domingo, 23 de outubro de 2005

Labirinto: A Magia do Tempo

Assim que os DVDs começaram a ser lançados no Brasil, imediatamente começaram a ser vendidos um monte de filmes velhos em DVD nos jornaleiros. Eu nunca havia me interessado em comprar fitas de vídeo, mas como DVDs são mais fáceis de se guardar, e estavam ali dando sopa por um preço bom, resolvi que, sempre que encontrasse um filme que me interessasse, iria tentar comprá-lo. Assim começou minha coleção de filmes da década de 80 em DVD (que hoje já conta com alguns mais recentes, graças às promoções das Lojas Americanas e da Casa & Video). Os três primeiros filmes dessa coleção eu comprei antes mesmo de possuir um DVD Player, o que fez com que eles ficassem na estante um tempinho até poderem ser finalmente assistidos. Um destes filmes é o tema do post de hoje, um verdadeiro clássico da animação com bonecos, Labirinto: A Magia do Tempo.

Talvez muitos não conheçam este filme, ou já tenham ouvido falar e não saibam do que se trata, mas para mim é um filme muito nostálgico. Eu devia ter uns dez anos quando o assisti pela primeira vez, e depois nunca mais tinha conseguido assistir até comprar esse DVD, mas, por alguma razão, nunca o esqueci. Eu me lembro que foi um dos primeiros filmes que meu pai alugou depois que comprou nosso primeiro videocassete, e na época eu reclamei porque era legendado. Sabe como é, criança é preguiçosa.

Dirigido pelo mago dos bonecos Jim Henson (o criador dos Muppets), produzido por George Lucas, e distribuído pela finada Tri-Star Pictures (hoje parte da Columbia, que por sua vez é parte da Sony) no ano de 1986 com o título original de Labyrinth, Labirinto conta a história da adolescente Sarah (Jennifer Connelly, bem antes de ganhar um Oscar e namorar o Hulk), aparentemente uma atriz mirim treinando para fazer o papel principal da peça O Labirinto. Um dia, ao chegar em casa, Sarah recebe a incumbência de cuidar de seu meio-irmão, um bebê de aproximadamente um ano de idade, enquanto seu pai sai com sua madrasta. Após um breve arranca-rabo onde demonstra sua insatisfação por ter de bancar a babá, Sarah descobre que seu ursinho de pelúcia preferido sumiu. Procurando-o, ela chega ao quarto do irmão, que começa a chorar e não pára de jeito nenhum. Irritada, ela começa a contar para o irmão a história da peça que está ensaiando, substituindo os personagens principais por ela mesma e seu irmão chorão.

Jareth e Toby, o irmão de SarahDurante esta narrativa, algo fantástico acontece: quando Sarah deseja que o Rei dos Duendes leve seu irmão embora, Jareth (David Bowie - pois é), o Rei dos Duendes em pessoa, atende seu pedido, e leva seu irmão para seu castelo. Sarah se arrepende, mas agora já é tarde demais. Em treze horas, seu irmão terá se transformado em duende, e não haverá nada que ela possa fazer. Como Jareth é um rei generoso, porém, ele decide dar uma chance a Sarah: se ela conseguir passar por seu labirinto intransponível, cheio de perigos mortais e criaturas aterradoras antes do prazo de treze horas se expirar, ela poderá ter seu irmão de volta. Como ele é bonzinho!

Assim, Sarah, que até uns três minutos atrás estava louca para se livrar do irmão, decide enfrentar toda sorte de perigos para salvá-lo. Em sua aventura, ela terá a ajuda de três criaturas do labirinto, o anão Hoggle, espécie de zelador do local; o monstro Ludo, que tem o poder de conjurar as pedras; e Sir Didymus, uma espécie de esquilo, montado em seu "fiel corcel", um cachorro chamado Ambrósio. O labirinto tem várias partes memoráveis, como a Masmorra do Esquecimento, as portas onde um dos porteiros sempre mente e o outro sempre diz a verdade, e o poço das Mãos Ajudantes ("helping hands", no original). O local mais memorável de todos, porém, é o Pântano do Fedor Eterno: mesmo que você encoste apenas a pontinha de seu pé no pântano, federá para sempre. E, como se isso tudo já não bastasse, Jareth de vez em quando trapaceia, chantageando Hoggle para que ele traia Sarah, adiantando o relógio para faltar menos tempo, ou inserindo novos habitantes no labirinto (como a Turma da Limpeza) para atrasar a menina.

Sarah e uma das criaturas do labirintoLabirinto é visivelmente um filme para crianças, sem muita preocupação com a coerência da história (o fato de Sarah ser atriz e estar ensaiando uma peça nunca é confirmado, ficando apenas subentendido; Sarah e Jareth estão num momento no quarto dos pais da menina e no instante seguinte no Labirinto; ninguém se dá ao luxo de explicar por que Jareth resolveu atender ao pedido de Sarah para levar seu irmão), permeado por vários números musicais (pelo menos dois com David Bowie) e com um final feliz fofo, para ninguém ficar triste. Como é um filme de bonecos da década de 80, o cenário tem algumas restrições orçamentárias (aquele labirinto deve ter gasto toneladas de isopor, e em uma cena onde os heróis estão encurralados entre um enorme construto e lanças afiadas, Ambrósio se choca contra uma das lanças afiadas, que entorta ao invés de transfixá-lo). Ainda assim, até hoje eu gosto muito deste filme, primeiro por ter uma certa inocência, que parece ter fugido dos filmes infantis ultimamente; segundo, por que se parece muito (talvez de propósito) com outra história que eu adoro, Alice no País das Maravilhas. Além disso, é um filme com bonecos (e um bom filme com bonecos), algo que, depois da morte de Henson e do advento da computação gráfica, aparentemente jamais será feito de novo.

5 enfiaram o nariz:

Anônimo disse...

Assisto esse filme desde q lançou eu tinha 3 anos de idade um belo dia minha mãe alugou pra mim e depois disso toda vez q ia na locadora eu pegava novamente até q meu pai comprou o filme. Nao tenho nem como decrever o qto amo, resolvi tatuar o refrão da "As the world falls down" na costela, acho q nem preciso dizer + nada né... rs Isis

3:59 PM
Dio disse...

Tenho 13 anos e vi esse filme quando ele já era bem antigo, só vi na TV, legendado e da metade em diante. Mas gostei tanto que procurei o DVD e agora assisto sempre que posso.

Você sabe muito bem descrever filmes. Só um toque: o nome do Rei dos Duendes é Jareth e não Janred.

10:44 PM
Guil disse...

Segundo o IMDb, realmente você tem razão, é Jareth. Mas, curiosamente, nas legendas do meu está Jahred...

5:13 PM
' Gii PerHe disse...

Tenho tatuado na perna You have no power over me...
A frase que ela derrota o Jareth... e vou tatuar o Ludo em breve. Eh amor demais. Alem da vida...

2:07 AM
' Gii PerHe disse...

Tenho tatuado na perna You have no power over me...
A frase que ela derrota o Jareth... e vou tatuar o Ludo em breve. Eh amor demais. Alem da vida...

2:08 AM

Postar um comentário