domingo, 6 de março de 2005

Space Ghost

Na década de 60, houve um boom de super-heróis, impulsionado pelo sucesso da Liga da Justiça no final da década de 50, e a criação da Marvel Comics no início da década de 60. Muita gente que não dava atenção ao gênero começou a vê-lo com outros olhos, graças à crescente popularidade e boa vendagem dos heróis dos quadrinhos. Até mesmo a Hannah-Barbera, famosa por desenhos infantis como Zé Colméia e Dom Pixote decidiu se arriscar no gênero. Assim surgiu o tema do post de hoje, Space Ghost.



Space Ghost foi o primeiro super-herói da Hannah-Barbera. Com seu quartel general localizado no Planeta Fantasma, sua nave espacial, o Cruzador Fantasma, e seus poderosos Braceletes Energéticos, Space Ghost é um patrulheiro espacial, com a missão de proteger todo um quadrante - no qual está incluída a Terra - das ameaças alienígenas.

Todos os seus poderes vêm de seu traje e dos Braceletes Energéticos. O traje permite que Space Ghost fique invisível, crie um campo de força para protegê-lo, lhe confere visão de raio-x, teletransporte, além de permitir que ele voe (mais depressa que o Cruzador Fantasma, o que nos faz perguntar por que ele precisa de uma nave), sobreviva no espaço e sob a água, e conte com um comunicador direto com os demais patrulheiros e com o Planeta Fantasma. Os Braceletes permitem que Space Ghost dispare diversos tipos de raios diferentes, como um raio congelante, raio atordoante, raio destruidor, raio trator, e até mesmo um raio de viagem no tempo. Selecionando um tipo de raio diferente em cada mão, Space Ghost também pode disparar "raios combinados", ou multiplicar a força de um raio por 5.

Criado em 1966 por Alex Toth, Space Ghost não teve uma origem ou explicação de como recebeu seus poderes. A série simplesmente começou e pronto. Como era focada principalmente no público infantil, Space Ghost tinha dois ajudantes adolescentes, os irmãos gêmeos Jan e Jace, patrulheiros espaciais em treinamento, que contam com uma mochila voadora, cinto de invisibilidade e comunicador direto com Space Ghost. Os gêmeos ainda tinham um mascote, o macaco Blip, que também contava com a mochila voadora, o cinto de invisibilidade e o comunicador, e normalmente os tirava de encrencas. Aliás, Space Ghost deve ter o poder de falar com os animais, pois ele sempre entendia o que Blip queria dizer. Jan, Jace e Blip patrulhavam o espaço em uma pequena nave que também servia de submarino.

Mas uma das melhores coisas de Space Ghost eram os vilões. A cada episódio, uma nova ameaça espacial surgia para desafiar o herói. Os mais insistentes eram o louva-a-deus gigante Zorak, arquiinimigo de Space Ghost; o pirata espacial Brak; o robô Metallus, que chegou a invadir o Planeta Fantasma; a feiticeira Viúva Negra, com o poder de controlar aranhas; o Rei das Criaturas, que possuía um raio causador de pesadelos; e Moltar, que controlava os monstros de lava e os poderosos fornos capazes de incinerar qualquer oponente. Cada um destes apareceu em cinco ou seis episódios (sem contar um episódio especial em seis partes que reuniu todos eles). Space Ghost ainda enfrentou muitos e muitos vilões, que só apareceram em um único episódio cada, como Cyclo, Dr. Pesadelo e Lokar, Rei dos Gafanhotos.

A série original de Space Ghost teve 42 episódios, que foram ao ar entre 10 de setembro de 1966 e 7 de setembro de 1968. Cada episódio tinha apenas 8 minutos, e estava incluído em um programa de meia hora, que ia ao ar aos sábados, a partir das 10h30min da manhã, pela rede CBS. Cada programa consistia de dois episódios de Space Ghost e um de Dino Boy, um menino que caía de pára-quedas em uma selva pre-histórica e fazia amizade com um homem das cavernas. Como cada desenho tinha 8 minutos, totalizavam 24 minutos, o que me leva a crer que eram 6 minutos de comerciais.

Em setembro de 1967, para comemorar um ano de Space Ghost, e também para lançar suas novas séries animadas, a Hannah-Barbera preparou um episódio especial em seis partes, onde os principais vilões de Space Ghost (Zorak, Brak, Metallus, a Viúva Negra, Moltar, o Rei das Criaturas e Lokar) se uniam para destruí-lo. Durante dois sábados, não houve Dino Boy, e o programa apresentou três episódios de Space Ghost no mesmo dia. Este episódio especial contou com a participação especial dos novos heróis da Hannah-Barbera que estreariam naquele ano de 1967: os Herculóides, Shazzam, o Poderoso Mightor e Moby Dick. Os Herculóides ainda ajudaram Space Ghost em outro episódio, em 1968.

Infelizmente, em setembro de 1968, Space Ghost foi cancelado e substituído por outro desenho. De 27 de novembro de 1976 a 3 de setembro de 1977, Space Ghost foi reprisado, desta vez dividindo o programa com Frankenstein Jr ao invés de Dino Boy. A audiência não foi lá essas coisas, porém, e nem todos os episódios foram reprisados.

Em 1981, a Hannah-Barbera deciciu lançar uma nova série de Space Ghost, dentro de um programa chamado The Space Stars. Desta vez na rede NBC, Space Stars era novamente um programa de meia hora que ia ao ar aos sábados pela manhã, contendo um episódio da Patrulha Adolescente; um de um desenho solo de Astro, o cachorro dos Jetsons, no qual ele era um policial espacial; e um terceiro desenho que poderia ser de Space Ghost ou dos Herculóides. Foram 22 novos episódios de Space Ghost, que foram ao ar de 12 de setembro de 1981 a 11 de setembro de 1982. Infelizmente, nestes novos episódios Space Ghost não enfrenta seus vilões clássicos (todos os vilões são novos, e há um vilão diferente por episódio, com exceção do Feiticeiro, que aparece em dois). Em 1983, a Hannah-Barbera ainda produziu 11 episódios onde Space Ghost unia forças com a Patrulha Adolescente e os Herculóides para derrotar uma ameaça a toda a galáxia.

Além de sua carreira televisiva, Space Ghost ainda viveu aventuras nos quadrinhos, nas revistas Space Ghost (publicada pela Gold Key Comics, só teve uma edição, lançada em março de 1967), Hannah Barbera Super TV Heroes (também da Gold Key; Space Ghost apareceu nas edições 3, 6 e 7, de 1968), Golden Comics Digest (da Gold Key, Space Ghost estava no número 2, de maio de 1969) e Hannah Barbera TV Stars (publicada pela Marvel Comics, Space Ghost na edição 3, dezembro de 1978). Outras duas editoras ainda lançaram uma revista chamada Space Ghost, que só teve uma única edição: a Comico Comics (dezembro de 1987), e a Archie Comics (março de 1997). A DC Comics também lançou uma minissérie em seis partes do herói (o primeiro número foi lançado em novembro de 2004), onde ele é traído pela Patrulha Espacial e busca vingança. Segundo o roteirista Joe Kelly, esta minissérie busca adequar Space Ghost aos tempos atuais, tornando suas aventuras mais sérias e adultas. Se esta minissérie se transformará em uma série regular, só o tempo dirá.

Em 1994, a rede de TV Cartoon Network, controlada pela Hannah-Barbera, decidiu colocar Space Ghost como anfitrião de um talk show, Space Ghost de Costa a Costa, onde ele entrevistava personalidades do mundo real, com a ajuda de seus ex-inimigos Zorak, Moltar, Brak e, de vez em quando, Metallus. Era um programa muito satírico, onde Space Ghost era falastrão e convencido, e os vilões estavam sempre tramando para matá-lo ou aos espectadores. Apesar de ser muito engraçado, pouco tinha a ver com o Space Ghost original.

Atualmente, o herói está aposentado. De vez em quando ele ainda aparece em uma vinheta do Cartoon Network, e a série clássica de 1966 ainda é reprisada no canal Boomerang, mas não há planos para uma nova temporada. Em 2003, a equipe responsável pela nova série de Johnny Quest apresentou um projeto de uma nova série de Space Ghost, nos mesmos moldes da série clássica, mas não foi para a frente.

Finalmente, uma curiosidade à qual eu não poderia me furtar: Space Ghost é arquirival de Overman, o super-herói criado pelo brasileiro Laerte, que pode ser encontrado em tirinhas no jornal O Dia e em vinhetas do Cartoon Network.

0 enfiaram o nariz:

Postar um comentário