domingo, 27 de fevereiro de 2005

Centésimo Post

Este é o centésimo post do átomo. Claro que é um post como qualquer outro, mas eu senti vontade de escrever alguma coisa especial, para aproveitar o número redondo. Afinal, em um blog que só tem um post por semana, ou às vezes nem isso, 100 posts demoram um pouquinho para passar. É um sinal de que eu realmente devo ter muto assunto.

Quando eu comecei esse blog, não fazia a menor idéia do que fazer com ele. Estava satisfeito com o BLOGuil, e praticamente só registrei o nome porque achei que átomo era um nome legal para um blog. Já que eu tinha meu próprio blog mesmo, comecei a escrever minhas opiniões sobre diversos assuntos, a princípio sem freqüência definida, postando sempre que tivesse vontade. Mas não estava feliz. Ficou meio com cara de livro de auto-ajuda, e eu não sou muito de gostar de ficar escrevendo conselhos.

Então eu tive a idéia de escrever sobre as coisas que eu gosto. Essa me agradou mais. Afinal, sempre haveria uma coisa ou outra sobre meus assuntos preferidos que nem eu sabia, e pesquisar para escrever sobre eles era uma ótima forma de me inteirar das novidades.

Escrever para o átomo dá trabalho. Eu sempre procuro pesquisar nos sites oficiais, ou, quando isso não é possível, em locais renomados e confiáveis, sejam sites, revistas, manuais... É claro que sempre haverá o risco de uma ou outra coisa que não seja certa vir parar aqui, mas selecionando bem as fontes, este risco é muito menor. Já me perguntaram porque eu não ponho as fontes ao final de cada post. É uma boa pergunta. No início, eu nem achava que isso fosse necessário. Hoje, eu acho que não faz falta. A maioria das coisas vem mesmo dos sites oficiais ou da Wikipedia, é só catar por lá.

Algumas pessoas, porém, têm o sangue mais quente. Mais de uma vez já me xingaram por achar que o que eu escrevi estava errado ou simplesmente porque não gostaram do assunto que eu escolhi para a semana. Acho que ninguém precisa chegar a tanto, mas infelizmente quem expõe suas idéias na internet, esta Terra de Ninguém, está sujeito a este tipo de coisa. No início, eu deletava este tipo de comentário. Hoje, eu deixo pra lá. É claro que eu fico chateado, afinal, eu tenho maior trabalho para fazer o post e vem um sujeito avacalhar com ele. Mas não é nada que vá fazer eu fechar o blog ou perder meu sono.

Mesmo assim, com todo esse trabalho para fazer os posts, com todos estes insatisfeitos malcriados, ainda é divertido escrever para o átomo. Nem sempre eu arrumo assuntos que me agradem a tempo, o que me leva a postar uma letra de música ou a pular o fim de semana, mas ainda assim é interessante pesquisar, selecionar e escrever o post. Pouco me importa se ninguém vai ler, eu posto assim mesmo.

Como isso aqui não me rende um centavo, o dia que eu não estiver mais me divertindo, eu paro. Mas por enquanto ninguém precisa se preocupar. Já tenho muitos novos posts em mente, e espero que vocês estejam gostando tanto de lê-los quanto eu gosto de escrevê-los. Obrigado por ler o átomo, e voltem sempre. Mais do que feito para mim, ele é dedicado a vocês.

0 enfiaram o nariz:

Postar um comentário