em diversos filmes. O passo seguinte foi tentar assistir a tudo o que ela já tivesse feito - e esse passo deu um pouco de trabalho, já que ela conta com algumas bombas no currículo. Mas mesmo assim eu estava irremediavelmente encantado, e graças a isso eu talvez hoje seja uma das poucas pessoas que se animam a assistir a um filme por que o nome de Selma Blair consta do elenco. Tudo bem que quase nunca no cinema, mas isso não vem ao caso.

Selma Blair Beitner nasceu em 23 de junho de 1972, na cidade de Southfield, Michigan, Estados Unidos. Mais nova de quatro filhas da juíza Molly Ann Beitner, quando criança estudou em um colégio judaico, se mudando para a cidade vizinha de Bloomfield na época do high school. Nesta época, ela não pensava em ser atriz, mas fotógrafa, escolhendo este curso ao se matricular na Kalamazoo College, uma das mais antigas faculdades da área de artes dos Estados Unidos. Na Kalamazoo ela teve sua primeira experiência no teatro, interpretando um personagem secundário na peça The Little Theater of the Green Goose (algo como "o teatrinho do ganso verde"). Entretanto, esta pequena peça ainda não mudaria seu destino; na verdade, ela sequer se formaria pela Kalamazoo, aproveitando uma oportunidade na metade do curso e se transferindo para a maior e mais famosa Universidade do Michigan, onde se formaria bacharel em fotografia em 1994.

Com o diploma na mão e pensando cada vez mais alto, Selma decidiu se mudar para Nova Iorque, onde tentaria arrumar um emprego como fotógrafa e talvez fizesse alguns cursos de especialização. Seus planos mudaram totalmente quando, meio por brincadeira, ela resolveu fazer um teste para o Conservatório Stella Adler, uma das mais famosas escolas de teatro e interpretação dos Estados Unidos. Desnecessário dizer, ela foi aprovada, e ao longo do curso acabou se apaixonando por teatro e interpretação, decidindo investir nesta nova carreira.

Apesar de ser considerada uma das mais versáteis atrizes da turma, Selma não dava muita sorte, não conseguindo nenhum papel expressivo no teatro. Em pouco tempo, porém, sua aparência, pelo contraste da pele e olhos claros com os cabelos escuros, chamou a atenção dos executivos da televisão, e começaram a surgir convites para pequenos papéis em séries. Sua estréia na TV ocorreria menos de um ano após o início de seu curso no Stella Adler, em 1995, fazendo uma pequena participação em um único episódio da série As Aventuras de Pete e Pete, da Nickelodeon. No ano seguinte, ela faria uma participação relâmpago na famosa série Kids in the Hall, e em seguida já faria sua estréia no cinema, em uma aparição ainda mais relâmpago no filme independente The Broccoli Theory.

Talvez esta não fosse a melhor forma de se começar uma carreira, mas, graças à sua beleza, convites para participações choviam para Blair. Apenas no ano de 1997 ela participaria de nada menos que oito produções, sendo um episódio da série Soldier of Fortune, Inc., um filme para a TV, e seis produções para o cinema, incluindo seu primeiro papel de destaque, no independente Strong Island Boys, e participações em Será que Ele É?, onde contracenou com Kevin Kline, e em Pânico 2, como uma colega da personagem Cici (Sarah Michelle Gellar), que sequer aparece na tela, falando com ela pelo telefone.

Aos poucos, porém, Selma começava a mostrar que não era apenas bonita, mas sabia interpretar praticamente todos os tipos de papel. Ato contínuo, ela foi escalada para um papel de destaque na série de comédia Getting Personal, que estrearia na Fox no ano seguinte. Infelizmente, os executivos da Fox não gostaram de sua performance no episódio piloto, e, apesar de aprovarem a série, não a contrataram. A CBS, porém, achou que devia investir na carreira da moça, e a chamou para interpretar uma adolescente alcóolatra na série de drama Promised Land. Antes do fim do ano, Selma ainda faria papéis progressivamente maiores em três filmes para o cinema e um para a TV, até ganhar o papel da protagonista feminina de Brown's Requiem, adaptação para o cinema do primeiro livro do escritor policial James Ellroy.

Em 1999, a carreira de Blair começaria a decolar de vez. Suas performances no ano anterior chamariam a atenção da Warner Bros, que a convidaria para protaginizar a série Zoe, Duncan, Jack & Jane, onde interpretaria a adolescente novaiorquina Zoe Bean nas duas temporadas em que a série foi ao ar; e da Sony, que a chamaria para seu Segundas Intenções. Neste filme, uma adaptação para adolescentes do famoso livro Ligações Perigosas, do francês Choderlos de Laclos, Blair interpretaria a ingênua Cecile Caldwell, que a personagem de Sarah Michelle Gellar planeja transformar em instrumento de vingança contra seu ex-namorado. A cena em que ela e Gellar se beijam acabaria se tornando um ícone do cinema adolescente, sendo imitada e parodiada em diversas futuras produções. Mas, se por um lado, ela serviu para alavancar a carreira de Selma, por outro fez com que ela, durante um bom tempo, se visse presa a comédias românticas e produções voltadas para adolescentes.

Mas ela bem que se esforçava por uns papéis diferentes. No ano 2000, após participar de um episódio do seriado Xena, a Princesa Guerreira, Blair participaria da comédia Louco por Você, estrelada por Freddie Prinze Jr e Julia Stiles, no papel da atriz pornô Cyrus. No ano seguinte ela protagonizaria mais uma produção, Mate-Me Depois, no papel de uma bancária que tem um caso com o chefe casado, e é pega como refém por dois assaltantes que planejam roubar o banco no exato momento em que ela tenta em se matar ao descobrir que a mulher de seu amante está grávida. No mesmo ano, ela faria uma estudante que decide escrever sobre um caso que teve com um dos mais importantes professores de sua faculdade em Histórias Proibidas. Em seguida, ela seria a ex-prostituta Cassie, uma das protagonistas do road movie Fuga Desenfreada.

No mesmo ano de 2001, Selma ganharia o que é considerado o segundo grande papel de sua carreira, o da estudante de direito Vivian Kensington, na comédia Legalmente Loira. Antagonizando a personagem de Reese Witherspoon - com quem já havia trabalhado em Segundas Intenções - Blair teve uma atuação considerada memorável por grande parte dos críticos norte-americanos. Isto lhe rendeu um convite no ano seguinte para um episódio de Friends, e um convite de Cameron Diaz para interpretar Jane, que fecha com as personagens de Cameron e de Christina Applegate o trio de protagonistas da comédia um tanto escatológica Tudo para Ficar com Ele.

2003 seria um ano bem variado para a carreira de Blair, que contracenaria com Richard Dreyfuss e Judy Davis no filme para TV Coast to Coast; faria uma participação no filme de rodeio Dallas 362; e interpretaria uma moça às vésperas do casamento, cujo noivo começa a questionar se é capaz de dar mesmo este grande passo após se envolver com ninguém menos que sua prima (dela, não dele) em Louco por Elas. Curiosamente, além do título deste filme ser quase idêntico ao de Louco por Você (mas só em português, talvez tenha sido jogada de marketing), nele Blair contracena mais uma vez com Julia Stiles, que interpreta a prima maluquinha que se envolve com seu noivo.

O ano de 2004 marcaria uma nova guinada na vida de Selma. No plano pessoal, ela se casaria com o músico Ahmet Zappa, filho de Frank Zappa; no plano profissional, ela começaria mal o ano, protagonizando um piloto de uma série de TV, DeMarco Affairs, sobre duas irmãs que realizam festas de casamento, que jamais foi ao ar. Em seguida, ela participaria do bizarro Clube dos Pervertidos, no papel de uma dançarina com seios super enormes. Felizmente, logo em seguida ela estrearia como Liz Sherman em Hellboy, sua primeira incursão pelo mundo dos efeitos especiais, no papel de uma jovem pirocinética, capaz de criar fogo com a força do pensamento, e que tem um caso amoroso com o personagem-título, interpretado por Ron Perlman. Blair fecharia o ano em um papel pequeno mas bem falado em Em Boa Companhia, como a noiva da Topher Grace.

Em 2005, Selma continuaria intercalando grandes produções com outras não tão cotadas assim. Ela começaria o ano protagonizando o curta The Big Empty, depois faria par com Christian Slater no thriller político Contrato de Risco, interpretaria a esposa de um professor acusado de assédio sexual por três alunas na comédia de humor negro Garotas Malvadas, e terminaria como uma radialista mãe solteira que transmite seu programa de um farol no terror A Névoa. Já considerada pela imprensa especializada norte-americana como uma das mais talentosas atrizes de sua geração, Blair começava a surpreender também pela facilidade com que transitava pelos diferentes gêneros cinematográficos, fazendo jus à fama de atriz versátil que adquirira no Stella Adler.

Como se já não bastasse esta versatilidade toda, Selma ainda estrearia como dubladora no ano de 2006, graças ao projeto Hellboy Animated, que a princípio seria uma série de desenhos animados nos quais os personagens seriam dublados pelos mesmos atores que os interpretaram no filme. Até hoje, só dois episódios foram produzidos, e Selma dublou Liz Sherman em ambos. Tirando isso, 2006 não foi um ano muito produtivo; ela fez participações em dois filmes lançados direto em DVD, The Alibi e The Night of the White Pants, onde interpreta uma esposa cansada do marido que o expulsa de casa só de cuecas. Aliás, no final de 2006 ela quase faria isso na vida real: após dois anos de casamento, Selma e Zappa se divorciaram, segundo ela, devido a "diferenças irreconciliáveis".

Selma começaria o ano de 2007 protagonizando um filme independente lançado para o iTunes, Purple Violets, no qual ela interpretava uma escritora promissora cuja carreira não decolava por causa do casamento. No mesmo ano ela participaria do romance Banquete do Amor, protagonizado por Morgan Freeman. Mais para o final do ano, ela interpretaria uma vítima de estupro envolvida com crimes escabrosos na produção britânica Matemática da Morte.

E assim chegamos a 2008, ano que Blair começou contracenando com Antonio Banderas na comédia romântica Mais do que Você Imagina, e participou de mais um filme independente, The Poker House. Neste ano, mais uma vez Hellboy rendeu bons frutos à atriz, que emprestou sua voz a Liz Sherman no game Hellboy: The Science of Evil, e a interpretou pela segunda vez, desta vez com uma participação maior e mais importante em Hellboy 2: O Exército Dourado.

No momento, Selma está filmando uma nova série. Quase dez anos depois, ela retorna como protagonista de uma produção televisiva, desta vez na NBC, interpretando Kim Day-Fattibene, uma jovem de vinte e poucos anos que se veste como adolescente, come compulsivamente, é obcecada por celebridades, e decide voltar a morar com a mãe, Kath, após se separar do marido. A série, chamada Kath & Kim, é uma refilmagem de uma série australiana de mesmo nome, e é centrada nas diferenças entre uma mãe divorciada que quer viver sua vida e arrumar um namorado e essa filha um tanto maluquinha que ela foi arrumar. Curiosamente, a atriz Molly Shannon, que interpreta Kath, é apenas oito anos mais velha que Blair, mas como é um fato universalmente aceito que Selma aparenta bem menos idade que tem (faça as contas, ela já está com 36), ninguém viu problema em escalar esta dupla de protagonistas.

Talvez por dedicar grande parte de sua carreira a produções independentes - por razões pessoais, quem sabe? - Selma Blair não costuma ter voltados para si muitos dos holofotes que seguem as celebridades nos Estados Unidos. Mesmo assim, ela é uma atriz bonita e talentosa, na qual vale a pena prestar atenção. Nem que seja para ver a cara engraçada que ela faz quando abre a boca com um olhar blasé.

0 enfiaram o nariz:

Postar um comentário