domingo, 20 de julho de 2003

Flags of the World

Desde criança, eu sempre fui fascinado por bandeiras. Adorava bisbilhotar um Atlas grandão, de capa preta, que a minha mãe tinha, e fiz meu pai comprar um Almanaque Abril só porque na capa tinha um aviso de que ele trazia bandeiras coloridas de cento e tantos países. Adorei quando descobri como era a bandeira da Prússia (em um livro de história) e quando a União Soviética se desmanchou em 15 novas bandeiras que eu teria que descobrir como eram.


Bélgica


Pois bem, a infância acabou, esta fascinação foi diminuindo. Até que eu encontrei, meio sem querer, um Atlas velho com a bandeira da Rodésia (alguém sabe onde fica a Rodésia?), e com bandeiras do Camboja e da Papua Nova Guiné que eu nunca tinha visto. "Já que a internet tem de tudo o que não presta", pensei, "será que tem também um site com todas as bandeiras do mundo, inclusive as antigas?"


Groenlândia

E tem! É o Flags of the World, ou simplesmente FotW. Eu já falei dele no BLOGuil, quando mostrei a bandeira da Cochinchina. Hoje, darei mais detalhes.

O segredo do FotW é que ele não é feito por uma só pessoa, mas sim por milhares de colaboradores, que desenham as bandeiras em escala, o mais perfeitamente que eles conseguirem. Assim, eles tentam montar um banco de dado de todas as bandeiras que já existiram no planeta.


Rio de Janeiro


Lá não temos somente as bandeiras dos Países, mas também dos Territórios e Dependências (como a da Groenlândia, segunda da fila de bandeiras que abre o post), bandeiras de Estados e Províncias de diversas nações (todos os do Brasil estão lá, por incrível que pareça!), todas as bandeiras antigas de países que mudaram de bandeira ao longo de sua história (vocês sabiam que esta bandeira aqui em baixo era a bandeira do Canadá até 1965?) e até mesmo bandeiras de nações que já não existem mais (como a da Prússia, última do post).


Canadá

Além de bandeiras a perder de vista, o site também traz muitas curiosidades. Nele podemos descobrir que a bandeira da Dinamarca é a mais antiga do mundo ainda em uso (foi adotada em 1219!); que o Afeganistão é o recordista em troca de bandeiras (28 e contando); que o desenho da bandeira do Panamá é em homenagem aos Estados Unidos, que os ajudaram a proclamar independência da Colômbia; que o norte da Somália proclamou independência e agora se chama Somalilândia, mas ninguém reconhece, só eles; e, é claro, onde fica a Cochinchina.


Prússia


Concluindo, um prato cheio para vexilólogos (o pessoal que estuda bandeiras - também aprendi isso lá), amantes de bandeiras e curiosos. Façam uma visitinha, vocês vão gostar!

Ah, sim. A Rodésia mudou de nome em 1980 e agora se chama Zimbábue.

0 enfiaram o nariz:

Postar um comentário